Estudo de centralidade em Candiota

Por: Isabella Khauam Maricatto

Para a realização do estudo de centralidade de Candiota, foi utilizado o software UrbanMetrics. O programa aplica a teoria dos Sistemas e a teoria dos Graphos a partir de representações gráficas, desse modo revela três medidas de diferenciação espacial do sistema urbano: conectividade, acessibilidade e centralidade. A Estrutura Espacial Urbana é a forma que os elementos do sistema estão localizados no espaço urbano e suas relações espaciais. Para analisar a Estrutura Espacial Urbana, os resultados de cada medida representam uma maneira de compreender e identificar a hierarquia dos espaços em relação ao sistema espacial urbano (ZECHLINSKI, 2013). 

No presente trabalho, foi escolhida a medida de centralidade, esta, por sua vez, avalia a centralidade de acordo com os caminhos preferenciais e atritos de percurso (POLIDORI, 2010). A representação da cidade de Candiota se deu a partir de linhas (Figura 1), um modo simplificado de representar a estrutura viária que possibilita a conexão entre os bairros da cidade. Candiota é um município localizado na região Sul do Rio Grande do Sul e é composta por bairros distantes entre si.  

Figura 1: Input com linhas e indicação dos bairros de Candiota

A legitimação está feita através da obtenção de resultados que se aproximem da situação atual, aferida em contagem de tráfego em função da percepção dos envolvidos no trabalho. A Figura 2, a seguir, mostra esses resultados, com destaque de elevada centralidade na Estrada RS. Considerada como o principal eixo viário de conexão entre os bairros nos é apresentada como potencial de centralidade estruturante a partir do elevado valor em relação às demais vias. 

Em todas as simulações o potencial de centralidade da estrutura viária da cidade foram definidos utilizando os valores topológicos para cada trecho, ou seja, assume valores iguais a 1 para todos os eixos da cidade, desconsiderando as dimensões geográficas reais. Além disso, as visualizações dos resultados alcançados, apresentam o padrão de classificação obtido pelo método de mudanças naturais (natural breaks), que possibilita uma visão homogênea do sistema a partir das mudanças de classes imputadas pelas maiores diferenças entre valores antecessores e sucessores. 

A Simulação I (Figura 2) nos auxilia na identificação dos espaços que se destacam localmente, como resultado tem-se o valor centralidade da Estrada RS que se destaca em relação às outras vias. Nesse caso, a concentração da medida de centralidade demonstra o alto fluxo de tráfego da via reforçando o que foi avaliado in loco.

Figura 2: Simulação sem carregamentos ou impedâncias (classificação em 5 classes, por intervalos naturais e paleta de cores hierárquica em tons de azul)

Apesar do potencial do tecido urbano apresentado pela Simulação I, considerando as vias e suas conexões, outras possibilidades podem ser exploradas a partir de uma avaliação mais próxima do real. Para isso, o software UrbanMetrics possibilita essa aproximação a partir da atribuição de pesos a capacidade de atração pelo uso do solo (carregamento) e aos atributos que influenciam no sistema viário (impedância), propondo diferentes valores para as vias.

Desse modo, são acrescentados valores de carregamento e impedância que auxiliam na legitimação do modelo aproximando os resultados observados pela autora. Na Simulação II, a Estrada RS e a BR-293 assumem valor de carregamento 10, já a impedância das estradas de terra que chegam até o Seival assumem valor 10 por possuírem condições de trafegabilidade inferiores (Figura 3). 

Figura 3: Simulação considerando impedância das estradas de ligação ao Seival e carregamento de 10 nas estradas RS e BR (classificação em 5 classes, por intervalos naturais e paleta de cores hierárquica em tons de azul).

O resultado confirma o potencial de alta centralidade da Estrada RS, destacando principalmente: a) o trecho próximo a entrada do bairro Dario Lassance; b) o trecho entre os bairros São Simão e Vila Operária, onde existe a conexão com a BR-293; e c) o trecho próximo a Usina Termelétrica Presidente Médici Fase C, entre os bairros Dario Lassance e Vila Residencial.

Para a continuidade do estudo de centralidade de Candiota, realizou-se uma terceira simulação, que tem como proposta a construção de uma estrada que conecta os bairros de Seival (importante pólo histórico da cidade) e Dario Lassance (bairro que possui atualmente maior crescimento urbano), com a intenção de valorizar os aspectos históricos da cidade e facilitar o acesso entre os bairros. 

Figura 4: Simulação III com a proposta de construção da estrada que conecta o Bairro de Dario Lassance ao Seival (classificação em 5 classes, por intervalos naturais e paleta de cores hierárquica em tons de azul).

Na Simulação III (Figura 4), a nova ligação apresenta um valor de centralidade maior em relação às estradas de terra que chegam até o Seival a partir da Estrada RS e BR-293. Além disso, o resultado também apresenta um aumento dos trechos de elevada centralidade presentes na Estrada RS, que não se restringem apenas aos trechos citados anteriormente (Figura 3), mas ao longo de sua extensão. Portanto, a construção da nova estrada evidencia a centralidade já presente na Estrada RS, demonstrando que a tendência para o alto potencial de centralidade dessa via se manteve.