Laboratórios Parceiros

BARBARIDADES MEDIEVAIS

Drive | Instagram

O perfil do Instagram Barbaridades Medievais é um projeto de extensão vinculado ao  Curso de Licenciatura em História da Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM. Nascido em 2019 do estudo e da aproximação com as práticas da História Pública na disciplina História Medieval, o projeto dedica-se a produção de materiais digitais sobre a Idade Média e divulgação científica dos estudos medievais brasileiros, cujo principal objetivo é buscar os recursos disponíveis no  Instagram para promover o ensino de história e o debate sobre os usos e apropriações da Idade Média hoje. O perfil visa também capacitar sua equipe de trabalho  na incorporação de novas metodologias e plataformas digitais, como as redes sociais, nos espaços de aprendizagem formal da História.
Coordenação profa. dra. Claudia Regina Bovo

 

 

DOMINIUM

Instagram |

O Dominium: Estudos sobre Sociedades Senhoriais é um grupo de pesquisa que atua junto ao Programa de Pós-Graduação em História e no Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe. Seu objetivo principal é refletir sobre as relações de poder nas sociedades senhoriais através da análise de documentos produzidos em recortes cronológicos e espaços variados. O grupo tem também como interesse analisar a produção historiográfica do que foi produzido a respeito do tema, levando em consideração as relações de poder às quais estiveram e estão inseridas tais reflexões acadêmicas. Tendo o senhorio como o norte na condução de nossos estudos, o grupo de pesquisa abarca entre seus integrantes pesquisadores e estudantes que trabalham com um amplo enfoque de subtemas preocupados em compreender o impacto que as relações senhoriais possuíam nas sociedades no decorrer da História e como isso vem sendo abordado pela historiografia no passado e no presente.
Coordenação: Prof. Dr. Bruno Álvaro

 

 

GRADALIS

Instagram  | Youtube

O Gradalis – Grupo de Estudos Medievais tem por objetivo desenvolver os estudos medievais no Departamento de História da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Em parceria com outros grupos e pesquisadores, pretendemos fomentar a organização de eventos, cursos, debates, publicações, etc. Para tanto, trabalharemos a partir de três linhas de pesquisa: 1) A Idade Média no Ensino de História; 2) Imaginário, Cultura e Religião na Idade Média; 3) Fontes, temas e métodos para o estudo da Idade Média.
Coordenação: Guilherme Queiroz de Souza

 

 

 

GEHM – Grupo de Estudos em História Medieval – Unimontes

Facebook | Global Medievalism | Instagram 

Fundado no início de 2020, o Grupo de Estudos de História Medieval da Unimontes (GEHM) é uma iniciativa discente que tem como objetivo construir um espaço de leitura e discussão para temas relativos ao período medieval como um todo, englobando os mais diferentes suportes e épocas de produção. O GEHM realiza reuniões semanais conduzidas por intermédio da leitura de textos propostos em seu conteúdo programático. Estudantes e acadêmicos da história, bem como de outras áreas do conhecimento, e demais interessados, são sempre bem-vindos a participar. Em resposta à emergência causada pelo COVID-19, o grupo se viu obrigado a migrar suas atividades para o formato virtual, iniciando assim suas discussões via Hangout. Apesar das muitas dificuldades, essa mudança permitiu que mais pessoas, de todo o Brasil, participassem das reuniões. Abriu-se também a oportunidade, para o grupo, de contar com a presença de convidados internacionais, o que, por sua vez, veio a dar origem a este evento.
Coordenação:

 

 

GRUPO INSULAE

Facebook | Instagram | Site

Insulæ é um grupo de pesquisa brasileiro transdisciplinar e interinstitucional que tem como proposta agregar, de forma inclusiva, pesquisadores/as de várias localidades, dentro e fora do Brasil, que desenvolvem pesquisas sobre a Britânia, a Irlanda e as Ilhas do Arquipélago Norte na Antiguidade e Medievo. Somos o único grupo de pesquisa no momento composto exclusivamente por pesquisadores/as que vêm desempenhando pesquisa sobre o Mundo Insular na Antiguidade e no Medievo, e estamos distribuídos em três linhas de pesquisa centrais. A proposta deste grupo é primeiramente consolidar este campo de estudos no Brasil, fortalecendo assim o apoio mútuo entre os/as pesquisadores/as que atuam na área, facilitando o debate e particularmente visando dar suporte ao público estudantil.
Coordenadora: profa. dra. Isabela Albuquerque e profa. dra. Elaine Farrell

 

 

LAPEHME – Laboratório de Pesquisa e Estudo em História Medieval

Facebook | InstagramSite

O Laboratório de Pesquisas e Estudos em História Medieval (LaPEHMe), pertencente ao Curso de História-Licenciatura, do Campus Jaguarão, da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), está em funcionamento desde 2014 e objetiva a produção de atividades acadêmicas. O Laboratório promove Cine Debate mensal; Ciclo de Palestra bimestral com professores convidados de outras universidades (Deus Lhe Pague); Exposições Virtuais semestrais de Imagens e Textos; Extensões Universitárias semestrais, em parceria com a FACED/UFRGS e com o Grupo de Estudos Medievais VESICA PISCIS; Simpósio anual de História Antiga e Medieval e, seu maior evento, também anual, a Semana Infernal, em parceria com a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O LaPEHMe desenvolve o Projeto de Pesquisa “Livrai-nos do Mal: Estudos sobre Demonologia, Bruxaria, Heresia e Paganismo nas Idades Media e Moderna”, este projeto “guarda-chuva” acolhe os interesses de pesquisas de grande parte de seus discentes integrantes, que recebem orientações para o desenvolvimento de seus Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs).
Coordenador: prof. dr. Edison Bisso Cruxen

 

 

LATHIMM – Laboratório de Teoria e História das Mídias Medievais

Facebook | Instagram | Site | Twitter

Dois focos estruturam a identidade do LABORATÓRIO DE TEORIA E HISTÓRIA DAS MÍDIAS MEDIEVAIS (LATHIMM – USP/UFRJ) em meio aos estudos medievais brasileiros: o estudo da cultura material medieval (traçada em especial nas imagens, na música e na escrita), bem como das ferramentas teóricas mais adequadas ao trabalho com tais documentos históricos. Buscamos, assim, promover o diálogo constante entre a reflexão teórica e a práxis historiográfica no campo específico das mídias medievais. O pressuposto definidor desse trabalho é o de que não há nem independência nem prioridade entre as instâncias teórica e histórica. Ao contrário, diante do perigo da alienação mútua, como lembra Georges Didi-Huberman, “a prática salutar [é]: dialetizar”. Como consequência, é o estudo da materialidade do documento e de sua produção, bem como o uso e estabelecimento de ferramentas teórico-metodológicas adequadas a esse tipo de estudo que definem o escopo de atividades acadêmicas do LATHIMM, e não recortes geográficos, cronológicos ou mesmo temáticos. Por outro lado, a escolha do termo “mídias” não é acidental. Esse evoca, ao mesmo tempo, a já mencionada preocupação com a cultura material medieval e o anseio de se estudar, de modo mais aprofundado, os usos midiáticos atuais de certa medievalidade (em filmes, músicas, literaturas, por exemplo); tudo por meio de um termo de imensa riqueza semântica em contexto medieval, uma vez que o vocábulo latino medium remete ao papel capital exercido pela Igreja (grande produtora de documentos durante toda a Idade Média) como mediadora entre os homens e entre esses e a divindade; foi sobre a mediação (e a comunicação, isto é, a comunhão religiosa de uma comunidade) que diferentes sociedades medievais se organizaram. Em seus núcleos no Rio de Janeiro (UFRJ) e em São Paulo (USP), o LATHIMM agrega pesquisadores em diferentes níveis de formação e de distintas áreas do conhecimento, em torno de quatro linhas de pesquisa: “A imagem medieval: ornamento, materialidade, permanências”, “A música medieval: análise, liturgia, notações”,  “Retoricidade: a linguagem como fato social”,  “Códices medievais e renascentistas e a produção científica do conhecimento sobre a natureza”.
Coordenação: Prof. Dr. Eduardo Henrik Aubert; Profa. Dra. Maria Cristina Correia Leandro Pereira; Prof. Dr. Gabriel de Carvalho Godoy Castanho; Dra. Wanessa Asfora Nadler.

 

 

LEM – Leituras da Escandinávia Medieval

Academia.edu | Facebook

A Escandinávia no período medieval fascina o mundo contemporâneo. Está presente em imaginários coletivos, nas artes, na literatura. Assim também o foi durante o período medieval. Carente de uma produção documental própria, a Escandinávia na Idade Média foi primordialmente “criada” em literaturas estrangeiras e estranhas às suas próprias dinâmicas. Somente após a sua integração à dinâmica européia vislumbra-se uma vasta produção literária própria, indicando uma necessidade de estabelecer as leituras de seu próprio passado. O grupo de pesquisa vem tratar dessas possíveis leituras, contemporâneas, porém externas, ou próprias, porém retroativas, em relação à Escandinávia Medieval.
Coordenador: prof. dr. Lukas Gabriel Grzybowski

 

LEME – Núcleo UFPE

Instagram

O Laboratório de Estudos Medievais (LEME) é uma rede policêntrica de laboratórios que congrega núcleos instalados em diversas universidades do Brasil e funciona como uma organização multilateral e multi institucional descentralizada, gerida por um Conselho Científico composto pelos coordenadores de cada núcleo. A missão do núcleo UFPE é constituir um polo avançado para os Estudos Medievais no Brasil, especialmente no Nordeste. Como objetivos específicos, almejamos: a) reunir alunos interessados em pesquisar temas da História Medieval; b) proporcionar a eles debates profícuos e orientação acadêmica adequada; c) oferecer-lhes possibilidades de contato multilateral com outros investigadores e centros de pesquisa; d) organizar os participantes em torno do ensino, pesquisa e extensão; e) contribuir para a nacionalização e a internacionalização do Departamento de História, de seu Programa de Pós-Graduação (PPGH) e da UFPE, como um todo. O LEME se engaja em uma série de atividades e atua nos três eixos universitários: ensino, pesquisa e extensão. Ele promove eventos acadêmicos, cursos e oficinas, além de proporcionar aos seus participantes oportunidades de aprimoramentos e intercâmbios científicos, inclusive com parceiros internacionais.
Coordenação: Prof. Dr. Felipe Augusto Ribeiro

 

 

LEOM – Laboratório de Estudos de Outros Medievos

Instagram | Facebook | Site | Youtube

O LEOM – Laboratório de Estudos de Outros Medievos consiste num grupo de pesquisa registrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e vinculado à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em consonância com as novas tendências de pesquisa e ensino na área de História Medieval, o LEOM – Laboratório de Estudos de Outros Medievos visa contribuir com a crítica historiográfica às narrativas tradicionais sobre a Idade Média, constituídas no contexto dos nacionalismos e colonialismos europeus e que ainda hoje repercutem.
Coordenação: prof. dr. Bruno Uchoa Borgongino

 

 

 

 

 

LETHAM – Laboratório de Estudos sobre a Trasmissão e História Textual na Antiguidade e no Medievo

Instagram | Site

O Laboratório de Estudos sobre a Transmissão e História Textual na Antiguidade e no Medievo (LETHAM-UFBA) é um grupo interdisciplinar de pesquisa associado à Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia. Trata-se de um grupo de pesquisa certificado e registrado no Diretório do CNPq desde 5 de outubro de 2016. Ele tem como principal iniciativa proporcionar a consolidação das pesquisas acadêmicas acerca dos estudos sobre a Antiguidade e o Medievo no estado da Bahia, sem deixar de articular-se com as investigações nacionais e internacionais. O grupo é constituído por profissionais das áreas de História, Letras e Filosofia e procura contribuir para a formação qualificada de profissionais capazes de atuar no âmbito regional, assim como fortalecer as áreas de ensino, pesquisa e extensão na UFBA.
Coordenação: Prof. Dr. Marcelo Pereira Lima

 

 

 

NEMED  – Núcleo de Estudos Mediterrânicos

Site

Em 2022, o NEMED (Núcleo de Estudos Mediterrânicos), fundado pelo Professor Doutor Renan Frighetto e pela Profa. Doutora Fátima Regina Fernandes, completou 20 anos de existência. O NEMED tem como ponto de partida a consciência da importância do mundo mediterrânico como forjador de diversas identidades, culturas e sistemas políticos ao longo do processo histórico da civilização ocidental desde a Antiguidade Clássica. Essa diversidade de composição gerou a orientação de vários projetos de pesquisa, vinculados ao Departamento de História e ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná. Tais projetos, desenvolvidos por professores pesquisadores em parceria com seus orientandos de Pós-Graduação (Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado) e Graduação (Iniciação Científica e Monografias de final de Curso) , têm em comum sua espacialidade relacionada ao mundo mediterrânico, numa temporalidade que abrange os períodos clássico, tardo-antigo, medieval e moderno. O NEMED é um laboratório de pesquisa interdisciplinar e interinstitucional, com incursões e diálogos por todo Brasil, com a América Latina, Europa e África.
Coordenação: Profa. Dra. Marcella Lopes Guimarães

 

 

PEM (UERJ) – Programa de Estudos Medievais

BlogInstagram

O Programa de Estudos Medievais/UERJ foi criado em 2016, em parceria com o Programa de Estudos Medievais/UFRJ, fundado em 1991. Prima pelo caráter interdisciplinar da pesquisa e reúne diversos pesquisadores cujos projetos se vinculam a temas concernentes ao medievo. São os principais objetivos do PEM: estimular o intercâmbio entre medievalistas nacionais e estrangeiros; coordenar projetos e atividades de pesquisa de temas pertinentes à sociedade medieval; formar novos pesquisadores; promover discussões acadêmicas relativas ao mundo medieval; identificar, preservar e divulgar acervos de fontes relativas à Idade Média; produzir material didático, e patrocinar atividades de extensão universitária, levando, à comunidade em geral, informações sobre a Idade Média. Coordenação: Ana Paula Lopes Pereira – FFP/UERJ, Marta de Carvalho Silveira – UERJ, Rodrigo dos Santos Rainha – UERJ, Wendel dos Reis Veloso – UERJ

 

PEM (UFRJ)- Programa de Estudos Medievais

FacebookInstagram | Site

O Programa de Estudos Medievais (Pem-UFRJ), criado em 1991, tem caráter interdisciplinar e reúne diversos pesquisadores cujos projetos se vinculam a temas concernentes ao medievo. São os principais objetivos do Pem: estimular o intercâmbio entre medievalistas nacionais e estrangeiros; coordenar projetos e atividades de pesquisa de temas pertinentes à sociedade medieval; formar novos pesquisadores; promover discussões acadêmicas relativas ao mundo medieval; identificar, preservar e divulgar acervos de fontes relativas à Idade Média; produzir material didático, e patrocinar atividades de extensão universitária à comunidade em geral. Coordenação: Andréia Cristina Lopes Frazão da Silva, Leila Rodrigues da Silva, Paulo Duarte Silva, Paulo Henrique de Carvalho Pachá.

 

 

VIRTÙ

Facebook | Instagram

O Virtù visa ser um espaço permanente de pesquisa, debate e contato com as fontes primárias, a bibliografia básica e especializada da área de História Medieval e História do Renascimento, permitindo que os alunos dos cursos de História da UFSM, tanto na graduação quanto na pós-graduação, aprofundem seus conhecimentos nas áreas propostas, possibilitando que realizem debates acadêmicos, pesquisas e produzam material de qualidade acerca destes temas. Além disso, o Virtù nasce também como uma ação para possibilitar que os alunos tenham contato com pesquisadores já consolidados nas áreas de pesquisa às quais se direcionam o grupo, tanto em nível nacional quanto em nível internacional. O Virtù atuará como plataforma que permita o diálogo e o intercâmbio entre os discentes e tais pesquisadores, buscando viabilizar uma experiência formativa e de atuação tanto em nível nacional quanto em nível internacional. Nesse sentido, o Virtù terá a permanente preocupação de buscar por diálogos interdisciplinares, a fim de enriquecer e experiência formativa de seus participantes, bem como a sua produção acadêmica.
Coordenação: Francisco Mendonça Jr.