Início do conteúdo
Histórico

Histórico

O Biotério da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) foi fundado na década de 1980, por iniciativa de um grupo de professores do Departamento de Fisiologia e Farmacologia, do Instituto de Biologia, tendo como objetivo principal suprir as necessidades de animais para pesquisa desse departamento. Com o passar dos anos, em decorrência do crescimento de pesquisas envolvendo o uso de animais, o biotério cresceu, com o objetivo de atender as necessidades de outras unidades da UFPel. No ano de 1991, o Biotério deixou de ser departamental e passou a fazer parte do Gabinete do Reitor e, recentemente, esteve sob a responsabilidade da Faculdade de Medicina Veterinária. No ano de 2017, o Biotério Central passou a ser administrado pela Vice-Reitoria da UFPel.

Com o intuito de aprimorar o gerenciamento das atividades do Biotério Central, em 2018 foi criado um Comitê Gestor (Portaria UFPel nº 128, de 24 de janeiro de 2018), o qual é constituído por representantes dos Programas de Pós-Graduação da UFPel, usuários da estrutura desta unidade, bem como pelo médico veterinário responsável técnico. O processo de planejamento, execução e controle das atividades do Biotério é realizado junto ao Vice-Reitor, o Comitê Gestor, a chefia e seus funcionários.

O Biotério Central é uma unidade multiusuária da UFPel e atende as demandas de pesquisadores oriundos de diversos Programas de Pós-Graduação. Atualmente, os animais produzidos atendem aos Programas de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção, Biotecnologia, Educação Física, Nutrição, Odontologia, Parasitologia, Química, Veterinária e Zootecnia, pertencentes às diversas unidades acadêmicas da UFPel. O Biotério Central da UFPel é um setor multidisciplinar que atende em torno de 40 projetos por ano, fornecendo roedores que são utilizados em pesquisas desenvolvidas internamente.

Em 2019, o Biotério Central da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) passou a integrar a Rede Nacional de Biotérios de Produção de Animais para Fins Científicos, Didáticos e Tecnológicos (REBIOTÉRIO), entidade ligada ao Conselho Nacional para Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) (http://cnpq.br/rebioterio-apresentacao).

Quadro 1. Contribuição do Biotério Central à Missão e à Visão da UFPel

UFPel Biotério Central
Missão Promover a formação integral e permanente do profissional, construindo o conhecimento e a cultura, comprometidos com os valores da vida com a construção e o progresso da sociedade. Integrar os diferentes setores da UFPel envolvidos em experimentação com o uso de roedores, através de um sistema capaz de propiciar os meios para que o ensino, a pesquisa, a extensão, ocorram em condições de excelência acadêmica e de valorização da vida em todas as suas práticas, com o compromisso de afirmar o primado da ética sobre a técnica. Proporcionar suporte no fornecimento e na manutenção de animais de laboratório para o desenvolvimento da pesquisa e atividades de ensino e extensão da UFPel.
Visão A UFPel será reconhecida como universidade de referência pelo comprometimento com a formação inovadora e empreendedora capaz de prestar para a sociedade serviços de qualidade, com dinamismo e criatividade.

Ser um Centro de apoio à pesquisa que utiliza animais de laboratório, seguindo os mais atuais preceitos éticos e científicos. Ser um disseminador da cultura da excelência na prestação de serviços de apoio ao ensino e pesquisa e ser referência nacional em seus processos de gestão.

 

    Notícias
  • Selecionados para o treinamento aos usuários do Biotério Central.

    Abaixo segue a lista de selecionados para a realização do treinamento:

    Ratos (06/10/2022)

    1. Beatriz Corvello (PPGMCF)
    2. Fermina Francesca Alves Vargas (PPGMCF)
    3. Júlia Araújo da Silva (PPGNA)
    4. Juliana Schaun (PPGMCF)
    5. Lara Coelho Siqueira (PPGMCF)
    6. Letícia Figueiredo Moura (PPGMCF)
    7. Luiza Vieira Becker (PPGMCF)
    8. Moara de Cardozo Daquino (PPGMCF)
    9. Sara Ferreira Nunes (PPGMCF)
    10. Taís Kopp (PPGMCF)
    11. Tchandra Machado (PPGMCF)
    12. Thiago Alves Vargas (Fisiologia/Farmacologia)
    13. Nícolas Harter Stigger (PPGMCF)

    Camundongos (13/10/2022)

    1. Ana Vitória Costa (PPGBiotec)
    2. Andressa Simões Machado Dias (Nutrição)
    3. Camila Dias de Aguiar (PPGBiotec)
    4. Daniela Madeira (Dpto de Clínicas Veterinárias)
    5. Fabíola da Silva (Veterinária)
    6. Júlia Lignon (PPGV)
    7. Júlia Vargas Miranda (PPGV)
    8. Karen Martirena (PPGMCF)
    9. Lariane da Silva Barcellos (PPGVET)
    10. Luiza Oliveira Lemos Miller (PPGBBio)
    11. Meliza Oliveira (PPGBBio)
    12. Suellen Caroline Mattos Silva (PPGV)
    13. Paola Quevedo da Costa (Nutrição)

    Ratos (24/11/2022)

    1. Ana Carolina Teixeira de Oliveira (PPGBBio)
    2. Fernando Meyer (IB)
    3. Josiane Tonel da Costa Assumpção (PPGBBio)
    4. Júlia Vargas Miranda (PPGV)
    5. Kelen Ferreira Machado (PPGBBio)
    6. Lara Valente Farias (Bioquímica)
    7. Luiza Oliveira Lemos Miller (PPGBIO)
    8. Luiza Ribeiro da Rosa (Veterinária)
    9. Meliza Oliveira (PPGBBio)
    10. Raphaela Piccoli (PPGNA)
    11. Rowena Moreira (PPGBBio)
    12. William Simões (PPGBBio)

    Camundongos (01/12/2022) 

    1. Alice Scheer (Faculdade de Nutrição)
    2. Amanda de Oliveira Barbosa (PPGV)
    3. Cláudia Beatriz de Mello (PPGV)
    4. Clédia Flores Da Silva (PPGNA)
    5. Eduarda Bierhals (PPGV)
    6. Fabiana K Seixas (docente)
    7. Fernando Meyer (IB)
    8. Juliane Bristot (PPGBBio)
    9. Laura Dias(PPG Microbiologia e Parasitologia)
    10. Leonardo Ribeiro (PPGV)
    11. Nadálin Yandra Botton (PPGV)
    12. Niele Silva Souza (PPGBiotec)
    13. Sibele Borsuk (docente)
    14. Thalia de Souza do Amaral Lemos (Biotec)
  • Orientações para utilização de laboratórios e atividades de pesquisa durante a pandemia

    Considerando as orientações do Comitê Interno para Acompanhamento da Evolução da Pandemia pelo Coronavírus da UFPel;

    Considerando a necessidade e a importância da manutenção de atividades de pesquisa essenciais, mesmo diante da suspensão das atividades acadêmicas na UFPel.

    Em relação a pesquisas envolvendo o uso de laboratórios e/ou coleta de dados em trabalhos de campo, a PRPPGI vem a público informar que:

    1. Atividades de pesquisa em laboratórios ou trabalhos de campo somente poderão ocorrer nas seguintes situações:
    a) Projetos em andamento, cuja suspensão acarretaria perda irreversível de experimentos e prejuízo irreparável ao andamento do projeto.
    b) Projetos de pesquisa que estejam direta ou indiretamente relacionados a pandemia de COVID-19.

    2. Recomendamos fortemente PRUDÊNCIA a fim de utilizar os espaços de laboratórios nos projetos em questão, respeitando-se as seguintes medidas:
    a) Uso obrigatório de máscaras e higienização constantes das mãos com água e sabão ou álcool gel por parte dos pesquisadores.
    b) Higienização constante dos laboratórios, com especial cuidado com as bancadas e materiais de uso compartilhado.
    c) Organização do espaço garantindo o distanciamento mínimo de 2 metros entre pesquisadores e o uso de todos os equipamentos individuais de proteção indicados.
    d) Os pesquisadores devem seguir as normas de etiqueta respiratória. Ao tossir ou espirrar cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço – em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos. Evitar levar as mãos ao rosto durante o trabalho.
    e) Fixação de cartazes com as normas de funcionamento do laboratório durante o período de pandemia.

    3. Os docentes pesquisadores responsáveis devem estar a par de todas as atividades de pesquisa realizadas, mantendo informada a direção e/ou a coordenação do programa de pós-graduação sobre o andamento e as pessoas envolvidas nas atividades;

    4. Atividades de pesquisa em laboratórios ou trabalhos de campo que não se enquadram no item 1 devem ser paralisadas. O mesmo ocorre para projetos de pesquisa não iniciados até o momento e não relacionados à pandemia.

    5. A presença de estudantes de graduação ou pós-graduação, sejam ou não bolsistas, em ambientes laboratoriais é facultada aos bolsistas. Não configura prática aceitável que pesquisadores obriguem a discentes a realizar atividades em laboratórios ou em campo.

    6. Recomenda-se fortemente que atividades remotas sejam realizadas/mantidas neste período. Assim, estimula-se que orientadores trabalhem com seus orientandos em redação científica, revisões de literatura (sistemáticas ou não), análise e interpretação de dados já coletados, dentre várias outras possibilidades de atividades científicas que não demandam contato físico entre pesquisadores, especialmente para alunos de iniciação científica e iniciação tecnológica.

    7. Recomenda-se que os coordenadores dos laboratórios e grupos de pesquisa tenham por princípio a organização do trabalho contando com equipe mínima e, em caso de colaboradores com sintomas gripais, que procedam ao afastamento dos mesmos por no mínimo 14 dias.

    A PRPPGI está monitorando junto ao comitê interno de acompanhamento a evolução da pandemia na região e poderá dar novas orientações quando julgar necessário.

    Informações e monitoramento: comite.covid-19@ufpel.edu.br

  • Aviso aos usuários

    Prezados usuários, devido à situação atual, a gestão do Biotério Central decide que, a partir de segunda-feira, 27 de abril de 2020, a entrada só será permitida ao usuário se este estiver usando máscara.

    Contamos com a compreensão de todos neste momento.

  • CURSO DE CAPACITAÇÃO EM USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

     

     

    Venha participar do primeiro “Curso de Capacitação em Uso e Manejo de Animais de Laboratório da Universidade Federal de Pelotas”, uma promoção do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção (PPGBBio) do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos (CCQFA) em parceria com o Biotério Central da UFPel.

    De acordo com a tendência internacional de uso e cuidado de animais de laboratório, o Brasil se alinha quanto às normas éticas e de qualificação de pessoal (alunos, pesquisadores, veterinários responsáveis e bioteristas) que direta ou indiretamente manipulam ou utilizam animais em seus protocolos experimentais. Desta forma, o objetivo do curso é difundir e atualizar conceitos e protocolos de pesquisa que envolvam o uso de animais, além de discutir a gestão de criação e manutenção de diferentes modelos animais em biotérios, e seu uso ético em protocolos de pesquisa. Além do uso de roedores na pesquisa, um módulo sobre modelos alternativos também será apresentado durante este evento (Zebrafish, Drosophila melanogaster e Caenorhabditis elegans).

     

    MÓDULO TEÓRICO (certificação de 25h):

    Quando? de 13 a 17 abril de 2020 no turno da manhã.

    Onde? Auditório da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM), Campus Capão do Leão, UFPel, Av. Eliseu Maciel s/n.

    Data de inscrições: 03 a 13 de março de 2020 (a conta para transferência do valor de inscrição será fornecida no site do evento).

    Valores: R$ 60 para graduandos, R$ 100 para pós-graduandos e R$ 200 para professores, alunos de pós-doutorado e outros profissionais.

     

     

    MÓDULO PRÁTICO (certificação de 5h):

    Informamos que, devido a limitação de espaço físico na sala de procedimentos do Biotério Central, as aulas práticas do curso “Capacitação em Uso e Manejo de Animais de Laboratório da UFPel” serão destinadas, inicialmente, a alunos de pesquisadores usuários do Biotério Central. Existe a possibilidade de que ocorra um módulo prático adicional, em breve mais informações sobre esta modalidade.

    Valor: R$ 20

    Inscrições: de 03 a 13 de março

    Turmas já confirmadas 1, 2 ou 3: dias 14, 15 ou 16 de abril – tarde

    Onde: Biotério Central da UFPel

    Médica veterinária responsável técnica: Anelize C. Felix

     

    VAGAS LIMITADAS!

    Site: https://bit.ly/2HKoTfw

    Email: capacitacaobioterioufpel@gmail.com

    Instagram: https://bit.ly/32lnjds

     

    Confirme presença no evento para ficar por dentro de todas as informações:

    https://www.facebook.com/events/674147586724463/

     

    Atenciosamente,

    Equipe organizadora do evento.

  • Biotério Central da UFPel participa da primeira reunião da REBIOTÉRIO em Brasília

    Em 2019, o Biotério Central da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) passou a integrar a Rede Nacional de Biotérios de Produção de Animais para Fins Científicos, Didáticos e Tecnológicos (REBIOTÉRIO), entidade ligada ao Conselho Nacional para Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). No dia 24 de maio, a chefia do Biotério Central, representada pelas professoras Ethel Antunes Wilhelm e Márcia Foster Mesko, e o vice-reitor Luís Centeno do Amaral participaram da primeira reunião com os representantes dos biotérios associados à REBIOTERIO, no Edifício Sede do CNPq em Brasília – DF.

    Nesta reunião foram apresentados os objetivos da REBIOTERIO, bem como um breve histórico de apoio para estruturação dos biotérios em nível nacional. Além disso, todos os biotérios associados à Rede realizaram uma sucinta apresentação reportando a atual estrutura. Após, foi iniciada uma discussão sobre as ações para a consolidação da Rede, primando pelo bem-estar animal e visando aprimorar a produção de animais com qualidade para atender a demanda nacional.

    De acordo com a chefe do setor, Ethel Antunes Wilhelm, a associação do Biotério Central à Rede é uma importante conquista para a UFPel, uma vez que dos 123 biotérios brasileiros que solicitaram o cadastramento na rede, apenas 26 foram aprovados. Destes 26, apenas 03 são do estado do Rio Grande do Sul (Biotério Central da Universidade Federal de Pelotas – UFPel, Centro de Modelos Biológicos Experimentais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC/RS e Centro de Reprodução e Experimentação de Animais de Laboratório da Universidade Federal do Rio Grande do Sul -UFRGS).

    A professora Ethel ressalta que a associação subsidiará a elaboração de políticas públicas que preconizam a otimização da produção animal, bem como a aplicação de princípios éticos em consonância com os princípios de redução e refinamento na utilização de animais em experimentação científica.

    A participação na reunião possibilitou a apresentação das condições atuais do Biotério Central da UFPel e sua capacidade de produção. Também foi possível evidenciar a necessidade de um aporte financeiro para a manutenção e melhorias no setor. O Biotério Central é uma estrutura de extrema relevância para o desenvolvimento científico e tecnológico da UFPel, onde alunos de graduação e pós-graduação desenvolvem suas pesquisas, as quais têm impactado significativamente na sociedade e recebido destaque em nível nacional e internacional, ressalta a professora Márcia Foster Mesko, chefe adjunta do Biotério Central e atual coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção da UFPel.

    De acordo com Márcia, a gestão do Biotério Central tem buscado aprimorar cada vez mais o padrão de qualidade da produção de animais para melhor atender aos pesquisadores. Márcia destaca que a intenção da atual gestão é de promover o Biotério Central da UFPel a patamares de referência nacional em termos de qualidade de produção e bem-estar animal. Os gestores do Biotério Central ressaltam que contam com o apoio institucional para alcançar este lugar de destaque, mas que ainda será necessário muito trabalho e dedicação de toda a equipe, embora enfatizem que as primeiras conquistas já tenham sido alcançadas.

  • Nova Normativa

    Estão vigentes as novas normativas para uso de animais programados e espaço físico do Biotério Central. Estas normativas foram aprovadas pelo Comitê Gestor do Biotério Central em reunião ocorrida no dia 06/06/2019.

    NORMAS DE EXPERIMENTAÇÃO DO BIOTÉRIO CENTRAL

  • Seleção para bolsista

    Após seleção realizada no dia 11/04/2019, o Biotério Central torna público a classificação dos candidatos a bolsa do Programa de Desenvolvimento Institucional (link abaixo). Solicitamos que o candidato David Moser Borges de Almeida compareça na secretaria do Biotério Central, na segunda-feira, dia 15/04/2019, às 9 horas, com os documentos solicitados no edital para implementação da bolsa (item 7).

    classificação

  • Seleção para Bolsista

    Está disponível no link abaixo a lista de candidatos homologados e não homologados, bem como o cronograma de entrevistas para a seleção de Bolsista de Desenvolvimento Institucional para atuar na secretaria do Biotério Central. As entrevistas terão início amanhã, dia 11/04/2019, às 14h20min.
    Local: Biotério Central, prédio 44, Capão do Leão.

    homologações e cronograma de entrevistas