Início do conteúdo

Barraca da Saúde realiza atividade na Festa da Família

POR  · 30/05/2019

Por Jessica Alves

No último sábado (25), a Barraca da Saúde esteve mais uma vez atuando com educação e saúde, celebrando a primeira edição da Festa da Família na escola filantrópica Casa de Santo Antônio do Menor, em Pelotas. O objetivo foi levar até o evento atendimento de saúde e promover atividades recreativas em interação com as crianças e familiares presentes.

O fim de semana prometeu frio, mas o sol apareceu para iluminar a festa das crianças. Em uma tarde ensolarada, os alunos da pré-escola participaram de diversas atividades de recreação proporcionadas pela equipe de docentes, com brinquedos, apresentações e comidas, e do projeto extensionista, com pinturas, leitura de histórias e avaliações de saúde.

A Barraca da Saúde é um projeto de extensão do curso de enfermagem em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Pelotas (PREC UFPel). Juliana Ribeiro, coordenadora pedagógica da instituição, conta que conheceu a ação através de sua filha, que estuda nutrição na Federal e participa do projeto. Assim resolveu unir a saúde com a escola, pois as famílias da comunidade podem conhecer e saber que estes atendimentos também são para eles.

“A comunidade carece e as famílias precisam saber o que a UFPel oferece para eles, por isso decidimos fazer essa conexão, hoje eles saíram beneficiados de muitas coisas”, afirma Juliana.

De acordo com os estudantes de odontologia, participantes do projeto, a educação e saúde praticada pela barraca é uma experiência gratificante, que mostra novas realidades e permite o

Atendimento odontológico realizado pela Barraca da Saúde. Foto: Jessica Alves

aprendizado além das salas de aula. “É uma satisfação muito grande, pois conhecemos novos ambientes e pacientes, aumentando nossa capacidade de atendimento”, conta Vinícius Podewils. “É uma experiência diferente, é mais humano e não padronizado como vemos na faculdade”, completa Luis Natanael Adam, que participou desta saída como sua primeira ação no projeto.

 

“Aqui na escola temos acesso a uma área bem vulnerável e as pessoas carecem em muitos aspectos da sua saúde, então vindo a este ambiente conseguimos resolver melhor os problemas do que esperar sentados na faculdade, é uma satisfação imensa poder ajudar”, completa Roberto Pazin Jr, também estudante de odontologia.

Criança com apito indígena Kaingang para pássaros. Foto: Jessica Alves

O dia finalizou com apresentações de canto e entrega de doces para as crianças, encerrando uma tarde positiva e alegre

para a comunidade e universidade, que puderam estreitar os laços em uma saudável de troca de aprendizados e saberes. “O rendimento foi maravilhoso, ver eles se integrando com a nossa comunidade, a gente vê muitas coisas acontecendo, a saúde um caos, mas ali eles conseguiram ver o que é a saúde e a educação unidas para trabalhar a favor deles. Para nós foi maravilhoso”, finaliza a coordenadora da instituição.

 

Publicado em 30/05/2019, em Notícias.