2020

II Semana Com Ciência Negra – Edição Especial Mestra Griô Sirley Amaro – Homenagem a Mestre Moa do Katendê

Nos dias 26, 27 e 28 de novembro aconteceu a II Semana da Com Ciência Negra – Edição Especial Mestra Griô Sirley Amaro / Homenagem a Mestre Moa do Katendê, uma parceria entre o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense, campus CaVG, Universidade Federal de Pelotas e Canto de Conexão, um evento sobre a circularidade dos saberes, fazeres, poderes na ciência e consciência. Ciência Preta, que ciência é essa?

Apoio financeiro: PROEX/IFSUL
Organização: PPGCiTeD/CaVG/IFSul
ICH/UFPel
Núcleo de Estudos e Pesquisas É’LÉÉKO UFPel/PPGPSI-UFRGS
Canto de Conexão
Dança – Licenciatura/UFPel
LADAIA – Laboratório de Decolonialidade em Ações e Investigações Artísticas/UFPel
GPCIE – Grupo de Pesquisa, Cultura, Imaginário e Educação – CNPq
————————————————-

“O Simpósio deu ênfase ao domínio da Saúde, já que se trata de esfera sobre a qual converge o conjunto das discussões teóricas e metodológicas que a área das Ciências Sociais vem fazendo em seus investimentos contemporâneos. Como a saúde e o direito à vida entraram no bojo das garantias dos direitos sociais nos países latino-americanos? Em que medida as políticas públicas efetivaram instrumentos de equidade/justiça social/interculturalidade de longo alcance? Como podemos delinear análises macro e micro das relações de poder e dos processos sociais, tendo como territórios de indagação o corpo e a saúde? Esses interrogantes abrem espaço para sólida reflexão acadêmica nacional e internacional ao mesmo tempo em que reforça o diálogo com a sociedade civil, movimentos sociais, usuários/as e gestores públicos envolvidos com experiências e boas práticas responsivas à equidade e pluralidade.” (Apresentação do Simpósio)

GT 1 – O imaginário e a desigualdade: a simbólica das desigualdades nos contextos sociais e educacionais

Cláudio Baptista Carle (UFPel-PPGAnt)
Angelita Hentges (IFSul-CAVG-PPGCITED)

O GT refletiu sobre os imaginários das desigualdades, no contexto local ao universal, em suas re-apresentações nos espaços educativos e sociais. A visibilidade dos conflitos está em uma vinculação com as simbólicas produzidas no âmbito internacional, disseminadas na rede mundial de computadores e assemelhados, na troca de dados e mensagens em protocolo comum, unindo usuários individuais, entidades de pesquisa, órgãos culturais, institutos políticos, bibliotecas e instituições de ensino, criando um hiperespaço imaginal. A dimensão da cultura na problemática da desigualdade e por consequência todo o processo de exclusão desenvolve ações excludentes da própria cultura. Essa ação é fortemente re-apresentada nos espaços de educação formal e com reflexos pujantes na sociedade atual. A configuração político-social e ideológica do momento na América Latina e, em especial, no Brasil, aprofunda e dissemina a desigualdade, não respeitando os múltiplos contextos culturais dos indivíduos urbanizados, desconstruindo a convivência de relações interétnicas, de gênero e raciais.

2019

 Simpósio Temático 10 – Práticas Corporais do mundo dançado (Maria Fonseca Falkembach e Cláudio Carle)

ANAIS do Evento


 

Semana Com Ciência Negra

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

(A arte de apresentação deste evento foi pensada e elaborada pela designer Ana Paula Langone)

I Semana com Ciência Negra, promovida pelo GPCIE/UFPEL, PRONECIN/CAVG, TATA/UFPEL, OCUPAÇÃO CANTO DE CONEXÃO e ACCARA.

Dias 28, 29 e 30 de novembro de 2019 – Tablado/UFPEL, Auditório do Campus II/UFPEL, CAVG e Ocupação Canto de Conexão

O objetivo é socializar os conhecimento acadêmico de investigações produzidos a partir de um olhar afrocentrado e do enegreSer.

Programação que será divulgada brevemente.

Acesse aqui

 


 

I ENCONTRO DE PESQUISAS ARQUEOLÓGICAS INVISIBILIZADAS –  7 E 8 NOV. 2019 – PELOTAS

Baixe a programação completa aqui

Nenhuma descrição de foto disponível.


 

VII Vadiação em Pelotas

A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Ratinho Anselmo Accurso, texto

VII Vadiação em Pelotas – ACCARA – Amigos da Capoeira Angola


 

Corpo, Poética e Ancestralidade – Porto Seguro – BA

Corpo, Poética e Ancestralidade foi um encontro que reuniu artistas, mestras e mestres das tradições populares, pesquisadoras e pesquisadores que discutem e produzem poéticas em torno do corpo e a ancestralidade.

O encontro pretendia reunir experiências no campo das práticas e/ou aportes teóricoepistêmicos nos variados campos do saber que circundam as artes do corpo, a partir de uma perspectiva crítica.

A programação reuniu oficinas, apresentações artísticas, sessões temáticas, rodas de conversa, publicações e lançamentos de livros.

Neste encontro o corpo estava não só diretamente implicado, mas colocado em primeiro plano, contemplado de maneira especial nas atividades que intentam proporcionar relações críticas e criativas, reafirmar os saberes, as práticas, os valores e conhecimentos assentados na ancestralidade em suas poéticas próprias e também nos seus mais variados desdobramentos poéticos. O intuito foi o despertar de entendimentos que apontem caminhos alternativos as crises que vivemos, ao contemplar as subjetividades assentadas na memória cultural, corporificada

Acesso: http://corpoeticancestral.org

—————————————-
Cancelado
Grupo de Trabalho

6 – IMAGENS E IMAGINÁRIOS NA EDUCAÇÃO E NO COTIDIANO DE GRUPOS HUMANOS NA REGIÃO SUL DO PAÍS

Cláudio Baptista Carle (UFPEL)
Angelita Hentges (IFSUL)
Maria Laura Brenner de Moraes (IFSul)

A proposta instiga uma discussão nas vivencias sociais e educacionais de pessoas e grupos na constituição de imagens e imaginários sobre os processos e praticas cotidianas nos espaços educativos formais ou não formais, que criaram e criam possibilidades de interação humana, principalmente entre populações tradicionais. Estudos de manifestações culturais no passado e no presente, no seu processo de difusão através da educação e tendo como referente teórico os estudos do imaginário, na sua amplitude maior, que compreende os pensamentos humanos como fruto das construções imagéticas de cada grupo. É fruto de estudos realizados no campo das imagens e imaginário ligados a antropologia e a educação. Considera-se educação como o polo de constituição e apresentação destas imagens individuais, no entanto são provenientes do imaginário dos grupos, no passado e no presente, e possibilitam as interações daquilo que a ciência ocidental convencionou como cultura. Efetivamente os estudos estão vinculados a região meridional do Brasil.

____________

 

2018

Educação Indígena: questões históricas, biodiversidade e conhecimentos tradicionais

______________________

 

2017

Diversidade, gênero e cultura serão temas de debates

___________________

 

2015 (outros grupos do Imaginário)

II Congresso Internacional do CRI2i “A Teoria Geral do Imaginário 50 anos depois”