Arquivo da categoria: Biotecnologia

BR 10 2012 001181 6 PROCESSO DE PREPARAÇÃO DA VACINA CONTRA THEILERIOSE EQUINA E DE KIT DE DIAGNÓSTICO PARA THEILERIOSE EQUINA

PROCESSO DE PREPARAÇÃO DE VACINA CONTRA THEILERIOSE EQUINA E DE KIT DE DIAGNÓSTICO PARA THEILERIOSE EQUINA. A presente invenção pertence ao campo das vacinas contra Theileriose equina mais especificamente, a um processo de preparação de uma vacina de subunidade recombinante (rEMA-1) contra a Theileriose equina, composta pela proteína EMA-1 da superfície do merozoíto de Theileria equi expressa em Pichia pastoris; e a um processo de preparação de um kit de imunodiagnóstico de Theileriose equina, composto pela mesma proteína recombinante (rEMA-1) empregada em testes de ELISA e Dot Blotting. Esse invento pertence ao setor técnico na área de biotecnologia. deste modo, a invenção provê por meio da utilização de rEMA-1: um processo de preparçaão e utilização da vacina de subunidade recombinante; um processo de preparçaão e utilização de um kit de diagnóstico de Theileria equi; A análise da imunogenicidade evidenciou a capacidade dos anticorpos gerados pela imunização de reconhecerem antígenos nativos de T. equi. Os resultados também demonstram que a utilização da rEMA-1 como antígeno em um kit de imunodiagnóstico baseado em ELISA é viável devido a capacidade de discernir entre animais positivos e animais negativos para imunofluorescência, utilizada como técnica padrão para sorologia de Theileria equi.

BR 10 2014 009702 3 MÁQUINA DE SEPARAÇÃO DE IMPUREZAS PARA ANÁLISE E PRÉ-LIMPEZA E/OU LIMPEZA DE GRÃOS E/OU SEMENTES, EM ESCALA LABORATORIAL

A presente invenção consiste em equipamento de ar e peneiras planas, em madeira e/ou metal, que possibilita a remoção de impurezas maiores, menores e bem mais leves do que os grãos e/ou as sementes, através de conjunto de peneiras planas, com dispositivo de controlede inclinação de acordo com o produto que esteja sendo utilizado e o tipo de impurezas a serem retiradas, além de controle e regulagem de fluxo de ar no ventilador. Apresenta resultados comparáveis com os das máquinas encontradas comercialmente. Opera com pequena escala, de 4 a 80 Kg.h-1 de amostras.

PI 1106730-6 TRANSFECÇÃO DE DNA EXÓGENO PARA ESPERMATOZÓIDES USANDO NANOTUBOS DE HALOISITA

presente invenção refere-se à transfecção deDNA exógeno para espermatozóides, e maisparticularmente a transfecção de DNA exógenopara espermatozóides utilizando nanotubos dehaloisita como agente transfectante. A presenteinvenção refere-se ainda à utilização denanotubos de haloisita para transfecção de DNAem espermatozóides sexados, sendo que talprocesso possa ser utilizado numa técnicachamada transferência gênica mediada porespermatozóides a qual será usada parageração de animais transgênicos ou para terapiagênica testicular.

BR 10 2013 029842 5 HIBRIDOMAS “ID-RA” E “ID-RG” SECRETORES DE ANTICORPOS MONOCLONAIS ANTI LIGA E LIGB DE LEPTOSPIRAS PATOGÊNICAS

HIBRIDOMAS “ID-RA” e “ID-RG” SECRETORES DE ANTICORPOS MONOCLONAIS ANTI LIGA E LIGB DE LEPTOSPIRAS PATOGÊNICAS. A presente invenção refere-se a duas linhagens celulares(hibridomas – “ID-Ra” e “ID-Rg”) secretores de anticorpos monoclonais (mAbs) contra a região conservada de LigA e LigB (LigBrep) expressas por leptospiras patogênicas. As linhagens referidas foram obtidas através de fusãocom células de mieloma e secretam mAbs contra LigBrep em sua forma recombinante produzida em sistema de expressão Escherichia coli e contra LigA e LigB nativas. Ainda, a presente invenção refere-se à utilização dos mAbs anti LigA e LigB como ferramentas laboratoriais de imunodiagnóstico para o controle da leptospirose, e mais particularmente em ensaios de imunoquímicos como o western blot (WB), imunofluorescência (IF), imunoprecipitação (IP) e separação imunomagnética (SIM) associada a reação em cadeia da polimerase (SIM-PCR) e ao cultivo celular (SIM-CC).

BR 10 2013 023886 4 SEQUENCIA DE DNA RECOMBINANTE PARA PRODUÇÃO DE LECTINA RECOMBINANTE RHELTUBA EM ESCHERICHIA COLI

A presente invenção refere-se a uma sequência de DNA recombinante sintética para produção da lectina Heltuba de Helianthus tuberosus em células de bactérias transgênicas, e mais particularmente a aplicação desta lectina recombinante no controle de insetos, células tumorais, na proliferação de células, na cicatrização de tecidos e quaisquer outras aplicações da proteína produzida pelo uso da construção a que se refere esta solicitação. Preferencialmente, a presente construção poderá ser utilizada para gerar bactérias transgênicas e/ou qualquer outro organismo transgênico por qualquer método.

PI 0406309-0 B1 PROCESSO DE PRODUÇÃO DE BIOPOLÍMERO TIPO XANTANA, USO DAS BACTÉRIAS Xanthomonas arboricola ou Xanthomonas arboricola pruni E USOS DO BIPOLÍMERO OBTIDO

Refere-se a presente invenção a um processo de produção de biopolímeros tipo xantana, a partir de culturas liofilizadas de cepas bacterianas isoladas de tecidos necrosados de hospedeiros com alto teor de celulose e hemicelulose, em meios nutritivos submersos, submetidos às condições adequadas de crescimento. As cepas desta bactéria apresentam produtividade de biopolímeros de 5,7 a 26,4 g.L^ -1^, e estes apresentam alta viscosidade quando em soluções aquosa com baixa concentração de biopolímeros (0,3 a 4,0%). Os valores de viscosidade encontram-se entre 100 e 4.000 mPa.s e 1.000 e 28.000 mPa.s, na taxa de deformação de 10s^ -1^, para 1% e 3%, respectivamente. No processo de produção, prepara-se o inóculo em meio pré-determinado com baixa concentração de sacarose ou glicose, o qual é submetido à agitação moderada em temperatura de melhor desenvolvimento desta bactéria (15 a 35<198>C); posteriormente, o inóculo é transferido para um meio líquido de fermentação contendo macro e micronutrientes, vitaminas do complexo B, vitamina E e/ou nicotinamida e alta concentração de carboidratos. Este meio é submetido a condições específicas de aeração e agitação, temperatura e controle de pH. Finalmente, após a fermentação ser completada entre 24 e 72h, é feita a separação de células (quando exigida) por centrifugação do meio fermentado; posteriormente, os biopolímeros são insolubilizados, pela adição de sais e solventes orgânicos polares, separados e secos ou secos diretamente quando permitida a presença de células, e pulverizados na granulometria desejada para o uso.

BR 10 2013 019882 0 CONJUGADO rLipL32 DE PICHIA PASTORIS-ISOTIOCIANATO DE FLUORESCEÍNA PARA DIAGNÓSTICO DE LEPTOSPIROSE

A presente invenção refere-se ao conjugado FPA/rLipL32 (proteína recombinante LipL32 produzida em Pichia pastoris ligada a molécula isotiocianato de fluoresceína) para o diagnóstico da leptospirose. O conjugado referido foi produzido para detectar anticorpos contra leptospiras patogênicas. Em particular, o conjugado FPA/rLipL32 é capaz de identificar anticorpos antígeno específicos no soro de animais infectados pelo patógeno através da técnica de polarização da fluorescência (FPA). Portanto, o conjugado FPA/rLipL32 aqui descrito pode ser utilizado para estudos epidemiológicos e em ensaios de imunodiagnóstico da leptospirose.

BR 10 2013 016531 0 CEPA DE BCG PASTEUR AUXOTRÓFICO RECOMBINANTE E SEU USO COMO VACINA CONTRA A TUBERCULOSE BOVINA

Nº DO PEDIDO: BR 10 2013 016531 0
A presente invenção se refere a uma cepa vacinal de Mycobacterium bovis BCG recombinante expressando o antígeno 85B de Mycobacterium bovis (BCG ?leuD-85B). A cepa vacinal da presente invenção é empregada como vacina contra a tuberculose bovina. A cepa vacinal é uma cepa auxotrófica para o aminoácido leucina derivada da cepa BCG Pasteur complementada para leucina após transformação genética com a construção pUP410::fbpB ?kan. A eficácia da cepa para o controle da infecção com Mycobacterium bovis com base na expressão do antígeno 85B recombinante in vivo é demonstrada na presente invenção.