Entrevista_ Charles Guilbert

Les inquiets: uma das obras literárias de Charles Guilbert

Encerramos este primeiro ciclo de entrevistas com curadores em Montreal com Charles Guilbert. Curador independente, professor com graduação em arte, mestrado em literatura, músico, videomaker, artista plástico, poeta e crítico abordou a curadoria a partir da perspectiva do curador produtor. Guilbert realizou inúmeras curadorias para exposições no Cégep du Vieux Montréal (Collége d’enseignement général et professionnel), de onde é professor. Para Charles Guilbert um curador é alguém que realiza um evento, que faz escolhas e seleções e também interage e se integra com seu meio buscando compreender o impacto de suas ações sobre esse meio. A partir de sua prática e formação, Guilbert é alguém capaz de pensar a curadoria a partir de pontos de vista diversos e complementares.

Para mais informações sobre Charles Guilbert: http://www.charlesguilbert.ca/

Entrevista_ Gilles Daigneault e Margarida Mafra

No último dia de entrevistas em Montreal para o projeto “Perspectivas contemporâneas em curadoria” encontramos Gilles Daigneault e Margarida Mafra, que nos apresentaram a Fontation Molinari, relataram sua rotina de trabalho e como funciona a atividade curatorial nesse contexto específico. Gilles Daigneault é um reconhecido crítico de arte e profundo conhecedor da obra de Guido Molinari (1933-2004), um dos mais importantes artistas de Montreal e do Canadá. A sede da Fontation Molinari é num imóvel que abrigava seu ateliê, no térreo, e residência, no andar superior. Tendo em vista que o interesse e função primeira deste espaço é a perpetuação da memória do artista, a documentação de sua vida e obra e difusão de sua arte e da arte contemporânea, a atividade curatorial, voltada inicialmente a uma perspectiva monográfica, também busca estabelecer diálogo entre Molinari e outros artistas, sejam artistas atuantes, a partir, por exemplo de um programa de residências previsto na criação da Fontation, seja a partir de artistas históricos cujas obras dialogam com Molinari, ou artistas convidados por Daigneault e Margarida Mafra. Margarida Mafra nasceu em Portugal e vive em Montreal onde trabalha na Fondation Molinari. Mais que uma assistente, Mafra acompanha e divide com Daigneault a própria gestão da Fontation. Com formação em História da Arte em Lisboa, fez estudos complementares na École du Louvre, em Paris, e atuou na Fundação Calouste Gulbenkian, também em Lisboa. Iniciou sua atividade na Fondation Molinari para a realização do Catálogo raisonée e hoje realiza atividades relacionadas ao programa de exposições, à conservação das obras, às atividades educativas e visitação, às itinerância e ao acompanhamento e cotação das obras do artista no mercado de arte. Além das residências e exposições com outros artistas a Fondation Molinari também convida curadores para a realização de projetos e exposições.

Para maiores informações sobre a Fondation Molinari: https://fondationguidomolinari.org/

Entrevista_ Serge Murphy

Desenhos do artista curador canadense Serge Murphy, durante a visita ao ateliê.

Serge Murphy se define como um artista curador ou como um curador artista. Nos recebeu na tarde de 14 de novembro de 2019 em seu ateliê em Montreal e relatou experiências como artista, curador e pesquisador junto a UQAM (Université du Québec a Montréal). A atuação de Murphy como curador remonta a sua formação em artes quando, ainda como estudante, organizou a Galerie Parallèle, um importante espaço alternativo para artistas e estudantes. Desde então acompanha e atua intensamente na cena artística quebequoise, seja como artista, como curador ou como ativista cultural. Apesar da intensa atuação de Murphy como curador, considera-se primeiramente um artista e, desse ponto de vista, afirma que uma das principais qualidades que deve ser destacada num curador é sua capacidade de entendimento, compreensão e diálogo profundo com o artista.

Para maiores informações sobre o artista curador:  www.sergemurphy.com