Início do conteúdo
Histórico

Histórico

O Biotério da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) foi fundado na década de 1980, por iniciativa de um grupo de professores do Departamento de Fisiologia e Farmacologia, do Instituto de Biologia, tendo como objetivo principal suprir as necessidades de animais para pesquisa desse departamento. Com o passar dos anos, em decorrência do crescimento de pesquisas envolvendo o uso de animais, o biotério cresceu, com o objetivo de atender as necessidades de outras unidades da UFPel. No ano de 1991, o Biotério deixou de ser departamental e passou a fazer parte do Gabinete do Reitor e, recentemente, esteve sob a responsabilidade da Faculdade de Medicina Veterinária. No ano de 2017, o Biotério Central passou a ser administrado pela Vice-Reitoria da UFPel.

Com o intuito de aprimorar o gerenciamento das atividades do Biotério Central, em 2018 foi criado um Comitê Gestor (Portaria UFPel nº 128, de 24 de janeiro de 2018), o qual é constituído por representantes dos Programas de Pós-Graduação da UFPel, usuários da estrutura desta unidade, bem como pelo médico veterinário responsável técnico. O processo de planejamento, execução e controle das atividades do Biotério é realizado junto ao Vice-Reitor, o Comitê Gestor, a chefia e seus funcionários.

O Biotério Central é uma unidade multiusuária da UFPel e atende as demandas de pesquisadores oriundos de diversos Programas de Pós-Graduação. Atualmente, os animais produzidos atendem aos Programas de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção, Biotecnologia, Educação Física, Nutrição, Odontologia, Parasitologia, Química, Veterinária e Zootecnia, pertencentes às diversas unidades acadêmicas da UFPel. O Biotério Central da UFPel é um setor multidisciplinar que atende em torno de 40 projetos por ano, fornecendo roedores que são utilizados em pesquisas desenvolvidas internamente.

Em 2019, o Biotério Central da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) passou a integrar a Rede Nacional de Biotérios de Produção de Animais para Fins Científicos, Didáticos e Tecnológicos (REBIOTÉRIO), entidade ligada ao Conselho Nacional para Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) (http://cnpq.br/rebioterio-apresentacao).

Quadro 1. Contribuição do Biotério Central à Missão e à Visão da UFPel

UFPel Biotério Central
Missão Promover a formação integral e permanente do profissional, construindo o conhecimento e a cultura, comprometidos com os valores da vida com a construção e o progresso da sociedade. Integrar os diferentes setores da UFPel envolvidos em experimentação com o uso de roedores, através de um sistema capaz de propiciar os meios para que o ensino, a pesquisa, a extensão, ocorram em condições de excelência acadêmica e de valorização da vida em todas as suas práticas, com o compromisso de afirmar o primado da ética sobre a técnica. Proporcionar suporte no fornecimento e na manutenção de animais de laboratório para o desenvolvimento da pesquisa e atividades de ensino e extensão da UFPel.
Visão A UFPel será reconhecida como universidade de referência pelo comprometimento com a formação inovadora e empreendedora capaz de prestar para a sociedade serviços de qualidade, com dinamismo e criatividade.

Ser um Centro de apoio à pesquisa que utiliza animais de laboratório, seguindo os mais atuais preceitos éticos e científicos. Ser um disseminador da cultura da excelência na prestação de serviços de apoio ao ensino e pesquisa e ser referência nacional em seus processos de gestão.

 

    Notícias
  • Orientações para utilização de laboratórios e atividades de pesquisa durante a pandemia

    Considerando as orientações do Comitê Interno para Acompanhamento da Evolução da Pandemia pelo Coronavírus da UFPel;

    Considerando a necessidade e a importância da manutenção de atividades de pesquisa essenciais, mesmo diante da suspensão das atividades acadêmicas na UFPel.

    Em relação a pesquisas envolvendo o uso de laboratórios e/ou coleta de dados em trabalhos de campo, a PRPPGI vem a público informar que:

    1. Atividades de pesquisa em laboratórios ou trabalhos de campo somente poderão ocorrer nas seguintes situações:
    a) Projetos em andamento, cuja suspensão acarretaria perda irreversível de experimentos e prejuízo irreparável ao andamento do projeto.
    b) Projetos de pesquisa que estejam direta ou indiretamente relacionados a pandemia de COVID-19.

    2. Recomendamos fortemente PRUDÊNCIA a fim de utilizar os espaços de laboratórios nos projetos em questão, respeitando-se as seguintes medidas:
    a) Uso obrigatório de máscaras e higienização constantes das mãos com água e sabão ou álcool gel por parte dos pesquisadores.
    b) Higienização constante dos laboratórios, com especial cuidado com as bancadas e materiais de uso compartilhado.
    c) Organização do espaço garantindo o distanciamento mínimo de 2 metros entre pesquisadores e o uso de todos os equipamentos individuais de proteção indicados.
    d) Os pesquisadores devem seguir as normas de etiqueta respiratória. Ao tossir ou espirrar cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço – em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos. Evitar levar as mãos ao rosto durante o trabalho.
    e) Fixação de cartazes com as normas de funcionamento do laboratório durante o período de pandemia.

    3. Os docentes pesquisadores responsáveis devem estar a par de todas as atividades de pesquisa realizadas, mantendo informada a direção e/ou a coordenação do programa de pós-graduação sobre o andamento e as pessoas envolvidas nas atividades;

    4. Atividades de pesquisa em laboratórios ou trabalhos de campo que não se enquadram no item 1 devem ser paralisadas. O mesmo ocorre para projetos de pesquisa não iniciados até o momento e não relacionados à pandemia.

    5. A presença de estudantes de graduação ou pós-graduação, sejam ou não bolsistas, em ambientes laboratoriais é facultada aos bolsistas. Não configura prática aceitável que pesquisadores obriguem a discentes a realizar atividades em laboratórios ou em campo.

    6. Recomenda-se fortemente que atividades remotas sejam realizadas/mantidas neste período. Assim, estimula-se que orientadores trabalhem com seus orientandos em redação científica, revisões de literatura (sistemáticas ou não), análise e interpretação de dados já coletados, dentre várias outras possibilidades de atividades científicas que não demandam contato físico entre pesquisadores, especialmente para alunos de iniciação científica e iniciação tecnológica.

    7. Recomenda-se que os coordenadores dos laboratórios e grupos de pesquisa tenham por princípio a organização do trabalho contando com equipe mínima e, em caso de colaboradores com sintomas gripais, que procedam ao afastamento dos mesmos por no mínimo 14 dias.

    A PRPPGI está monitorando junto ao comitê interno de acompanhamento a evolução da pandemia na região e poderá dar novas orientações quando julgar necessário.

    Informações e monitoramento: comite.covid-19@ufpel.edu.br

  • Aviso aos usuários

    Prezados usuários, devido à situação atual, a gestão do Biotério Central decide que, a partir de segunda-feira, 27 de abril de 2020, a entrada só será permitida ao usuário se este estiver usando máscara.

    Contamos com a compreensão de todos neste momento.

  • CURSO DE CAPACITAÇÃO EM USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

     

     

    Venha participar do primeiro “Curso de Capacitação em Uso e Manejo de Animais de Laboratório da Universidade Federal de Pelotas”, uma promoção do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção (PPGBBio) do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos (CCQFA) em parceria com o Biotério Central da UFPel.

    De acordo com a tendência internacional de uso e cuidado de animais de laboratório, o Brasil se alinha quanto às normas éticas e de qualificação de pessoal (alunos, pesquisadores, veterinários responsáveis e bioteristas) que direta ou indiretamente manipulam ou utilizam animais em seus protocolos experimentais. Desta forma, o objetivo do curso é difundir e atualizar conceitos e protocolos de pesquisa que envolvam o uso de animais, além de discutir a gestão de criação e manutenção de diferentes modelos animais em biotérios, e seu uso ético em protocolos de pesquisa. Além do uso de roedores na pesquisa, um módulo sobre modelos alternativos também será apresentado durante este evento (Zebrafish, Drosophila melanogaster e Caenorhabditis elegans).

     

    MÓDULO TEÓRICO (certificação de 25h):

    Quando? de 13 a 17 abril de 2020 no turno da manhã.

    Onde? Auditório da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM), Campus Capão do Leão, UFPel, Av. Eliseu Maciel s/n.

    Data de inscrições: 03 a 13 de março de 2020 (a conta para transferência do valor de inscrição será fornecida no site do evento).

    Valores: R$ 60 para graduandos, R$ 100 para pós-graduandos e R$ 200 para professores, alunos de pós-doutorado e outros profissionais.

     

     

    MÓDULO PRÁTICO (certificação de 5h):

    Informamos que, devido a limitação de espaço físico na sala de procedimentos do Biotério Central, as aulas práticas do curso “Capacitação em Uso e Manejo de Animais de Laboratório da UFPel” serão destinadas, inicialmente, a alunos de pesquisadores usuários do Biotério Central. Existe a possibilidade de que ocorra um módulo prático adicional, em breve mais informações sobre esta modalidade.

    Valor: R$ 20

    Inscrições: de 03 a 13 de março

    Turmas já confirmadas 1, 2 ou 3: dias 14, 15 ou 16 de abril – tarde

    Onde: Biotério Central da UFPel

    Médica veterinária responsável técnica: Anelize C. Felix

     

    VAGAS LIMITADAS!

    Site: https://bit.ly/2HKoTfw

    Email: capacitacaobioterioufpel@gmail.com

    Instagram: https://bit.ly/32lnjds

     

    Confirme presença no evento para ficar por dentro de todas as informações:

    https://www.facebook.com/events/674147586724463/

     

    Atenciosamente,

    Equipe organizadora do evento.

  • Biotério Central da UFPel participa da primeira reunião da REBIOTÉRIO em Brasília

    Em 2019, o Biotério Central da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) passou a integrar a Rede Nacional de Biotérios de Produção de Animais para Fins Científicos, Didáticos e Tecnológicos (REBIOTÉRIO), entidade ligada ao Conselho Nacional para Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). No dia 24 de maio, a chefia do Biotério Central, representada pelas professoras Ethel Antunes Wilhelm e Márcia Foster Mesko, e o vice-reitor Luís Centeno do Amaral participaram da primeira reunião com os representantes dos biotérios associados à REBIOTERIO, no Edifício Sede do CNPq em Brasília – DF.

    Nesta reunião foram apresentados os objetivos da REBIOTERIO, bem como um breve histórico de apoio para estruturação dos biotérios em nível nacional. Além disso, todos os biotérios associados à Rede realizaram uma sucinta apresentação reportando a atual estrutura. Após, foi iniciada uma discussão sobre as ações para a consolidação da Rede, primando pelo bem-estar animal e visando aprimorar a produção de animais com qualidade para atender a demanda nacional.

    De acordo com a chefe do setor, Ethel Antunes Wilhelm, a associação do Biotério Central à Rede é uma importante conquista para a UFPel, uma vez que dos 123 biotérios brasileiros que solicitaram o cadastramento na rede, apenas 26 foram aprovados. Destes 26, apenas 03 são do estado do Rio Grande do Sul (Biotério Central da Universidade Federal de Pelotas – UFPel, Centro de Modelos Biológicos Experimentais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC/RS e Centro de Reprodução e Experimentação de Animais de Laboratório da Universidade Federal do Rio Grande do Sul -UFRGS).

    A professora Ethel ressalta que a associação subsidiará a elaboração de políticas públicas que preconizam a otimização da produção animal, bem como a aplicação de princípios éticos em consonância com os princípios de redução e refinamento na utilização de animais em experimentação científica.

    A participação na reunião possibilitou a apresentação das condições atuais do Biotério Central da UFPel e sua capacidade de produção. Também foi possível evidenciar a necessidade de um aporte financeiro para a manutenção e melhorias no setor. O Biotério Central é uma estrutura de extrema relevância para o desenvolvimento científico e tecnológico da UFPel, onde alunos de graduação e pós-graduação desenvolvem suas pesquisas, as quais têm impactado significativamente na sociedade e recebido destaque em nível nacional e internacional, ressalta a professora Márcia Foster Mesko, chefe adjunta do Biotério Central e atual coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção da UFPel.

    De acordo com Márcia, a gestão do Biotério Central tem buscado aprimorar cada vez mais o padrão de qualidade da produção de animais para melhor atender aos pesquisadores. Márcia destaca que a intenção da atual gestão é de promover o Biotério Central da UFPel a patamares de referência nacional em termos de qualidade de produção e bem-estar animal. Os gestores do Biotério Central ressaltam que contam com o apoio institucional para alcançar este lugar de destaque, mas que ainda será necessário muito trabalho e dedicação de toda a equipe, embora enfatizem que as primeiras conquistas já tenham sido alcançadas.

  • Nova Normativa

    Estão vigentes as novas normativas para uso de animais programados e espaço físico do Biotério Central. Estas normativas foram aprovadas pelo Comitê Gestor do Biotério Central em reunião ocorrida no dia 06/06/2019.

    NORMAS DE EXPERIMENTAÇÃO DO BIOTÉRIO CENTRAL

  • Seleção para bolsista

    Após seleção realizada no dia 11/04/2019, o Biotério Central torna público a classificação dos candidatos a bolsa do Programa de Desenvolvimento Institucional (link abaixo). Solicitamos que o candidato David Moser Borges de Almeida compareça na secretaria do Biotério Central, na segunda-feira, dia 15/04/2019, às 9 horas, com os documentos solicitados no edital para implementação da bolsa (item 7).

    classificação

  • Seleção para Bolsista

    Está disponível no link abaixo a lista de candidatos homologados e não homologados, bem como o cronograma de entrevistas para a seleção de Bolsista de Desenvolvimento Institucional para atuar na secretaria do Biotério Central. As entrevistas terão início amanhã, dia 11/04/2019, às 14h20min.
    Local: Biotério Central, prédio 44, Capão do Leão.

    homologações e cronograma de entrevistas

  • Horário de Funcionamento

    Comunicamos aos nossos usuários que o horário de atendimento ao público é das 8h30 às 17h30.