Início do conteúdo

Doutoranda do PPGCEM participa de matéria no Diário Popular

Uma pele artificial a partir da celulose | Geral | Diário Popular

Pesquisa desenvolvida por uma doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) resultou na criação de uma pele artificial a partir de celulose vegetal, extraída de madeiras. O material, que utiliza um gel nanobrilar, pode apresentar custos de produção mais baixos em comparação com peles criadas a partir de outros componentes.

Quando desenvolveu um trabalho com enzimas que contribuem para diminuir em 40% o gasto energético no trabalho mecânico para extrair fibras de madeira. Para a formação do gel, Débora utilizou somente a polpa branca, sem a presença de lignina, que confere tom amarelado ao material. Conforme ela, o gel pode ser utilizado pela indústria em embalagens, tecidos e outras materiais. Com a utilização da técnica, há um aumento de 6% na resistência dos materiais, em relação aos produtos que utilizam o gel sem o tratamento prévio.

Débora lembra que os enxertos de pele utilizados no tratamento de queimaduras ou outras doenças podem ser oriundos da mesma pessoa, para pequenas lesões, de bancos de peles, que são de doadores e podem apresentar elevadas taxas de rejeição, ou feitos à base de componentes como celulose bacteriana, peles de tilápia, porco e outros materiais.

Publicado em 24/03/2020, em Sem categoria.