Prodic na Fenadoce 2019

Prodic em ação na cidade de Pelotas:   pesquisa e extensão do curso de Veterinária, apresentada pela Josaine Rappeti e os alunos, Pâmela Caye – residente da cirurgia do Hospital Veterinário – e Luã Borges Iepsen – graduando de Veterinária. Segundo a Prof.ª Josaine, o grupo Prodic (Projeto integrado de pesquisa e extensão Dioctophyme Renale em cães e gatos), criado em 2012, envolve alunos de todos os níveis: graduação, pós-graduação e residência e, inclusive, pós-doutorado. O grupo, por um lado, desenvolve investigação sobre o parasito que dá nome ao trabalho, e por outro, preocupa-se com a divulgação que o verme provoca, a Dioctofimatose. A importância do parasito, popularmente conhecido como “Verme Gigante do Rim”, está nesta doença que acarreta a destruição do rim do hospedeiro, cão ou gato e como zoonose, pode atacar a saúde humana. Josaine destacou o surpreendente dado de que Pelotas e região é a zona com maior número de casos positivos diagnosticados no mundo. A informação que a Prof.ª ressalta é de que a infecção não ocorre através do cão e do gato, e sim pela ingestão de peixe de água doce contaminado, ou, ainda, da própria água contaminada. A apresentação do grupo, portanto, é de interesse da população em geral, sobretudo porque vivemos em uma região de muita pesca, com áreas de alagamento e imensa quantidade de cães errantes e semi-domiciliados, que acabam tendo papel fundamental na disseminação da doença através da eliminação dos ovos desse verme pela urina. Desse modo, a informação veiculada pelos estudantes em oportunidades de grande circulação de pessoas, como a Fenadoce, é a de tornar a doença, suas formas de infecção e de prevenção conhecidas, além de indicar como é possível reconhecer nos animais os sinais clínicos. Para atingir o objetivo, o aprendizado de como se comunicar com um público não especializado é importante e o trabalho de extensão acaba desenvolvendo esta habilidade nos alunos. E, considerando que a comunicação se estabelece de muitos modos e com diferentes meios, os estudantes acabam gerando recursos criativos que aproximam o conteúdo e favorecem a compreensão do que está sendo apresentado. O Prodic pode ser acessado pelo Facebook, Instagram e no site da UFPel.

PRODIC EM ATIVIDADE!

No dia 03 de maio do presente ano, o grupo participou de uma atividade de extensão para a comunidade, a qual foi apresentado para as crianças do Centro de Referência em Assistência Social de
Pelotas (CRAS – Pelotas) meios para o controle da dioctofimatose. Contando com
apresentações lúdicas da verminose, assim como uma conversa com as crianças a respeito da
Posse Responsável de animais, reforçando a ideia de respeito aos animais e combate aos maus
tratos.
O CRAS – Pelotas desenvolve atividades recreativas e interativas para a comunidade,
servindo para integrar e dar suporte a famílias, com assistência social e psicológica à
disposição. A atividade do dia teve como objetivo, então, conscientizar e informar sobre
formas corretas de como tratar os animais, dando noções do que é a posse responsável e
como aplicá-la, contribuindo também para a situação dos animais em relação à qualidade de
vida.
A explicação do ciclo de infecção do Verme Gigante do Rim decorreu em forma de
teatro interativo, sendo demonstradas as apresentações clínicas, formas de infecção e de
tratamento. Com tudo isso, o PRODIC se sente realizado por poder passar a comunidade os
conhecimentos adquiridos com o grupo, para assim melhorar a situação endêmica encontrada
na região.

Projeto de Pesquisa do PRODIC procura cães com dioctofimatose!

A doença causada pelo verme gigante do rim, Dioctophyme renale, continua sem um tratamento farmacológico específico. Até o momento, nenhuma medicação foi comprovadamente eficaz na morte do verme. É por isso que durante o ano de 2019 o PRODIC desenvolverá um Projeto de Pesquisa com o objetivo de realizar tratamento dos cães com a doença.

 

 

Para a participação, é necessário que o cão preencha alguns critérios:

– Cães adultos (fêmeas ou machos) com Dioctophyme renale; 
– Eliminando ovos do parasito na urina;
– Que possam ser acompanhados e tratados durante 15 dias para, depois,passarem pela cirurgia, que é o tratamento oficial da doença.

O projeto não inclui a consulta inicial e os exames de diagnóstico da doença realizados no Hospital de Clínicas Veterinárias da UFPel. Porém, para aqueles que participarem do estudo, haverá valores reduzidos no procedimento cirúrgico.

A participação só será válida após a avaliação do paciente.

Quer mais informações?
Entre em contato com a Pâmela Caye, residente do HCV – UFPel e responsável pela pesquisa.

E-mail: pamiscaye@gmail.com
(53) 98113-3214 (Whatsapp)

Prodic nas Escolas

Aos 13 dias do mês de novembro, o Grupo do PRoDic realizou palestras para algumas turmas do ensino fundamental na Escola Rafael Brusque na Colônia Z3.

Estiveram presentes diversos alunos que aprenderam um pouco sobre o ciclo de contaminação de Animais domésticos pelo Dioctophyme Renale (Verme Gigante do Rim).

A apresentação das palestras ficaram a cargo de: Vitória Gausmann e Soliane Perera que demostraram destreza e sabedoria ao informar a comunidade de como podem previnir a contaminação de seus animais domésticos e também de seus vizinhos.

A equipe do PRODIC agradece a todos os envolvidos, em especial ao Willian Azaro e a SMED – Secretaria Municipal de Educação e Desporto – por abrir as portas das Escolas do Município de Pelotas para a realização dessas palestras.

Realizada Primeira Vídeocirurgia Veterinária no HCV

No dia 22 de outubro de 2018, foi realizado o primeiro procedimento cirúrgico veterinário por vídeocirurgia no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal de Pelotas (HCV – UFPel). O grupo PRODIC, coordenado pela Profª. Drª. Josaine Rappeti da Faculdade de Veterinária -UFPel, em parceria com a equipe do Prof. Maurício Veloso Brun da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), realizaram a cirurgia renal em um cão para remoção de Dioctophyme renale do rim direito.

O paciente foi encaminhado para o HCV com o diagnóstico de dioctofimatose em outubro de 2018 e, ao realizar o exame de ultrassonografia abdominal, foi constatada estrutura renal viável no rim parasitado por D. renale, possibilitando a remoção do helminto pelo procedimento de nefrotomia. Com este resultado, a Profª. Drª. Josaine Rappeti e o Prof. Maurício Brun uniram suas equipes e organizaram o procedimento. Todo o instrumental videocirúrgico foi trazido da UFSM pelo Professor Maurício. Desse modo, o procedimento anestésico ficou a cargo do professor Dr. Martielo Gehrcke, também professor da Faculdade de Veterinária – UFPel.

A cirurgia foi um sucesso e o paciente se encontra saudável, com rápida recuperação pós-operatória. O procedimento foi inovador no HCV – UFPel, proporcionando grande aprendizado aos envolvidos.

A equipe do PRODIC agradece a todos os envolvidos, em especial à equipe do Prof. Dr. Maurício Brun, ao tutor do paciente atendido o prof. Dr. Rodrigo Serpa pela confiança na equipe e o Hospital de Clinicas Veterinária – UFPEL por abrir as portas para a realização desse procedimento.

 

PRODIC apoia o 1º SIMPÓSIO ESTADUAL DE DIOCTOFIMATOSE: DESAFIOS E PERSPECTIVA

Nos dias 27 e 28 de setembro de 2018 o PRODIC em conjunto com o LAPASIL E FITOPEET realizaram o I Simpósio Estadual da Dioctofimatose: Desafios e Perspectivas no Auditório do IFSul, Pelotas – RS. O evento teve ênfase na dioctofimatose, uma parasitose em ascensão na região sul do Rio Grande do Sul, e contou com diversos palestrantes nacionais e internacionais a fim de esclarecer as mais diversas peculiaridades sobre Dioctophyme renale.

O Simpósio foi um grande sucesso com o interesse dos graduandos, pós-graduandos e profissionais em aprender ainda mais sobre a dioctofimatose, uma zoonose tão importante p para a saúde humana e animal.

                                                      Apoio

                                          

A equipe do Prodic estará esclarecendo dúvidas sobre a dioctofimatose no campus do Capão do Leão!

Eliminação de Dioctophyme renale pela urina em canino com dioctofimatose em rim esquerdo e cavidade abdominal – Primeiro relato no Rio Grande do Sul

O Dioctophyme renale, nosso tão falado VERME GIGANTE DO RIM, afeta muito mais do que apenas o rim. Você sabia?

 

Hoje o PRODIC trás um caso, atendido pela equipe do Hospital de Clínicas Veterinárias da UFPel, de um paciente canino que foi levado para atendimento após eliminar TRÊS VERMES JUNTO COM A URINA. Como isso é possível? Em alguns casos, o parasito se encontra na bexiga e sai do corpo do hospedeiro, através da uretra, juntamente com a urina.

Durante a consulta, foi possível avaliar que se tratava de uma cadela, SRD e com 12kg, magra e com as mucosas pálidas. Exames de sangue mostraram que a mesma estava com grave anemia, infecção e com a função dos rins bastante afetada. Um exame de ultrassom (ecografia) revelou que a paciente tinha exemplares de Dioctophyme renale livres na cavidade abdominal e também no rim ESQUERDO. O rim direito mostrava alterações, sugestivas de que ali já havia estado um dos parasitos, possivelmente eliminado pela urina.

 

Imagens ultrassonográficas dos exemplares de Dioctophyme renale no interior do rim esquerdo
(A) e na cavidade abdominal (B) do paciente canino.

 

A paciente foi internada para tratamento e estabilização, até que pudesse ser submetida a uma cirurgia para tratamento da parasitose. Imediatamente antes do procedimento cirúrgico, um novo ultrassom foi realizado, onde as alterações observadas anteriormente se mantinham, no entanto, não havia mais a presença de um verme no interior do rim esquerdo. Acredita-se que a paciente tenha eliminado o parasito.

Iniciado o procedimento cirúrgico, foi possível remover 23 parasitos que estavam livres na cavidade abdominal, sendo 16 machos e 7 fêmeas. No transcirúrgico, tornou-se evidente o quadro de peritonite, causado pela migração dos parasitos e presença de ovos de D. renale na cavidade abdominal.

 

Vinte e três exemplares de Dioctophyme renale removidos cirurgicamente da cavidade abdominal do
paciente canino.

 

Após dias de internamento hospitalar e cuidados intensivos no tratamento, a paciente recuperou-se do procedimento. A presença de D. renale no rim esquerdo e na cavidade abdominal causa danos severos aos órgãos parasitados, sendo o tratamento cirúrgico fundamental para a recuperação dos pacientes. Apesar de rara, a eliminação de parasitos pela urina pode ocorrer em infestações parasitárias renais.

 

Fonte: S.C. Perera, J.C.S. Rappeti, V. Milech, F.A. Braga, G.A.O. Cavalcanti, C.C. Nakasu, L. Durante, P. Vives, M.B. Cleff. Eliminação de Dioctophyme renale pela urina em canino com dioctofimatose em rim esquerdo e cavidade abdominal – Primeiro relato no Rio Grande do Sul. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.69, n.3, p.618-622, 2017

PRODIC JÁ BENEFICIOU 43 CÃES DA ONG A4!

 

No próximo domingo (24/09/2017) acontecerá uma nova ação beneficente com os animais da ONG A4 – Associação dos Amigos dos Animais Abandonados. Serão realizados dez novos atendimentos clínicos e dez cirurgias de castração, no Hospital de Clinicas Veterinária – UFPel. As ações realizadas anteriormente já beneficiaram 43 animais da ONG A4.

Em edições passadas, a equipe do PRODIC e voluntários do HCV-UFPel, juntamente com professores da Faculdade de Veterinária, proporcionaram atendimento clínico e exames complementares aos pacientes. Dentre os exames realizados, lista-se ultrassom, hemograma e bioquímicos. Quando necessário, procedimentos cirúrgicos foram realizados nos animais. Além disso, os 43 animais foram microchipados pela equipe.

O PRODIC realizou diversas cirurgias com o apoio do Hospital de Clinicas Veterinária proporcionando qualidade de vida aos animais. As cirurgias realizadas foram castrações, com o objetivo de controle populacional da espécie; nefrectomias e nefrotomia para tratamento da dioctofimatose; e laparotomia exploratória em casos especiais.

A ONG, localizada no Capão do Leão – RS, fundada oficialmente em 2009, é composta de pessoas preocupadas com os animais. Hoje a A4 tem sob sua guarda mais de 500 animais, muitos dos quais precisando de frequente assistência veterinária. Para mais informações acesse http://www.a4amigos.com/site/

 

Mais um dia de sucesso no tratamento de cães da ONG A4!

No último sábado, dia 5 de agosto de 2017, o PRODIC, com apoio da equipe médica do Hospital de Clínicas Veterinária da Universidade Federal de Pelotas, incluindo professores, médicos-veterinários, médicos-veterinários residentes, laboratoristas e  estudantes de graduação e pós-graduação, realizou novamente atendimento aos animais albergados pela ONG A4 – Associação dos Amigos dos Animais Abandonados.

Neste dia, novos dez pacientes foram atendidos pela equipe de Clínica Médica, sendo microchipados e passando por consulta clínica, para o diagnóstico e tratamento de diversas enfermidades. Ao mesmo tempo, 12 pacientes atendidos no dia 24 de junho foram trazidos novamente aos HCV-UFPel, para realização de diversas especialidades cirúrgicas, como castração de fêmeas e machos e tratamento da dioctofimatose, causada pelo verme do rim.

Toda a equipe PRODIC fica extremamente feliz por poder ajudar os animais da ONG A4 e acredita que esta parceria continuará rendendo bons frutos. Em nota oficial, a ONG A4 se reportou demonstrando muita felicidade nesta parceria. Em pequeno trecho, Eliane Diniz comenta:

“… por ora quero registrar o que sinto, agradeço a Deus por permitir que, entre as dores físicas e as penalidades psicológicas a que tenho sido exposta, o fato de ter realizado um sonho de mais de 20 anos – ver os cães serem tratados com respeito, carinho e com todo amor que pude observar sendo emitido pelos participantes desse projeto-piloto – afirmo que, apesar de cada batalha se mostrar quase impossível de ser vencida, tudo está valendo a pena! Meu muito obrigada a todos, Eliane Diniz.”

Professora Dra. Josaine Rappeti, coordenadora do PRODIC – Projeto Dioctophyma renale em cães e gatos – realizando tratamento cirúrgico dos pacientes da ONG A4.

Agradecemos enormemente à professora Eliane Diniz pela exaustiva dedicação e esforço com os cuidados dos nossos pacientes. Ao professor Dr. Carlos Eduardo Wayne Nogueira por colaborar com a iniciativa e ceder, de forma tão bonita, todas as instalações do HCV-UFPel para a realização dos trabalhos. Aos demais envolvidos, seja com a ONG ou com a realização dos trabalhos dentro do Hospital, nosso mais sincero agradecimento. Além disso, agradecemos também a todos os participantes do I DIOCTOFIMATOSE EM FOCO, pois os pacientes com dioctofimatose tiveram o tratamento custeado com o valor arrecadado durante o ciclo. Sem vocês, nada disso seria possível!

“Coisas pequenas tornam-se grandes quando feitas com amor”