Início do conteúdo
    Notícias
  • Núcleo realiza cine-debate sobre Marighella

    No dia 26/11, o NUPPOME realizou o Cine-Debate “Marighella: 50 anos, uma memória da resistência”.

    A atividade foi pensada como uma forma de fomentar o debate e a reflexão sobre a trajetória de Carlos Marighella, militante de esquerda que participou de diferentes momentos da história política brasileira ao longo do Século XX e cujo assassinato, cometido pelo aparato repressivo da ditadura, completou 50 anos em novembro de 2019.

    Marighella foi uma das principais figuras da resistência à ditadura no país. Era comunista e negro. A atividade, neste sentido, além de ser realizada no mês em que se completaram 50 anos de seu assassinato, ocorre no mês da Consciência Negra.

    Foi exibido para os/as presentes o documentário “Marighella” (Brasil, 2012, 96 min.). O Cine-Debate foi realizado no auditório da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pelotas (FAURB|UFPel) e contou com a presença de estudantes de diferentes cursos de graduação.

  • Coordenador do NUPPOME participa de atividades na UNIVASF, Campus Juazeiro

    Entre os dias 18 e 22 de novembro, o prof. Carlos Artur Gallo, Coordenador do Núcleo, participou de um conjunto de atividades realizadas durante a 8a. Semana Acadêmica das Ciências Sociais da Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF, Campus Juazeiro (Bahia).

    Na tarde do dia 18/11, fez parte de uma roda de conversa coletiva de lançamento de livros. Na ocasião, foi apresentada pelo professor a coletânea “No rastro das transições: perspectivas sobre memória, verdade e justiça no Cone Sul e no Sul da Europa” (Pelotas: Editora da UFPel, 2019).

    No dia 20/11, à noite, participou da mesa “Desdemocratização, qualidade da democracia e autoritarismo: perspectivas sobre o Brasil e Cone Sul” proferindo a palestra “Políticas de memória, negacionismo e desdemocratização: um panorama dos países do Cone Sul”. A mesa foi mediada pela professora Simone Piletti Viscarra e contou, também com a participação da professora Helga Almeida, ambas da UNIVASF.

    Na manhã do dia 22/11, último dia do evento, ministrou o Mini-Curso “Políticas de memória: entre a teoria e a prática”.

  • Atividades alusivas aos 40 anos da anistia são realizadas em Pelotas com o apoio do NUPPOME

    Além do Seminário “Anistia: 40 anos de uma luta inacabada”, ocorrido em setembro de 2019, outras atividades alusivas à passagem dos 40 anos da edição da Lei da Anistia foram realizadas em Pelotas com o apoio do NUPPOME.

    Nesse sentido, no dia 14/10 foi realizada a mesa “Memórias da Anistia no Brasil”. A atividade foi mediada pelo prof. Enrique Serra Padrós (UFRGS) e contou com a presença de Maria Amélia de Almeida Teles, Criméia de Schmidt de Almeida e Suzana Keniger Lisbôa, todas integrantes da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos – CFMDP.

    O evento foi realizado no CEHUS – UFPel, foi promovido numa parceria do Grupo de Estudos sobre a Ditadura Brasileira e do Instituto Mario Alves – IMA, e foi apoiado pelo NUPPOME, pelo Grupo Emancipação e pelos Programas de Pós-Graduação em História (UFPel) e Política Social e Direitos Humanos (UCPel).

    Além da mesa referida, o NUPPOME também apoiou a organização da Exposição “Anistia: um passado presente?”, que ficou disponível para visitação na galeria central do Mercado Central de Pelotas entre os dias 28/10 e 11/11.

    Organizada pelas historiadoras Ananda Simões Fernandes (Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul) e Tatyana de Amaral Maia (PUCRS), entre agosto e setembro a exposição ficou disponível para visitação no Memorial do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

    Em Pelotas, organizam/apoiaram a exposição: o Núcleo de Pesquisa sobre Políticas de Memória – NUPPOME, o Grupo de Estudos Sobre a Ditadura Brasileira, o Instituto Mario Alves, o Grupo Emancipação, os Programas de Pós-Graduação em História e Ciência Política (UFPel) e de Política Social e Direitos Humanos (UCPel).

    Em Pelotas, a exposição recebeu o apoio cultural da Secretaria Municipal de Cultura – SECULT e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Cooperativas da Alimentação de Pelotas.

  • Bolsista do Núcleo apresenta trabalho na Semana Acadêmica das Ciências Sociais / UFPel

    No dia 06/11, Laura Feijó de Souza (PVIP/UFPel), bolsista voluntária do Núcleo, participou da Semana Acadêmica das Ciências Sociais / UFPel. No evento, a estudante apresentou o trabalho intitulado “Breve análise do cotidiano dos legados autoritários: a militarização nas favelas do Rio de Janeiro”. A pesquisa que deu origem ao trabalho apresentado encontra-se em andamento.

  • Pesquisadores do NUPPOME participam de atividades acadêmicas no país e no exterior

    Recentemente, integrantes da equipe de pesquisadoras/es do NUPPOME participaram de atividades acadêmicas realizadas no Brasil e no exterior.

    Entre os dias 21 e 25/10, o professor Bruno Boti Bernardi (UFGD) participou do 43o. Encontro Anual da ANPOCS, realizado em Caxambu, Minas Gerais. No evento, o professor participou, entre outras atividades, da coordenação do SPG “Memória, verdade e justiça no Brasil: trajetória de uma política fracassada?”, coordenado conjuntamente com o prof. Christian Schallenmüller (UFRGS).

    Em 05/11, o professor Andrés Del Río (UFF) participou de uma atividade na Cidade do México, fazendo um panorama sobre a justiça de transição no Uruguai.

    Entre os dias 05 e 07/11, a professora Tatyana de Amaral Maia (PUCRS) coordenou, conjuntamente com o professor Diorge Alceno Konrad (UFSM), o Simpósio Temárico – ST “Ditaduras de Segurança Nacional, transições e redemocratização do Brasil”. O ST foi realizado no âmbito do II Congresso Internacional de História – CIHIS, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e realizado na cidade de Santa Maria (RS).

  • Estudantes do Núcleo apresentam trabalhos na SIIEPE / UFPel

     

    Nos dias 22 e 23/10/2019, estudantes do NUPPOME apresentaram resultados parciais de suas pesquisas na 5a. Semana Integrada de Inovação, Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Pelotas – SIIEPE / UFPel.

    Na manhã do dia 22/10, Genaro da Silva Ribeiro, estudante de mestrado em Ciência Política vinculado ao Núcleo, apresentou seu trabalho, sobre a transição à democracia no Paraguai e no Brasil, na 21ª Edição do Encontro de Pós-Graduação (ENPOS).

    Na manhã do dia 23/10, Caio Paglis Marques Plácido (PVIP/UFPel), Isabela Rodrigues do Nascimento (PROBIC/FAPERGS), Laura Feijó de Souza (PVIP/UFPel) e Pedro Henrique Correia de Andrade (PVIP/UFPel), todos/as bolsistas do Núcleo, apresentaram seus trabalhos na 28ª Edição do Congresso de Iniciação Científica (CIC) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

    Os trabalhos apresentados pelos/as bolsistas do NUPPOME no CIC estão vinculados ao projeto de pesquisa “Políticas de memória em perspectiva comparada”, e continham dados parciais sobre Argentina, Brasil e Chile.

  • Núcleo realiza Seminário “Anistia: 40 anos de uma luta inacabada”

    A imagem pode conter: 1 pessoa, área internaA imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, sapatos, barba e área internaA imagem pode conter: uma ou mais pessoas e área interna

    Entre os dias 26 e 27/09 foi realizado, na Universidade Federal de Pelotas, o seminário “Anistia: 40 anos de uma luta inacabada”. O evento foi organizado pelo NUPPOME, teve apoio do CNPq, do PPG Ciência Política e do Grupo de Estudos sobre a Ditadura Brasileira.

    Em dois dias de atividades, ocorreram duas mesas para debater o impacto da Lei da Anistia no passado e no presente, bem como foi realizada uma sessão comentada de exibição do documentário “Eu me lembro”, produzido pela Comissão da Anistia.

    Para as mesas, contamos com a presença de Mariluci Cardoso de Vargas, que realiza pós-doutorado em História na UFRGS, Bruno Boti Bernardi, professor da UFGD e integrante do NUPPOME, e Vanessa Dorneles Schinke, professora da UNIPAMPA.

    Na mesa de abertura, realizada na noite do dia 26/09, a professora Mariluci Cardoso de Vargas abordou a trajetória do Movimento Feminino Pela Anistia (MFPA). Na noite do dia 27/09, a mesa focou nos desdobramentos da luta pela anistia no país, sendo realizadas duas falas. Na primeira delas, o professor Bruno Boti Bernardi abordou a forma como o tema da anistia vem sendo trabalhado no âmbito do Sistema Interamericano de Direitos Humanos (SIDH). Na sequência, a professora Vanessa Dorneles Schinke falou sobre o julgamento da ADPF 153 pelo Supremo Tribunal Federal.

    A qualidade das mesas, o público presente e os debates realizados atestam que, longe de ser um tema do passado, refletir sobre a anistia e suas consequências é desejável e necessário.

    Em breve, a emissão dos certificados das/os ouvintes será encaminhada junto à Instituição.

    A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e área internaA imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas, mesa e área internaA imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

  • Coordenador do Núcleo palestra na UFSM

    A imagem pode conter: 1 pessoa, barba, óculos e área interna A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas, tela, mesa, escritório e área interna

    Na quinta-feira passada, dia 19/09, o prof. Carlos Artur Gallo, coordenador do NUPPOME, esteve na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), participando do segundo dia de atividades de um evento alusivo aos 40 anos da edição da lei da anistia no Brasil.

    Na atividade, realizada pelo curso de Ciências Sociais da UFSM, o prof. Carlos Artur Gallo participou de uma mesa com o prof. Gilvan Dockhorn.

    Foi debatida, pelos presentes, a forma como a lei da anistia foi editada no contexto da transição, sendo observados e discutidos os seus impactos na atual conjuntura.

  • Núcleo realiza web-conferência sobre políticas de memória no Chile

    A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sentadas e área interna A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna

    Na tarde do dia 11 de setembro, e, para falar sobre a forma como o Chile lidou com as demandas por memória, verdade e justiça desde o final da ditadura no país, foi realizada a Web-Conferência “Políticas de memoria y justicia de transición en Chile: un panorama” com a participação do professor Boris Hau, pesquisador estrangeiro vinculado ao Núcleo.

    Boris Hau é Mestre em Direitos Humanos e Governança pela Universidad Autónoma de Madrid (UAM), integrante do Observatorio de Justicia Transicional da Universidad Diego Portales (UDP) e professor da Universidad Alberto Hurtado (UAH). Nos últimos anos, vem pesquisando temas relacionados às políticas de memória implementadas no Chile, tendo escrito artigos e capítulos de livro publicados em revistas e obras editadas em diversos países.

    A atividade foi realizada pelo Núcleo de Pesquisa sobre Políticas de Memória da UFPel e contou com a presença de estudantes das Ciências Sociais, do Direito e da História, além de estudantes de diversos programas de Pós-Graduação e demais interessados pelo tema.

  • Pesquisadores do Núcleo participam de eventos sobre os 40 anos da Lei da Anistia

    Na quarta-feira passada, dia 28/08, completaram-se 40 anos da edição da Lei 6.683/1979, popularmente conhecida como a “Lei da Anistia”. Diversas atividades alusivas à passagem dos 40 anos da publicação da lei estão/estarão realizadas no país ao longo deste semestre.

    Para tratar do tema, abordando o impacto da norma no passado, no presente, e, também, no futuro do país, participaram de atividades realizadas em São Paulo e em Porto Alegre, respectivamente, os professores Bruno Boti Bernardi (UFGD) e Carlos Artur Gallo (UFPel), ambos pesquisadores vinculados ao NUPPOME.

    No seminário internacional “Os 40 anos da anistia e o legado das ditaduras na América Latina”, realizado em São Paulo entre os dias 26 e 28 de agosto, o professor Bruno Boti Bernardi partitipou da mesa “A anistia, o direito internacional e o STF”.

    A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna Nenhuma descrição de foto disponível.

    No ciclo de conferências “Anistia: um passado presente?”, realizado em Porto Alegre entre os dias 27 e 30 de agosto, o professor Carlos Artur Gallo participou da mesa “A lei de anistia e a justiça de transição no Brasil”.

    A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas Nenhuma descrição de foto disponível.