ENSINO

  O Curso de Nutrição está organizado para ser desenvolvido em quatro anos e estruturado em oito semestres letivos, tendo como período máximo seis anos, podendo o aluno concluir em menor período. Semestralmente são oferecidas 55 vagas cujo preenchimento é feito por meio do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM / Sistema de Seleção Unificada – SISU e PAVE.
O currículo pleno do curso é de 3204 horas. Destas 2791 horas são destinadas à Formação Específica, 200 horas à Formação Complementar e 230 horas à Formação Livre, estando de acordo com o parecer CNE/CES n. 213 de 2008.
A inserção dos temas relacionados à educação ambiental, de direitos humanos e de relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana, ocorre de forma transversal e interdisciplinar ao longo do curso e como conteúdos específicos nas disciplinas de Ecologia e Saneamento Ambiental, Psicologia, Geografia e Economia Aplicada à Nutrição, Sociologia e Ação Comunitária e Ética Profissional. Existindo a inter-relação dos referidos conteúdos com diversas temáticas tanto da área básica como da área profissionalizante do curso, entendendo a sua importância no processo formativo do nutricionista não somente como profissional, mas como ser humano e político.
As atividades curriculares do Curso de Nutrição, segundo a Resolução do COCEPE nº14, de 28 de outubro de 2010 que dispõe sobre o regulamento de ensino de graduação e no Artigo 40, compreendem três dimensões formativas: Formação Específica, Formação Complementar e Formação Livre ou Opcional.
a) Formação Específica
Compreende as disciplinas obrigatórias, os estágios curriculares obrigatórios e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC I e TCC II).
As disciplinas estão dispostas em núcleo básico e núcleo profissionalizante e estão relacionadas com todo o processo saúde-doença do cidadão, da família e da comunidade, integrado à realidade epidemiológica e profissional, proporcionando a integralidade das ações do cuidar em nutrição. Dessa forma, de acordo com a Resolução CES/CNE nº5/2001, os conteúdos contemplam:
I – Ciências Biológicas e da Saúde – incluem-se os conteúdos de bases
moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função dos tecidos, órgãos, sistemas e aparelhos;
II – Ciências Sociais, Humanas e Econômicas – inclui-se a compreensão dos determinantes sociais, culturais, econômicos, comportamentais, psicológicos, ecológicos, éticos e legais, a comunicação nos níveis individual e coletivo, do processo saúde-doença;
III – Ciências da Alimentação e Nutrição – Inclui:
a) compreensão e domínio de nutrição humana, dietética e terapia nutricional – capacidade de identificar as principais patologias de interesse da nutrição, de realizar avaliação nutricional, de indicar a dieta adequada para indivíduos e coletividades, considerando a visão ética, psicológica e humanística da relação nutricionista-paciente;
b) conhecimento dos processos fisiológicos e nutricionais dos seres humanos – gestação, nascimento, crescimento e desenvolvimento, envelhecimento, atividades físicas e desportivas, relacionando o meio econômico, social e ambiental; e
c) abordagem da nutrição no processo saúde-doença, considerando a influência sociocultural e econômica que determina a disponibilidade, consumo, conservação e utilização biológica dos alimentos pelo indivíduo e pela população.
IV – Ciências dos Alimentos – incluem-se os conteúdos sobre a composição, propriedades e transformações dos alimentos, higiene, vigilância sanitária e controle de qualidade dos alimentos.
b) Formação Complementar
A Formação Complementar caracterizando-se como espaço-tempo de realização das atividades relacionadas ao Ensino, Pesquisa e Extensão, preservando a proporcionalidade de 1/3 para cada tipo de atividade realizada.
São atividades complementares os conhecimentos adquiridos pelo
estudante, mediante estudos e práticas independentes, presencias e/ou à distância. As atividades complementares curriculares serão disciplinadas neste documento que estabelece a sua pontuação e critérios de aproveitamento.
A carga horária das atividades complementares (200 horas no mínimo) deverá preferencialmente, ser distribuída ao longo do curso, envolver o ensino, a pesquisa e a extensão e não poderá ser preenchida com um só tipo de atividade.
É de exclusiva responsabilidade do aluno:
 O preenchimento da carga horária mínima de atividades complementares, através de atividades de sua escolha, respeitadas as disposições deste regulamento.
 A adequada comprovação das atividades realizadas através de documentação idônea, que será arquivada, em pasta individual na Secretaria do Colegiado de Curso.
 A apresentação até o final do sétimo semestre, de relatório final de atividades à apreciação do Colegiado de Curso, para fins de registros e inclusão no histórico escolar.
São atividades complementares e deverão ser avaliadas pelo Colegiado:
– RELACIONADAS AO ENSINO:
1. MONITORIAS/BOLSAS DE GRADUAÇÃO: Realizada nos departamentos que oferecem disciplinas para o currículo pleno do Curso de Nutrição até 100 horas no total. O aproveitamento dependerá do recebimento por parte do colegiado do certificado de conclusão de monitoria e/ou bolsa.
2. PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS, SEMINÁRIOS, PALESTRAS, CONGRESSOS, CONFERÊNCIAS, CURSOS DE ATUALIZAÇÃO, JORNADAS, OFICINA DE ESTUDOS, ENCONTROS CIENTÍFICOS, ENCONTROS ESTUDANTIS E SEMANAS ACADÊMICAS: Até 50 horas no máximo como ouvinte. Apresentação oral ou palestra 20 horas cada e pôster 10 horas cada, podendo totalizar 40 horas.
3. GRUPOS DE ESTUDO NA FORMA DE PROJETO DE ENSINO: Máximo de 100 horas. O grupo deve ser supervisionado e/ou orientado ou coordenado por
professor. O aluno deve apresentar relatório do estudo, com referências bibliográficas, frequência e parecer do professor.
4. DISCIPLINAS CURSADAS EM OUTROS DEPARTAMENTOS E/OU INSTITUIÇÕES CONSIDERADAS ÚTEIS PARA A FORMAÇÃO DO NUTRICIONISTA: até 50 horas para aquelas disciplinas que não foram consideradas como optativas e que podem contribuir no conhecimento do profissional nutricionista.
5. PARTICIPAÇÃO EM PROJETOS OU PROGRAMAS INSTITUCIONAIS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS): até 100 horas por projeto.
6. CURSO DE IDIOMAS: Até 80 horas de limite máximo. Estes cursos devem ter sido realizados durante a vida universitária do aluno;
– RELACIONADAS À EXTENSÃO:
1. PARTICIPAÇÃO EM PROJETOS DE EXTENSÃO: até 100 horas, no cômputo geral. O aproveitamento dependerá, do recebimento por parte do colegiado do relatório do aluno com a avaliação do professor orientador e comprovação de ser em projetos aprovados pela UFPel e ou institucionais.
– RELACIONADAS À PESQUISA:
1. PARTICIPAÇÃO EM PROJETOS DE PESQUISA: Até 100 horas, no cômputo geral. Cada atividade deverá ter uma carga horária mínima de 40 horas. O aproveitamento dependerá do recebimento por parte do colegiado do relatório do aluno com a avaliação do professor orientador.
2. TRABALHOS PUBLICADOS: artigo publicado ou aceito em periódicos (40 horas cada). Outros trabalhos em eventos científicos (no máximo 60 horas). Trabalho completo (30 horas cada), resumo expandido (30 horas cada) e 20 horas para cada resumo simples. O colegiado avaliará o trabalho e a comprovação do aluno.
– PARTICIPAÇÃO EM DIRETÓRIO ESTUDANTIL, REPRESENTAÇÃO EM DEPARTAMENTO E OUTROS ÓRGÃOS COLEGIADOS: Até 50 horas.
c) Formação Livre ou opcional
As atividades de formação livre ou opcional (230 horas no mínimo) podem ser desenvolvidas durante toda a vida acadêmica do aluno. As atividades são de livre autonomia do aluno, com possibilidade de trânsito de horas excedentes entre complementares e livres, desde que não haja duplicação de carga horária para a mesma atividade. Cabe ao colegiado apreciar as solicitações de validação das atividades realizadas pelos acadêmicos. Estas atividades serão computadas em horas e não em créditos, pela não obrigatoriedade do caráter disciplinar das mesmas.
O Colegiado busca garantir, a cada semestre, dois a três turnos livres para que os acadêmicos possam cursar atividades complementares e livres ou opcionais.
Estão englobadas nesta modalidade de formação:
– disciplinas optativas:
São consideradas disciplinas optativas para o Curso de Graduação em Nutrição:
I – disciplinas optativas do Departamento de Nutrição,
II – disciplinas de outros Departamentos das demais Unidades da UFPel,
III – disciplinas cursadas em outras Instituições de Ensino Superior (IES) e
O aluno que cursar disciplinas de outros departamentos e/ou em outras IES e quiser aproveitá-las como optativas, deverá após obter aprovação, encaminhar ao Colegiado do Curso de Nutrição o pedido formal. Se aprovado o pedido o Colegiado enviará o processo aos órgãos competentes.
As disciplinas optativas oferecidas pelo departamento de Nutrição podem ser cursadas em qualquer fase do curso, desde que cumpridos os pré-requisitos.
As Disciplinas optativas que não pertencerem ao Departamento de Nutrição deverão ser cursadas até o 6o semestre do Curso.
A disciplina de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) é uma disciplina de formação geral e segue legislação pertinente, sendo de responsabilidade do Departamento de Letras (UFPel), podendo ser cursada em qualquer semestre do curso desde que ofertada pelo departamento de origem.
– horas excedentes das atividades complementares (sem duplicação de carga horária);
– Programas Ciência sem Fronteiras e de Mobilidade Acadêmica;
– demais atividades que não estejam diretamente voltadas para a Nutrição.
Os casos omissos serão resolvidos pelo Colegiado de Curso.
Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)
O Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Nutrição está de acordo com o regulamento do ensino de graduação da UFPel, em seus artigos 56 e 57. Está organizado em duas disciplinas obrigatórias, Trabalho de Conclusão de Curso I, com 34 horas e Trabalho de Conclusão de Curso II com 68 horas.
Estas disciplinas consistem da elaboração e execução de um projeto de TCC, utilizando-se da metodologia e da bagagem científica adquirida ao longo da sua vida acadêmica, demonstrando que é capaz de pensar criticamente, organizar ideias, analisar problemas, aprofundar estudo teórico sobre o tema escolhido, propor investigação, realizar o projeto idealizado, analisar os dados encontrados considerando os estudos existentes sobre o tema, concluindo o trabalho com pensamento crítico.
Estágio Curricular
Conforme a Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008, “estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e
adultos”. O estágio visa ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho.
O estágio poderá ser obrigatório ou não obrigatório:
Estágio obrigatório – é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção de diploma.
Estágio não obrigatório – é aquele desenvolvido como atividade opcional, acrescida à carga horária regular e obrigatória, dentro das atividades complementares ou livres.
Os estágios obrigatórios e não obrigatórios estão de acordo com a Lei nº 11.788 de 25 de setembro do ano de 2008, Orientação Normativa nº 7 de 30 de novembro de 2008, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e à Resolução nº 04 de 08 de junho de 2009, do Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão – COCEPE, UFPel.
No curso de Nutrição de Pelotas – UFPel os estágios obrigatórios representam 29% da carga horária total do curso e correspondem a 918 horas, sendo realizados nos dois últimos semestres do curso (7º e 8º), com atividades eminentemente práticas com a supervisão de nutricionista e orientação de professor em diversos locais e realizadas, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Nutrição, em três áreas de atuação e competência do nutricionista, cada um com 306 horas:
1. Nutrição clínica: Estágio em Coletividade Enferma
2. Saúde Pública: Estágio em Nutrição e Saúde Pública
3. Alimentação Coletiva: Estágio em Administração de Serviços de Alimentação
O curso de Nutrição possui um Núcleo de Estágios, constituído por professores regentes das disciplinas de Estágios obrigatórios da Faculdade de Nutrição, além de dois representantes discentes, sob a coordenação de um presidente escolhido entre os membros do núcleo, com atribuições para: planejar, estruturar, coordenar e avaliar o desenvolvimento dos estágios do curso de Nutrição, em quaisquer das áreas do Curso. O Núcleo de Estágios possui um regimento próprio, com a finalidade de normatizar os estágios obrigatórios e não obrigatórios. Os estágios obrigatórios frente às suas características específicas apresentam instrumentos próprios de orientação e avaliação para o seu desenvolvimento.