Confira todas as atividades realizadas pelo PET-DT:

Retratando com carinho: Os programas de educação tutorial proporcionam um espaço que vai além da esfera ensino-aprendizagem, permitindo assim, articular projetos que estejam inseridos e contribuindo também no âmbito social e afetivo. Neste sentido, utilizar a fotografia como ferramenta – esta que tem o papel de guardar momentos e contar histórias a partir dos afetos despertados no instante da captura otimiza a aproximação com o real e auxilia para que novas histórias sejam contadas a partir das imagens.

COACHING: treinamento de base: Em um momento a cada dia com mais dificuldade para se ingressar no mundo de trabalho é importante que a Universidade proponha programas de treinamento dos seus alunos.

Oficina de Leitura: Trata-se de uma oficina com crianças da educação infantil, com foco na relação texto e imagem, bem como nas descobertas, que podem surgir com a leitura.

Projeto de pesquisa: o tema da sexualidade nas escolas: Trata-se de uma pesquisa para investigar como o tema sexualidade tem sido abordado nas escolas, especialmente nas séries iniciais.

Participação no projeto Escola da Inclusão da UFPel:  Inserção no projeto da Escola de Inclusão, através da sua  coordenação e também do oferecimento de cursos.  A proposta de uma escola de inclusão foi pensada por um grupo de pais e amigos de jovens e adultos, com algum tipo de deficiência, que procurou a UFPel solicitando um espaço  permanente dentro das instalações da Universidade. Estes jovens, em sua maioria com mais de 25 anos, não encontravam em outras instituições a possibilidade de continuarem seus estudos e socialização, tendo em vista a idade mais avançada, por isso a ideia de criação do projeto junto à Universidade.

Construção de vídeos sobre a diversidade e tolerância: Construção de uma série de vídeos tratando questões de diversidade e tolerância presentes no ambiente acadêmico e na sociedade em geral.

Atividade – Universo da Água: Oficina sobre a importância da água, tendo em vista a necessidade de utilizá-la de forma correta para que sempre a tenhamos.

Oficina de Oratória e de apresentação em público: A oficina foi realizada com êxito e os resultados já puderem ser percebidos em alguns eventos nos quais os alunos participaram, tendo em vista que a apresentação que propuseram foi bem mais dinâmica.

Diversidade na UFPel: as novas formas de inclusão e exclusão trazidas pelo SiSU: O projeto de pesquisa guarda-chuvas foi desenvolvido, em especial, com relação a alguns cursos de graduação relacionados aos  etianos. Foram apresentados trabalhos especialmente na Semana Integrada da UFPel.  Dados sobre os cursos também vem sendo utilizados nos jornais do PET, intitulado Conectando saberes.

Oficinas de francês para crianças: O objetivo foi propiciar o ensino e aprendizagem do francês, língua estrangeira, em nível básico, para os alunos do primeiro ciclo do ensino fundamental, integrando, nesse processo de aprendizagem, questões que elucidam a diversidade linguístico-cultural, através de atividades lúdico-educativas.

Oficina de Sensações: A oficina teve a intenção de anular brevemente a visão do participante, com o propósito de despertar outros sentidos, como o tato, o olfato, a audição. Acredita-se que a dinâmica pode oportunizar uma nova leitura de mundo, através da reflexão “como é viver sem enxergar”.

Oficina sobre o Currículo Lattes: A oficina é realizada uma vez por semestre pela tutora, com o objetivo de discutir as produções efetivadas pelo grupo, bem como preencher o currículo de forma adequada.

Oficina de produção de leituras: As oficinas pretendem estabelecer um vínculo mais efetivo entre a comunidade acadêmica e a comunidade escolar, visando propagar a discussão do tema “Diversidade e Tolerância”, através de leituras diversificadas, como de livros de literatura, filmes, imagens, além de outros recursos audiovisuais e multimídia.

Oficinas de História Oral: A metodologia de História Oral vem sendo trabalhada por várias disciplinas, visando à construção de narrativas. Como a tutora ministra aulas sobre a temática, faz oficinas, as quais debatem temas como a memória, a identidade e os gêneros da história oral: temática, de vida e tradição oral.

Oficina de História de Pelotas para crianças: A atividade de ensino proposta teve a intenção de trabalhar com os alunos da Sociedade Espírita Dona Conceição (situada no bairro Porto, na cidade de Pelotas), a história de Pelotas, através de materiais produzidos por historiadores locais como o professor, recentemente falecido, Mario Osorio Magalhães.

Oficina de práticas desportivas e recreativas: O objetivo foi o de desenvolver atividades físicas com foco na cooperação e não na competitividade.

Oficina Armandinho Todos os Dias: Utilizando tirinhas do Armandinho foram trabalhados com as crianças temas como: amizade, preconceitos, racismo, coisas simples do dia-a-dia; não estacionar na vaga reservada, sustentabilidade e assim por diante.

Oficina de Metodologia Científica: Trata-se de uma oficina, com o intuito de instrumentalizar os petianos para a escrita de artigos científicos e sua posterior publicação.

Oficina Lendo para/com as crianças mitos e lendas do folclore brasileiro: Através da leitura de mitos e lendas do folclore brasileiro foi trabalhada a diversidade regional. Enquanto a leitura e o entendimento foram realizados, elementos linguísticos de cada região eram introduzidos e apresentados.

Oficina Sou mais eu: Atividade de extensão voltada às escolas de periferia da cidade de Pelotas, visando discutir o preconceito racial.

Oficina Bullying não é brincadeira: O projeto “Bullying não é brincadeira” pretendeu fazer uma reflexão com as crianças sobre estes atos de preconceito, procurando esclarecer que algumas “brincadeiras” não são saudáveis e podem prejudicar muito, tanto a vítima quanto o agressor, se não for considerada.

Atividade: Leitura em Língua Francesa: Voltada para a leitura em língua francesa foram trabalhados textos autênticos. A ideia foi a de se aprender a ler em francês, sem que se detenha demasiado tempo no vocabulário desconhecido. A atividade foi destinada aos petianos e também aos demais universitários interessados.

Projeto Banco de Tênis: O objetivo do projeto era possibilitar que crianças e adolescentes das classes menos favorecidas tivessem um tênis. Este tênis, além de proporcionar que se exercitassem com segurança e conforto, supriria a carência quanto à falta de calçados para os dias de frio.