Início do conteúdo
Projetos de Pesquisa

// Projetos de Pesquisa
/ para acessar o perfil clique sobre o nome do projeto


 

/ Projeto de Pesquisa
A Arte Imaginária Sacra no Rio Grande do Sul

Coordenador(a): Larissa Patron Chaves
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2017

Sobre
O presente projeto de pesquisa propõe abordar a representação das imagens sacras brasileiras na arte contemporânea e sua ressignificação enquanto ícone na arte dos dias atuais. Procura-se pensar como algumas práticas culturais Ibéricas advindas do uso da imagem sacra são evocadas na Arte Contemporânea, tais como na obra da artista Adriana Varejão entre outras diferentes produções artisticas, apropriadas no nosso espaço cultural, a partir da relação direta de elementos precedentes com a produção de novos sentidos, alimentando elementos de mestiçagem, na recriação e adaptação de mitos advindos da religiosidade. Da mesma forma o reduzido número de pesquisas sobre o tema, em especial dos estudos da imagem sacra, reforça a necessidade de seu estudo e permite-nos alargar o foco de investigação sobre Arte Contemporânea, pensando na importância da permanência dessas imagens como capital social, político e cultural e elementos da cultura visual no presente. Nesta pesquisa, temos como foco central o estudo da iconografia sacra relacionada com relações de poder, da mesma forma que as diferenças e semelhanças nos processos de apropriação e ressignificação das imagens na Arte Contemporânea.

E-mail: larissapatron@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
As artistas do sul: experiências lúdicas e educativas

Coordenador(a): Nádia da Cruz Senna
Grupo de Pesquisa vinculado: Caixa de Pandora: Estudos em Arte, Gênero e Memória
Ano de criação do projeto: 2017

Sobre
Este projeto de pesquisa dá seguimento a questões e ações educativas iniciadas em outras instâncias e junto aos grupos de pesquisa em torno das mulheres artistas para resgatar protagonismos e processos. Nesse momento, busca-se o reconhecimento de artistas pouco contempladas no âmbito acadêmico brasileiro − as artistas do sul do Brasil. Sobretudo, as artistas visuais cujas obras priorizam o universo feminino.
O foco do estudo recai sobre os embates em torno de identidades e subjetividades assumidas pela mulher, temas recorrentes nas representações e autorrepresentações do feminino protagonizado pelas artistas contemporâneas. Assim, nos deteremos primeiramente sobre o conjunto da obra de um pequeno grupo de mulheres artistas pelotenses, buscando as biografias, os processos poéticos e os discursos; com intuito de desenvolver ações e materiais paradidáticos voltados para o ensino da arte em nível fundamental.
O trabalho recupera informações já coletadas, experimentações, materiais e métodos empregados nos projetos: Gênero e Arte: atuação de mulheres artistas em Pelotas coordenado pela Prof. Carmen Diniz e O desenho do corpo o corpo que desenha, coordenado por mim. No primeiro atuei como colaboradora e procedemos a investigação sobre algumas trajetórias que despontaram na arte a partir dos anos 1950. No segundo iniciamos o desenvolvimento de ações e materiais educativos sobre artistas pelotenses, contemplamos a obra de Fernando Duval, Leopoldo Gotuzzo, Maria Lídia Magliani e Seli Maurício. O encantamento do grupo com essas duas últimas artistas, e a constatação do quanto carecem de reconhecimento e visibilidade em âmbito educacional, nos motivou a trazer outras protagonistas, igualmente relevantes para a fruição, produção e ensino da arte em Pelotas, alcançando projeção nacional e internacional.
É nossa intenção dar a ver nomes e produção, recuperar o legado e o protagonismo feminino. Inah Costa, Arlinda Nunes, Judith Bacci, Lenir de Miranda, Helena Pinto Ferreira são algumas das artistas selecionadas. Vamos contar as histórias, desvendar processos criativos, perceber obras e discursos conforme entabulados por essas mulheres artistas.

E-mail: alecrins@hotmail.com

/ Projeto de Pesquisa
A casa, as janelas e as redes sociais como continentes dos fazeres e da partilha da arte contemporânea durante e após a pandemia do COVID-19, a partir do sul do Brasil

Coordenador(a): Eduarda Azevedo Gonçalves
Grupo de Pesquisa vinculado: DESLOCC – Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
A proposta do Projeto “A casa, as janelas e as redes sociais como continentes dos fazeres e da partilha da arte contemporânea durante e após pandemia COVID 19, a partir do Sul do Brasil” foi criado com o intuito de fomentar a produção artística nos dias de isolamento social e a suas partilhas. O projeto irá desenvolver três ações inicias que são o desenvolvimento de proposições artísticas encaminhada por email a artistas residentes do Rio Grande do Sul, o levantamento da produção artística realizada por artistas que residem em Pelotas, em outras cidades Brasileiras e em outros países, inicialmente mulheres, artistas, professoras e pesquisadoras que enfrentam as restrições sanitárias impostas pelo COVID 19, assim como, a realização de partilhas das obras em sistemas remotos. O intuito é apontar a atenção aos fazeres, movimentos, narrativas e olhares de artistas no período de quarentena, que possam revelar os sentidos da vida em contexto de vulnerabilidade. Igualmente, o resultado da investigação poderá nos conceder um outro modo de estar na casa ativado pela ludicidade, e/ou a vulnerabilidade revelar-se lúdica. Sendo assim, estar em casa, numa condição protetiva contra um vírus poderá ser a nossa força e a maneira pela qual, nos colocamos na condição libertária da arte.

E-mail: pesquisadeslocc@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/deslocc/

/ Projeto de Pesquisa
A ESCALA DAS COISAS: estudo da relações entre pessoas e objetos

Coordenador(a)Roseli Aparecida da Silva Nery
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
O projeto está calcado na investigação sobre os objetos na arte e na vida. Coloca em cheque as relações entre pessoas e objetos através da da instalação artística e da fotografia. Traz a tona o debate sobre a atenção que dispomos para objetos banais e traz a ambiguidade da interpretação através da imersão no espaço expositivo onde estão objetos reais, bem como as fotografias. Assim, trazemos ao debate e investigação, a teoria dos objetos, sistema dos objetos, ambiguidades em imagens fotográficas, relações de tamanho e escala.

E-mail: roseli.nery@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
A operatividade como geradora do processo de criação cênica

Coordenador(a)João Carlos Machado
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
Caracterizada como uma investigação sobre poéticas de criação, a partir de experimentações e realizações artísticas cênicas, a pesquisa se propõe a investigar a utilização do princípio de operatividade como motriz do processo de criação. Por tratar-se de uma pesquisa de ordem prática dentro do campo da poética, a atividade de experimentação artística será considerada ao mesmo tempo objeto de investigação e produto propriamente dito, sendo que os levantamentos e os mapeamentos teóricos e bibliográficos deverão seguir e adequar-se às práticas realizadas. A noção de operatividade defendida aqui é oriunda de um processo de investigação contínuo do propositor desta pesquisa que vem se consolidando ao longo de sua trajetória como pesquisador/artista. Esta noção apresentou-se para o autor a partir de suas experiências e preferências em sua atuação no campo das artes visuais e, historicamente falando, está associada à ideia de arte como ação levantada por artistas na década de 1960, como Richard Serra, Bruce Nauman e Donald judd, que foram alvo das especulações de críticos e teóricos como Clement Greenberg, Arold Rosenberg, Leo Steinberg e Rosalind Krauss. O conceito de operatividade apresenta também algumas relações com noções levantadas por alguns artistas das artes cênicas, como as tarefas de Anna Halprin e de bio-objeto de Tadeusz Kantor, bem como dos conceitos de operação e operacionalidade apontado pelo fílósfo Gilbert Simondon, e alguns aspectos noção de ação de Paul Ricoeur.

E-mail: chicomachado08@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Arte, Ensino de arte e estéticas do Sul

Coordenador(a)Ursula Rosa da Silva
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2021

Sobre
Descrição: O presente projeto pretende aprofundar estudo sobre metodologias de ensino de arte e estéticas que tratem da arte no Sul do Brasil e da América Latina como modo de refletir novas ênfases no ensino da arte, nos currículos de formação de professores e de artistas, bem como, ter consciência da produção latino-americana de artistas/professores pouco conhecidos (as) nos países que fazem parte deste continente sul-americano. Dando sequencia ao pesquisado em projetos anteriores como Revisitando o ILA , e Artistas do Sul, que aborda o trabalho de professores e artistas formados pela UFPel desde os primórdios da criação desta universidade e como as metodologias de ensino tanto de professores, que atuam nas escolas da cidade de Pelotas e Região Sul do país, quanto de artistas que se projetam local e nacionalmente, tomando referências de sa formação. REgistrar as histórias de vida destes professores, bem como suas poéticas e metolodogia de trabalho é um modo de colaborar com a história da arte e do ensino da arte, do RS e do Brasil, a ainda da América Latina, dando visibilidade e inserindo nos currículos de nossos cursos estes autores e autoras artistas.. Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

E-mail: ursularsilva@gmail.com / ursula_ufpel@yahoo.com.br

/ Projeto de Pesquisa
Arte para nos vermos e Reverberar: poéticas na America Latina

Coordenador(a): Ursula Rosa da Silva
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
O ensino das Artes Visuais (em qualquer de seus níveis) numa perspectiva decolonial possibilita a abordagem das imagens da arte e suas apropriações midiáticas numa relação direta com seus contextos de geração, e consequentes mentalidades e comportamentos. Tal postura viabiliza problematizações acerca das mudanças operadas na ordem visual, processadas nas vicissitudes tecnológicas que originam as imagens, suas reverberações nas subjetividades e os processos educativos, colocando em jogo os mecanismos perceptivos e o envolvimento dos espectadores no campo de intercâmbio constituído pelas imagens. Assim, no ano de 2019, a pesquisa para o Mestrado do estudante Ronaldo Campello, propõe uma atividade com troca de cartas entre escolas do Brasil e da Colômbia, um projeto que se desenvolve desde 2014, a partir de uma das escolas a qual o referido aluno é docente . A partir da realização e trocas das cartas fomos ampliando o grupo e convidando outros mestrandos como Mara Nunes e Jaison para fazer trabalhos na escola Prof.ª Sylvia Mello que versasse sobre arte e meio ambiente. Em meio às trocas de cartas realizadas a partir do projeto do professor e mestrando Ronaldo Campello com alunas do COLEGIO EUCARÍSTICO DE LA MILAGROSA MEDELLÍN, COLOMBIA, efetivou-se a proposta deste intercâmbio, no qual mais professores e estudantes do Centro de Artes estão se inserindo nesta proposta, [estudantes] Guilherme Sírtoli, Mara Nunes, Marta Lizane Bottini, Priscilla Mont-Serrat; [docentes] Alice Jean Monsell, André Macedo, Carla Vargas Bozzato , Cláudia Brandão, Eduarda Gonçalves, Helene Sacco, Rosangela Fachel, e ainda membros de outras instituições como o IFSul de Pelotas de o IF Sudeste de Minas Gerais, constituindo, aos poucos, uma parceria que pretendemos consolidar com dois eventos: um no Brasil, o IV Seminário internacional de Ensino de Arte: pensando relações de arte e meio ambiente, de 03 a 05 de junho de 2020, no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas – UFPEL, nesta cidade, e outro na Colômbia, nas cidades de Bogotá e Medellín, de 20 a 31 de julho de 2020 com a participação deste grupo de discentes e docentes. Cada membro do projeto participará de maneira a disponibilizar meios e formas de expressão e partilha dos pontos de vista, das experiências, dos menires evidenciados pelos contextos de vida, na Colômbia e no Brasil. Por meio da arte, pelas narrativas cartografias, pelos deslocamentos, pelo processo de elaboração de cartões, de livros serão potencializadas conversas, elos afetivos entre os estudantes, professores, artistas e comunidade desses países, reinventando práticas e modos sutis de resgatar o movimento de identificação dos povos latino-americanos proposto por líderes, educadores, artistas em tempos passados e atuais.

E-mail: ursularsilva@gmail.com / ursula_ufpel@yahoo.com.br

/ Projeto de Pesquisa
Arte sonora: experimentalismo e pesquisa artística

Coordenador(a): Felipe Merker Castellani
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
O presente projeto de pesquisa tem como objeto de estudo os espaços poéticos e operacionais apresentados na produção artística recente no campo da arte sonora, especificamente em trabalhos criados a partir dos anos 2000 e em sua maioria por artistas brasileiros (as). Para tanto, serão utilizadas duas abordagens interligadas: a primeira delas será dedicada ao estudo teórico-analítico das poéticas e das obras de artistas atuantes em tal contexto; já a segunda será dedicada à criação de trabalhos artísticos pelos membros da equipe do projeto e sua posterior análise a partir de metodologias de pesquisa artística, buscando sobretudo apontar de que forma ressoam e se desdobram as questões observadas anteriormente no repertório escolhido. Desta forma, prática e teoria, criação e reflexão, fazer operacional e investigação conceitual constituem um circuito de retroalimentação, no qual tais tarefas alimentam-se mutuamente durante o transcorrer da pesquisa.

E-mail: felipemerkercastellani@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
As reservas técnicas em Museus: um estudo sobre os espaços de guarda dos acervos

Coordenador(a)Andréa Lacerda Bachettini
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
O projeto de pesquisa teve início em 2013 dentro da linha de pesquisa “Instituições de memória e gestão de acervos” do Programa de PósGraduação em Memória Social e Patrimônio Cultural do ICH/UFPel com a realização da pesquisa de doutorado. Teve sua renovação em agosto de 2017. Portanto, agora seria um novo pedido de renovação, o sistema de cadastro mudou para os projetos unificados, então realiza-se este cadastro na nova plataforma. O projeto visa a discussão principalmente sobre aspectos relacionados à conservação de acervos e também busca por levar em conta os estudos e aplicabilidades de procedimentos de conservação e guarda de acervos em instituições museais. Trabalha-se diretamente com a conservação de acervos de diversas instituições no Estado do Rio Grande do Sul, e da a necessidade de estudos na área de reservas técnicas, pela carência enorme de estudos relativos à viabilização de reservas técnicas e espaços de guarda de acervos, que sejam sustentáveis e viáveis para as instituições. As reservas técnicas deveriam ser um dos itens prioritários na política de conservação e difusão da informação de um museu, por ser o local de guarda e principalmente de cuidados especiais para a preservação dos objetos do acervo. Nota-se que isto na prática não ocorre por falta de conhecimento, por falta de profissionais capacitados nas instituições ou mesmo por negligência. Importante lembrar que a implantação da Lei nº 11.904, de 14 de Janeiro de 2009, que instituiu o “Estatuto dos Museus” diz em seu Artigo 21 que os museus garantirão a conservação e a segurança de seus acervos. Para que isto, efetivamente ocorra, as instituições museais deverão estar organizadas e que haja políticas de inventimentos para a implementação de reservas técnicas. De acordo com os conceitos estabelecidos pelo Conselho Internacional de Museus – Comitê de Conservação (ICOM-CC), as reservas técnicas são tratadas dentro da área da conservação preventiva. As reservas técnicas são os ambientes de guarda dos acervos e são o tema central deste projeto de pesquisa, para isto é preciso um acompanhamento das instituições estudadas no projeto de doutorado, é necessário uma avaliação das necessidades das instituições, um diagnóstico aprofundado do acervo e das condições de armazenamento e guarda, e por fim a aplicação de uma metodologia de gerenciamento e sustentabilidade dos ambientes de guarda das coleções dentro das instituições. Com o projeto de pesquisa percebe-se a necessidade ampliar as discussões relativas à conservação de acervos dentro das instituições museais.

E-mail: andreabachettini@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Aspectos Históricos da Dança no Rio Grande do Sul

Coordenador(a): Carmen Anita Hoffmann
Grupo de Pesquisa vinculado: OMEGA – Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte
Ano de criação do projeto: 2014

Sobre
O projeto surgiu da necessidade de dar visibilidade para as questões relacionadas à dança no estado do Rio Grande do Sul. Há na história da dança no Estado, apesar da longa prática dessa arte, lacunas muito grandes no que diz respeito às organizações, principais personagens e o ideário que sustentou sua existência. A proposta é a de escrever essas histórias com vistas ao seu registro e análise das suas características, considerando as diferentes regiões e os diversos gêneros. Através do entendimento da trajetória da dança esperamos dar luz ao contexto da dança na contemporaneidade.

E-mail: carminhalese@yahoo.com.br / omegaufpel@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/omega/

/ Projeto de Pesquisa
Caixa de Pandora, mulheres artistas e mulheres pensadoras século XIX e XX

Coordenador(a): Ursula Rosa da Silva
Grupo de Pesquisa vinculado: Caixa de Pandora: Estudos em Arte, Gênero e Memória
Ano de criação do projeto: 2008

Sobre
Projeto de pesquisa Caixa de Pandora: mulheres artistas e mulheres pensadoras surgiu em 2008, junto ao Centro de Artes da UFPel, a partir da demanda das questões de gênero na universidade. Desde sua origem o projeto conta com a participação de professores e alunos de vários cursos da UFPel. O grupo tem suas pesquisas com foco interdisciplinar, envolvendo áreas das ciências humanas, artes e ciências sociais aplicadas em torno do tema de gênero, da diversidade, das invisibilidades de grupos sociais tradicionalmente colocados à margem, das transgressões e das polifonias de expressão na contemporaneidade destes. Ao longo de dez anos o projeto Caixa de Pandora tem produzido pesquisas, publicações e ações extensionistas para propagação destes estudos, como o Simpósio Internacional Gênero, Arte e Memória, que é um encontro que tem trazido ao Estado do RS profissionais nacionais e internacionais que são referência nesta temática. Além disso, o evento tem possibilitado ampliar convênios, intercâmbios e pesquisa em gênero da UFPel com instituições internacionais. O grupo tem diversas publicações, como o e b o o k d o ú l t i m o S I G A M q u e e s t á n o l i n k : guaiaca.ufpel.edu.br:8080/bitstream/prefix/4190/3/Transgressoes_de_Pandora_ebook.pdf

E-mail: ursularsilva@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/artenaescola/publicacoes/vi-sigam/
Redes Sociais: Facebook

/ Projeto de Pesquisa
CIBERDANÇA: estrutura, organização e dinâmica na cibercultura

Coordenador(a): Rebeca da Cunha Recuero
Grupo de Pesquisa vinculado: PRACIBER – Produções Audiovisuais na Cibercultura
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
No cenário social contemporâneo nos deparamos com a produção e a distribuição de uma infinidade de produtos audiovisuais com os mais variados temas veiculadas a plataformas virtuais. Como resultado, sites de redes sociais (SRS) que suportam estes vídeos, bem como a sua distribuição – como o Youtube, Facebook, Vimeo, DailyMotion, Veoh, Twitch, etc. – crescem e conquistam cada vez mais novos adeptos que passam não apenas a incorporar a prática diária de visualização destes conteúdos audiovisuais, como também a sua constante construção e circulação nos SRS. Entre estes vídeos, encontramos produtos audiovisuais que contemplam a Ciberdança. Entendida aqui como sendo toda dança que é reproduzida na e para a Rede, necessitando da mediação da internet para ocorrer, a Ciberdança se caracteriza por ser proveniente das imbricações tecnológicas que “modificaram de forma contundente o cenário da dança tecnologizada e este fenômeno não é atemporal: a complexidade do mundo atual é responsável pelo surgimento destas tecnologias, ao mesmo tempo, que é fruto delas” (WOSNIAK, 2013, p. 192). Assim, a Ciberdança parece não apenas ter uma estrutura particular – desde a coreografia, a relação do corpo e do bailarino, o “palco” onde ocorre, a simbiose com as tecnologias e o seu público virtual), como também depende de uma organização social proveniente das redes sociais online para produzir sentido e valores sociais que a caracterizarão. Com base nisso, a pesquisa visa compreender e discutir a Ciberdança dentro do contexto social da Cibercultura, focando a sua estrutura (enquanto arte), sua organização (enquanto rede de pessoas) e sua dinâmica (proveniente dos sentidos produzidos). Ou seja, parte-se de que (1) há uma transformação do formato tradicional da dança que encontra novos lugares para se reconstruir e significar (estrutura), (2) modificando a relação entre público e artista justamente pela ação das redes sociais e seus suportes que oferecem novas possibilidades (organização). Com isso, (3) novos valores, novas identidades, novas significações são produzidas e potencializadas (dinâmica), capazes de caracterizar uma nova forma de arte peculiar e característica da sociedade atual.
Como objetivos específicos, foca-se em:

(1) Entender como se dá a estrutura da Ciberdança e as modificações que ela obteve para o desenvolvimento do seu formato atual;

(2) Verificar como as redes sociais e os SRS atuam na Ciberdança, agindo tanto sobre a sua organização como na sua estrutura;

(3) Analisar os sentidos (re)produzidos a partir de sua circulação no ciberespaço, compreendendo, assim, sua ação e transformação social.

Buscar a compreensão da dança no contexto da Cibercultura é também compreender o seu imaginário, a desmaterialização, as novas possibilidades textuais, a interatividade e a difusão e circulação de informações (LEVY, 2003). Há um outro sentido de corpo e de tecnologia que precisa ser percebido e compreendido, assim como se dá a relação entre estas duas partes, capaz de “transformar o conhecimento existente em um novo e inusitado” (SANTANA, p. 78). Assim, mais do que perceber o movimento de adaptação da dança no ciberespaço, ou mesmo do suporte e tecnologias envolvidas, é essencial focar as relações sociais que (re)significam e se apropriam dos sentidos, caracterizando a Ciberdança.

E-mail: praciber@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/praciber/
Redes Sociais: Facebook / Instagram

/ Projeto de Pesquisa
De inquietações e encantamentos: experiências poéticas, de ensino e formação

Coordenador(a): Nádia da Cruz Senna
Grupo de Pesquisa vinculado: Caixa de Pandora: Estudos em Arte, Gênero e Memória
Ano de criação do projeto: 2021

Sobre
Este projeto de pesquisa dá seguimento a questões e ações educativas iniciadas em outras instâncias e junto aos grupos de pesquisa em torno de artistas/educadores(as) para resgatar protagonismos marcantes em nossa Instituição, cujos processos poéticos e metodológicos impactaram a formação em artes, o ensino e o sistema das artes. Nesse momento, busca-se o reconhecimento desses atores através do registro das histórias de vida que se entremeiam com a história da própria Instituição, dando visibilidade para as inquietações e encantamentos presentes no cotidiano do ensino das artes no sul do Brasil.
O trabalho recupera informações coletadas em outros projetos de pesquisa como: Revistando o ILA, A Escola de Belas Artes de Pelotas, As Artistas do Sul, entre outros, que buscam registrar esta história, por meio de levantamento e organização de documentos do arquivo do Centro de Artes; acervo do Museu de Artes Leopoldo Gotuzzo, entrevistas; vídeos, catálogos e acervos pessoais. Nossa intenção ao dar seguimento aos estudos, busca valorar e revelar os/as protagonistas dessa história em constante transformação, junto a comunidade universitária, escolar e demais interessados em arte e cultura. O ponto de partida foi o antigo Departamento de Artes Visuais que congregava os/as docentes atuantes junto aos ateliês e laboratórios, sendo responsáveis pelo ensino, pesquisa e extensão na área de artes e visualidades. Esse grupo potente constituiu um dos maiores departamentos da UFPel, contando com 33 professores vinculados. A organização do antigo Instituto como Centro de Artes (2011) impôs a estruturação do grupo junto aos colegiados de cursos de artes visuais (bacharelado e licenciatura), design gráfico e digital, cinema e audiovisual. Vamos contar as histórias extraordinárias daqueles e daquelas que construíram pontes entre tradição e ruptura, para que a arte e seu ensino continuassem a trajetória de impacto e ascensão em nossa cidade, reverberando em escala nacional e internacional.

E-mail: alecrins@hotmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Deleuze e a arte: agenciamentos com a psicologia social

Coordenador(a)Édio Raniere da Silva
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
Partindo da questão colocada por Nietzsche – como alguém se torna aquilo que é? – o projeto pretende investigar, na obra de Gilles Deleuze, agenciamentos entre criação, subjetivação e individuação. A pesquisa busca dar sequencia ao projeto de pós-doutorado realizado na Université Paris-Nanterre entre 2018 e 2019, sob supervisão de Anne Sauvagnargues. Nossa principal intenção é investigar na obra de Gilles Deleuze ressonancias entre processos de criação e processos de subjetivação.

E-mail: edioraniere@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Deslocamentos e Cartografias Contemporâneas

Coordenador(a): Eduarda Azevedo Gonçalves
Grupo de Pesquisa vinculado: DESLOCC – Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas
Ano de criação do projeto: 2013

Sobre
O projeto propõe a criação de livros de artista e outros impressos [cartões postais, adesivos e jornais], bem como a realização de exposições e ações artísticas pelos participantes do projeto Deslocamentos e Cartografias na Arte Contemporânea, vinculado ao Grupo de Pesquisa Deslocamentos, Observâncias e Cartografias Contemporâneas – DesloCC (CNPq/UFPel), sob minha co-liderança. Conjuntamente, serão realizadas ações coletivas visando proporcionar experiências que conduzam a reflexão e a produção poética. Para que possamos desenvolver estudos e conduzir a realização da produção artística, evidenciaremos a ampliação do debate e da investigação acerca da prática cartográfica na produção artística e o alargamento de seu conceito. Assim como, envolveremos a leitura e o contato com pensadores que abordem a temática do deslocamento e da cartografia por vários pontos de vista, conceitos e métodos em diferentes campos do conhecimento – na arte, na geociência e na psicologia, revelando que é possível traçar muitos mapas, bem como, utilizar a cartografia como método de pesquisa e produção dos artistas pesquisadores, que tem como prática as excursões, as caminhadas e as ações que promovem experiências com a os espaços de vivência. Ou seja, realizaremos caminhadas para observar a cidade e cartografá-la, atentando ao entorno e aos diferentes meios de apresentação da experiência da observância e do deslocamento por meio da linguagem da arte. A praxis é oriunda do estudo em andamento sobre os conceitos de cartografia, deslocamento e sobre os dispositivos de compartilhamento da arte, tais como livros, postais, cartões, entre outros que possibilitam multiplicar a circulação e os meios de apresentação e partilhas da produção artística, em consonância com o projeto pedagógico do Curso de Bacharelado em Artes Visuais. Deslocamentos e cartografias na arte contemporânea é um projeto vinculado ao Grupo de Pesquisa Deslocamentos, Observâncias e Cartografias Contemporâneas (UFPel/CNPq). O grupo tem a participação de pesquisadores e estudantes de artes e de outros campos do conhecimento que estão envolvidos com as ações, publicações e exposições que originou o presente projeto.

E-mail: pesquisadeslocc@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
DO PINCEL AO PÍXEL: sobre as (re)apresentações de sujeitos/mundo em imagens

Coordenador(a): Cláudia Mariza Mattos Brandão
Grupo de Pesquisa vinculado: PhotoGraphein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação
Ano de criação do projeto: 2016

Sobre
Frente às novas tecnologias e seus produtos imagéticos, um desafio que se apresenta à formação docente em Artes Visuais diz respeito à significação do manancial imagético produzido através dos novos aparatos. Isso compreende o entendimento da formação e leitura das imagens, em prol do desenvolvimento da sensibilidade ao visível de sujeitos ativos na transformação do mundo ao redor. Na análise de tal situação os pesquisadores do PhotoGraphein perceberam ser imperativa tal discussão a partir do caráter interdisciplinar da Imagem, congregando outras áreas para nos ajudarem a expandir os questionamentos, cientes de que é preciso considerar a existência de um campo de intercâmbio entre as imagens e os espectadores, constituído por estímulos e respostas. A pesquisa considera, principalmente, as ideias de Bachelard (1993), Durand (2000), Dubois (1984) e Fabris (2012), buscando, a partir deles, dar visibilidade a discussões interdisciplinares acerca da Imagem, seus meios de produção e circulação. Das estratégias didáticas constam: discussões coletivas; produções textuais e imagéticas, individuais e coletivas; incentivo à pesquisa de materiais como complementação às discussões em curso; avaliação crítica dos processos em andamento; viagens de estudo; realização de seminários, deambulações e intervenções urbanas; planejamento, gravação e divulgação de podcasts; planejamento, produção e publicação da Revista Eletrônica Arqueologias do Olhar. O tema investigado é atual, sobre o qual ainda não temos parâmetros suficientes de avaliação. Nesse sentido, é possível afirmar de antemão a relevância de uma investigação que se propõe a adentrar numa área ainda em construção.

E-mail: photographein-pesquisa@gmail.com
Website: https://www.photographein-pesquisa.com.br/
Redes Sociais: Blog / Facebook / Instagram / Youtube

/ Projeto de Pesquisa
Ensino Contemporâneo de dança na educação básica: pedagogias possíveis

Coordenador(a): Marco Aurelio da Cruz Souza
Grupo de Pesquisa vinculado: OMEGA – Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
O projeto aborda a produção de conhecimento e processos de ensino e aprendizagem da Dança na escola contemporânea brasileira em relação a movimentos artísticos para além do ambiente escolar. Com ênfase no território sul-rio-grandense, numa perspectiva dialógica com professoras e professores de Dança em atuação, as ações do projeto visam tecer vivências baseadas em uma perspectiva colaborativa e a/r/tográfica.

E-mail: marcoaurelio.souzamarco@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
FOLK-COVID: Diagnóstico Internacional sobre os Impactos da Pandemia do Covid-19 em Contextos Folclóricos

Coordenador(a): Thiago Silva de Amorim Jesus
Grupo de Pesquisa vinculado: OMEGA – Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
O presente projeto de pesquisa se constitui em uma ação universitária de investigação do cenário afetado pela Pandemia do COVID-19, mediante a análise de contextos folclóricos em diferentes países e continentes. A ação é promovida pela Universidade Federal de Pelotas, por meio do Grupo de Pesquisa OMEGA – Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte e do Núcleo de Folclore da UFPel – NUFOLK (Centro de Artes), em parceria com a ABRASOFFA – Associação Brasileira de Organizadores de Festivais de Folclore e Artes Populares (São Paulo) e com apoio de diferentes universidades e instituições dentro e fora do Brasil como a FURB – Universidade Regional de Blumenau (Santa Catarina), a UPV – Universitat Politècnica de València (Espanha), a Abambaé Companhia de Danças Brasileiras (Pelotas/RS) e a Asociación Civil América Unida (Ciudad del Plata/Uruguai). O estudo visa mapear contextos tematizados pelo folclore, as artes tradicionais e as culturas populares, direcionando-se à análise sobre quais os efeitos que a Pandemia já causou e está causando nestes contextos, especialmente no que se refere à realização e/ou adaptação dos mesmos, sua continuidade e/ou postergamento, bem como refletir acerca dos possíveis impactos sócio-econômicos sofridos e a projeção de desdobramentos para o futuro.

E-mail: folk.covid@ufpel.edu.br
Website: https://wp.ufpel.edu.br/folkcovid
Redes Sociais: Instagram

/ Projeto de Pesquisa
Ensaios-cognitivos-coletivos: estética e arte relacionais

Coordenador(a): Rogério Vanderlei de Lima Trindade
Grupo de Pesquisa vinculado: Arte e sua história: visualidades, discursos e sentidos
Ano de criação do projeto: 2021

Sobre
Apresento como proposição para o projeto de pesquisa: Ensaios-cognitivos-coletivos: estética e arte relacionais, uma incursão teórica que repercuta sobre abordagens que coadunem perspectivas e aportes teóricos sobre experiência estética e pesquisa da/sobre/com a arte vigente. Ao ter isso em vista, pretendo realizar aqui uma reflexão não apenas a respeito das transformações que ocorreram junto ao sistema das artes, em diferentes períodos, momentos e escopos conceituais de diferentes épocas, mais especificamente daquilo que se produz no campo artístico e, sobretudo da reflexão sobre a arte atual.
A investigação propõe-se a discutir as formas de apropriação das manifestações contemporâneas da arte – em especial aquelas que requerem a interação e os estados de troca humanos e que, não obstante constituem, no entendimento da presente proposta de projeto de pesquisa, conjuntos de sociabilidades – pela sua forma coletiva que se constitua desde grupos de pessoas. Entendo que a educação pela arte estimula o debate sobre as visões que podem ser elaboradas do mundo, que, mediadas pela arte, não se restrinjam a uma recuperação historiográfica de fenômenos artísticos eleitos, de artistas que possam condicionar a sua livre expressão e linguagens que apenas permitem a reprodução, de modo que se a demonstrar uma mera capacidade de execução de trabalhos com a experimentação da materialidade e técnicas artísticas.
Esta proposta de ensino não visa, a rigor, propor metodologias sobre a experiência estética; pretende, isso sim, identificar, articular e problematizar diversos fatores que integram os processos de produção de conhecimento no campo do da arte e sobre os discursos que apontam outra direção conceitual, para uma possível aproximação com os enunciados presentes nos dispositivos da arte do presente, de forma a auxiliar na reflexão e aprimoramento sobre as pesquisas em torno da arte, a partir dos pressupostos da estética relacional, onde serão orientadas experimentações com enunciados de arte relacional e seus desdobramentos. Sendo assim, faz-se necessário refletir sobre as composições poéticas que emergiram desde a década de 1960, em que as ações humanas coletivas estabeleceram uma direção outra sobre o entendimento do estudo da forma, no universo da arte e na incorporação de outras referências coletivizadas, como elementos cruciais para a construção de outros processos artísticos deste mesmo tempo-lugar.
O foco dessa proposição se concentra no entendimento das discursividades das poéticas de agora e dos significados em processo de constituição da arte contemporânea, que como sabemos inclui o público e confunde-se com a vida cotidiana. A linha norteadora desta proposição percorrerá assim territórios conceituais, cujos limites a serem apresentados permitem, de antemão, deduzir algumas hipóteses acerca do status desta proposta de ensino de graduação, visto que: a) as pesquisas educativas procuram acompanhar as transformações contextuais e seus agentes; b) todavia, nem sempre sistematizam as mesmas transformações e agentes, de modo a involuntariamente ocultar ou mesmo desconsiderar a postura questionadora do pesquisador no campo do ensino da arte; c) e, podendo, por fim, ampliar efetivamente. 

E-mail: roger01lim@gmail.com
Website
Redes Sociais

/ Projeto de Pesquisa
Gravura artística e engenharia digital: o trabalho de equipe em experiências multidisciplinares

Coordenador(a): Angela Raffin Pohlmann
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2012

Sobre
Esta pesquisa procura verificar as possibilidades de integração entre duas áreas do conhecimento: artes visuais e engenharia electronica, e verificar o modo como esta integração pode gerar novos conhecimentos. A integração da arte com a engenharia visa criar dispositivos artísticos interativos. Este projeto está sendo desenvolvido no Atelier de Gravura do Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), cujo grupo de pesquisadores é formado por alunos e professores do Centro de Engenharias e do Centro de Artes da UFPel. A integracão entre os participantes desta pesquisa teve início em abril de 2012, durante o projeto de extensão ‘Ações Multidisciplinares com Arte e Engenharia Digital’ e seguiu-se com o projeto de pesquisa ‘Gravura artística e engenharia digital: o trabalho de equipe em ações multidisciplinares’. Na atual pesquisa, pretendemos utilizar os procedimentos não-tóxicos e o emprego da eletrólise para a gravação de placas de metal, sejam elas utilizadas nas matrizes de gravuras artísticas ou nas gravações das placas de fenolite utilizadas em circuitos impressos dos dispositivos eletrônicos. Estas placas de circuito impresso (PCI) são utilizadas nos dispositivos criados pelo grupo, como parte fundamental para seu funcionamento. O grupo estuda outras formas de integração entre a arte e a engenharia eletrônica, visando igualmente a construção de dispositivos artísticos.

E-mail: angela.raffin.pohlmann.ufpel@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Intersecções entre prática artística, crítica e curadoria em artes visuais.

Coordenador(a): Gabriela Kremer da Motta
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
O presente projeto tem como campo de investigação a curadoria em artes visuais, sua intrínseca relação com a crítica de arte e a proximidade entre essas práticas e as práticas artísticas. A noção de curadoria enquanto proposição crítica e investigação teórica pública, uma prática criadora de hipóteses, vem ao encontro dos estudos curatoriais desenvolvidos desde o final do século XX. A partir de exposições paradigmáticas como When Attitudes Become Form, com curadoria de Harald Szeemann, (Berna, 1969), Magiciens de la Terre, com curadoria de Jean-Hubert Martin, (Pompidou, 1989) e Global Conceptualism, Points of Origin, 1950-1980, com curadoria de Jane Farver, Luis Camnitzer e Rachel Weiss, (Queens Museum, 1999), nas quais foram destacadas, respectivamente, a exibição de trabalhos em processo, a visão idealizada da exposição em relação ao que estava fora do cânone artístico euro-norte-americano e a ausência de manifestações artísticas latino-americanas, as investigações envolvendo a curadoria em artes visuais e a crítica de arte dão conta de sua relação com as transformações no próprio campo da arte, bem como de sua relação com as transformações políticas em curso em um mundo globalizado que começa a reconhecer criticamente a perspectiva colonial. As práticas curatoriais possuem um papel relevante na perpetuação ou transformação dos modelos estabelecidos, fazendo com que o trabalho do curador como um editor e mediador entre arte, artistas, instituições, meios de comunicação, e o público se torne crucial na promoção da diversidade.

E-mail: gabitabu@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Inventário de Impressões: a reprodução de imagens na contemporaneidade

Coordenador(a): Kelly Wendt
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2021

Sobre
O projeto pretende formatar reflexões de grupos de estudo na gravura contemporânea não toxica atuando com a pesquisa de materiais e processos para garantir a sustentabilidade dos meios, criando intercâmbios com o ensino das técnicas e a poética visual. Com a pesquisa o grupo gráfica contemporânea trabalha para os resultados nesse campo. Resumo Articular a reprodução da imagem tradicional e contemporânea no contexto atual percebendo a importância de novos meios para a sustentabilidade de técnicas. Entender a evolução dos meios de reprodução da imagem na arte contemporânea, compreendendo a a necessidade da sustentabilidade na gravura tradicional.

E-mail: kelly.wendt@ufpel.edu.br

/ Projeto de Pesquisa
Lugares-livro: dimensões materiais e poéticas

Coordenador(a): Helene Gomes Sacco
Grupo de Pesquisa vinculado: Grupo de Pesquisa Lugares-livro: dimensões materiais e poéticas
Ano de criação do projeto: 2013

Sobre
O presente projeto objetiva estabelecer reflexões acerca do livro de artista, tanto no que tange a observação de alguns livros, quanto aspectos históricos deste, bem como seu fazer por parte de um determinado grupo de artistas. Objetiva-se ainda estender tais reflexões à comunidade, instaurando debates e promovendo, assim, um intercâmbio entre pesquisas artísticas, corpo docente e discente e público de modo geral.
Partindo da investigação, levantamento e análise reflexiva das produções inventariadas na arte contemporânea, propõe-se que concomitantemente o grupo articule relações possíveis com suas pesquisas pessoais na criação de livros seja de únicos ou múltiplos. Esse é o grande objetivo, que a atuação no grupo colabore com o desenvolvimento das pesquisas discentes.
Também durante o processo de estudo, elaboração e análise, será parte integrante do trabalho no grupo a reflexão e apresentação dos resultados das pesquisas, assim como a participação de artistas convidados, em comunicações sobre as formas de atuação do Livro de Artista dentro dos processos artísticos contemporâneos.
Nossa intenção, a longo prazo, é a criação de um corpo de trabalhos com qualidade e quantidade suficiente para a criação de uma exposição e uma feira de múltiplos.

E-mail: lugares.livro.dobra@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/lugareslivro/
Redes Sociais: Facebook / Instagram

/ Projeto de Pesquisa
Narrativas AudioVisuais Contemporâneas – enquadramentos, poéticas e convergências latino-americanos

Coordenador(a): Rosângela Fachel de Medeiros
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2018

Sobre
O objetivo desse projeto é analisar e promover a discussão de narrativas audiovisuais contemporâneas em relação à conformação, manutenção e transformação de enquadramentos (GOFFMAN, GAMSON, BUTLER) identitários (HALL, TADEU) – frames de identidade, referentes às representações de raça (RESTREPO): afrodescendentes, indígenas; e de gênero (BUTLER, LAURENTIS): mulheres, LGBTQIA. Nesse sentido, busca reconhecer, desvelar e analisar as poéticas – artísticas, estéticas e narrativas, bem como intertextualidades e intermidialidades instituídas por e para esses enquadramentos. Ao investigar o pensar e o fazer da arte, “enfocando o processo de criação e as dimensões poéticas da produção artística contemporânea” no âmbito do audiovisual, o projeto insere-se na linha de pesquisa “Processos de Criação e Poéticas do Cotidiano”. O foco na produção latino-americana atenta para aos processos de tensão e de interação entre o local e o global, que se manifestam em ações de tradução (BORGES), adaptação (STAM), transmidiação (JENKIS), hibridação (CANCLINI) e transculturação (RAMA). A seleção e abordagem das obras fundamenta-se, ainda, na vertente Latino-americana dos Estudos Culturais, que instigam a um olhar invertido – em contraponto (SAID), descolonial (SOLANAS, GETINO, MIGNOLO) e não subalterno (SPIVAK) em relação aos discurso e narrativas hegemônicos e a sua influência junto às produções latino-americanas. Para além da análise dessas produções e a partir delas, o projeto objetiva, ainda, instigar ações de difusão cruzada desses conteúdos – e fomentar e orientar a produção de conteúdos audiovisuais que coloquem em questão tais enquadramentos identitários.

E-mail: rosangelafachel@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Narrativas realistas: pintura e repetição

Coordenador(a): Lauer Alves Nunes dos Santos
Grupo de Pesquisa vinculado: Semiótica, design e arte
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
A pesquisa, de caráter teórico-prático, corresponde ao desenvolvimento de pinturas e reflexões teóricas desencadeadas a partir de questões suscitadas pelas mesmas, principalmente relativas aos conceitos de “realismo” na contemporaneidade.

E-mail: lauer.ufpel@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
OBJETOCOISA: reflexões sobre a criação e produção de materialidade na arte

Coordenador(a): Helene Gomes Sacco
Grupo de Pesquisa vinculado: ARTƎECOS: núcleo de estudos e práticas artísticas ecosóficas
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
O projeto de pesquisa busca articular o conhecimento desenvolvido na prática artística através dos processos de criação ao estudo da materialidade e sua influência na realidade do mundo, procurando incentivar a reflexão, os desdobramentos poéticos e o exercício de uma ética da produção.
O Projeto de pesquisa visa a investigação artística no campo de estudo sobre objetos cotidianos partindo de sua criação, e explorando os vieses de produção, percepção e experiência, por compreender que o campo da arte também é responsável por parte da reflexão, não só sobre o que se cria, mas como se forma a materialidade das coisas no mundo. O projeto explora noções históricas e também atuais sobre Ética da produção, Obsolescência programada, Memória, Reciclagem, Neguentropia, Capitalismo, Ecosofia e Novo Materialismo, todas elas noções importantes para o campo da criação em arte e suas articulações possíveis com o campo industrial e meio ambiente. Se todo objeto que é inventado, também inventa um sujeito, sabemos que nem sempre a área da indústria traz consigo essa consciência e preocupações, mas a arte parece ser o campo onde os sentidos e significados se colocam à prova, onde são questionados, se aprofundam e ganham percepções éticas e estéticas ao propor uma espécie de (Re)fábrica do mundo, deixando claro que produção industrial, produção da realidade do mundo, produção de sentido, produção de subjetividade e produção de si, por mais díspares que pareçam, estão intimamente ligadas.

E-mail: sacco.h@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Os deslocamentos como práticas que concebem paisagens e cartografias na arte contemporânea

Coordenador(a): Eduarda Azevedo Gonçalves
Grupo de Pesquisa vinculado: DESLOCC – Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
O projeto propõe a criação de impressos [cartões postais, adesivos e jornais], vídeos, fotografias, pinturas, gravuras e outros veículos da arte, a partir de proposições que envolvam o deslocamento físico na cidade de Pelotas e na região, com intuito de encontrar as peculiaridades geografias, sociais e culturais do sul do pais. A ampliação dos percursos a outras regiões do Brasil e a outros países terão como preceitos a investigação de relações entre os contextos percorridos e a plaga sulina. A produção artística resultante será partilhada em exposições, mostras, intervenções urbanas, ensaios visuais e em publicações cientificas, anais de evento, periódicos, bibliografias, entre outros. O projeto é vinculado ao Grupo de Pesquisa Deslocamentos, Observâncias e Cartografias – DesloCC (CNPq/UFPel), e migra para o formato unificado, tendo em vista que foi criado em 2015 e prorrogado até dezembro de 2019, com diversos resultados publicados e expostos, como também com processos em andamento. Durante este período foram realizadas diferentes manifestações resultantes das investigações que envolvem os estudantes de arte, graduação, mestrado, mestrandos, doutorandos, doutores e artistas. O projeto já contou com a colaboração de bolsistas IC que contribuíram para a efetivação das ações e elaboração de diferentes partilhas, em exposições e publicações cientificas. A pesquisa é prático teórica, envolve locomoções físicas, a realização de produções artísticas e a reflexão teórica evidenciando os modos de mover-se, o que se prospecta ao mover-se e como representar e apresentar a vivencia em movimento por meio da arte. Igualmente, evidenciamos a ampliação do debate e da investigação acerca da prática de elaboração de paisagens e cartográfica na produção artística e o alargamento de seu conceito. Assim como, envolvemos a leitura e o contato com pensadores que abordem a temática do deslocamento, da paisagem e da cartografia por vários pontos de vista, conceitos e métodos em diferentes campos do conhecimento – na arte, na geociência e na psicologia, revelando que é possível traçar muitos mapas, bem como, utilizar a cartografia como método de pesquisa e produção dos artistas pesquisadores, que tem como prática as excursões, as caminhadas e as ações que promovem experiências com a os espaços de vivência.

E-mail: pesquisadeslocc@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
O que pensam os artistas? Estudo das concepções sobre produção e ensino de artes visuais no Brasil.

Coordenador(a)Neiva Maria Fonseca Bohns
Grupo de Pesquisa vinculado
Ano de criação do projeto: 2021

Sobre
Este projeto dedica-se a investigar as concepções, as abordagens e os procedimentos dos artistas contemporâneos sobre processos criativos, sobre o papel da arte para a sociedade e sobre metodologias de ensino de arte. Também é intenção deste projeto investigar a importância, para os artistas, do conhecimento acumulado na área de artes visuais, sistematizado pelos próprios artistas, pelos historiadores, pelos curadores e pelos críticos de arte.

E-mail: bohnsventos@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Para sair na grande noite: uma abordagem transversal das relações entre experimentalismo, tecnologias e geopolítica no campo da arte

Coordenador(a): Felipe Merker Castellani
Grupo de Pesquisa vinculado: Corpo-imagem-som: pesquisa artística e práticas experimentais
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
As mais diversas tecnologias atuam nos diferentes ambientes artísticos como ampliadores dos espaços operacionais e conceituais com os quais os artistas lidam. Cada um a sua maneira: a invenção da imagem cinematográfica, ou o desenvolvimento dos computadores pessoais, por exemplo, originaram novos campos problemáticos para a criação artística, repletos de uma série de relações particulares entre o fazer artístico e seus suportes, entre público e obras e entre arte e sociedade. Nas últimas décadas, testemunhamos uma vertiginosa aceleração no desenvolvimento das tecnologias comunicacionais, levando-nos a uma proliferação de novos veículos de comunicação e novas formas de organização coletiva e política. A aparente liberdade apresentada na democratização do acesso à informação, oculta na opacidade de sua superfície as origens e os atores que as disseminam, a coleta de dados e sua monetização e os custos material e humano necessários para a produção de dispositivos tecnológicos, como os smartphones. A proliferação de lixo eletrônico, causada pela obsolescência programada e disputas territoriais pelo controle de áreas ricas em recursos naturais, são sintomas aparentes desse custo e afetam de maneira contundente os países do Sul Global. Nestes países, o desenvolvimento tecnológico cria em ao redor de si mesmo um complexo jogo tanto de causas, quanto de possibilidades de implementação de novos colonialismos digitais, materiais e epistêmicos. O presente projeto tem como objetivo analisar a maneira pela qual as práticas artísticas experimentais (musicais, sonoras e visuais) tornam visíveis e ressignificam o custo humano e material da tecnologia, a precarização da vida humana e o surgimento de novas formas de opressão em ambientes digitais. Desenhando linhas de fugas e rotas alternativas a um passado colonial que insiste em se fazer presente na contemporaneidade, possibilitando assim, a constituição de um olhar descolonizador do campo das artes sonoras e visuais. Para tanto, faz-se necessária a construção de operadores conceituais transversais, a partir de diferentes áreas do conhecimento, além da própria arte. Dentre as interseccionalidades que compõem tal campo problemático destacamos aquelas referentes à filosofia, aos estudos culturais e decoloniais e à geopolítica. Espera-se como resultado da abordagem proposta a criação de ferramentas analíticas e de obras que forneçam chaves de leituras a produção artística experimental atual.

E-mail: felipe.castellani@ufpel.edu.br
Redes Sociais: Instagram

/ Projeto de Pesquisa
Perspectivas contemporâneas de pesquisa em arte

Coordenador(a): Lauer Alves Nunes dos Santos
Grupo de Pesquisa vinculado: Semiótica, design e arte
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
Projeto voltado ao estudo da curadoria na contemporaneidade, especialmente no campo das artes visuais. Será contemplada breve revisão bibliográfica, desenvolvimento histórico, atuação dos profissionais que atuam nessa área nos contextos local, nacional e internacional, tendo em vista as atividades curatoriais no âmbito de um museu universitário – o Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo – e a formação para os novos alunos de graduação e pós-graduação.

E-mail: lauersantos@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/curadoria/
Redes Sociais: Facebook / Instagram

/ Projeto de Pesquisa
Poéticas contemporâneas: produção de leitura, produção de escritura, produção de sentidos

Coordenador(a): Renata Azevedo Requião
Grupo de Pesquisa vinculado: Artefatos poéticos para leitura e construção do “pequeno território”
Ano de criação do projeto: 2006

Sobre
A proximidade entre dois procedimentos antevistos pelos gregos, poiesis e techné, é aqui o ponto de partida para buscarmos estabelecer relações entre a manifestação poética e o fazer das técnicas e das diferentes expressões humanas. Tais expressões poéticas são entendidas aqui como produções de escrituras prestes a serem lidas, prestes a serem submetidas a produções de leitura, dimensionáveis por sua capacidade de produzir ou não sentidos. Assim, o projeto propõe, num primeiro momento, uma ampla revisão crítica das diversas abordagens, formulações e reflexões (produções de sentido) sobre a linguagem verbal, e posteriormente, sobre as diferentes linguagens articuladas à linguagem verbal, com seus modos particulares de enunciação.

E-mail: ar.renata@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Poéticas NO Espaço: investigações, proposições de formas de presença

Coordenador(a): Helene Gomes Sacco
Grupo de Pesquisa vinculado: DESLOCC – Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
O projeto propõe refletir e unificar as ações a partir do conceito de espaço, buscando problematizar e potencializar a forma como a espacialidade dos trabalhos artísticos se apresentam e configuram formas de relação e experiência. Ações, proposições, exposições, publicações, são meios, contextos de acontecimento e situações que apresentam produções e que podem ser melhor exploradas e estudadas de forma teórica e prática, sendo que o espaço nos trabalhos e a forma como se configuram nunca é neutra, seja se o espaço em questão é o de uma exposição, seja o de um livro. A partir das produções dos membros do projeto em situações de partilha/extensão com a comunidade, o presente projeto procura observar os espaços pelos quais os trabalhos ocorrem e quais as estratégias de apresentação, acontecimento e experiência com o público estes promovem.
Através do projeto criar estratégias de reflexão sobre quais espacialidades o mundo atual engendra e quais ele necessitará.
Refletir as noções de espaço ligadas as ideias de liberdade, confinamento, público e privado, casa e cidade.
Através de leitura dirigida estudar as diferentes espacialidades presentes em exposições, ações, proposições, e publicações.
Estimular a escrita e a leitura promovendo formas de criação, apresentação e partilha com a comunidade.

E-mail: sacco.h@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Poéticas Populares na Contemporaneidade

Coordenador(a): Thiago Silva de Amorim Jesus
Grupo de Pesquisa vinculado: OMEGA – Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
O projeto de pesquisa Poéticas Populares na Contemporaneidade procura investigar noções epistemológicas e processos artísticos e educativos em torno dos campos abarcados pelas artes populares no contexto atual, de modo a problematizar conceitos como Tradição, Memória, Cultura Popular, Folclore e Parafolclore, bem como seus possíveis atravessamentos. Também é interesse do projeto propor e analisar Práticas Experimentais e Metodologias Criativas em Artes Populares, articulando-se através de perspectivas que protagonizem o papel do corpo, da dança, do folclore e das tecnologias no cenário contemporâneo.

E-mail: poeticas.populares@ufpel.edu.br
Website: https://wp.ufpel.edu.br/omega/

/ Projeto de Pesquisa
Poéticas do arquivo, memória e narrativas de si

Coordenador(a): Ana Zeferina Ferreira Maio
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2021

Sobre
Desenvolver pesquisas teóricas e práticas artísticas a partir da memória, das narrativas de si e da apropriação de arquivos. Abordar as narrativas de si como escrita privada, construção de si ou estética da existência. Abordar o arquivo em sua capacidade de testemunhar aspectos simbólicos de histórias de vida, inventariar a memória e possibilitar a apresentação de experiências pretéritas, a partir de práticas artísticas com referência na pós-produção.

E-mail: anazfmaio@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Problemas de Pintura: distensões na prática da pesquisa em arte

Coordenador(a): Clóvis Vergara de Almeida Martins Costa
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
A presente pesquisa, de caráter prático-teórico, visa desenvolver procedimentos e estratégias artísticas por meio de uma produção sistemática no campo da pintura, a fim de promover a reflexão acerca dos cruzamentos e contaminações na elaboração do campo pictórico. Lançando mão de procedimentos de contato, impressão e impregnação do suporte pictórico, a prática experienciada durante a pesquisa servirá de escopo para a produção teórica. Partindo dos conceitos de incarnat (DIDI-HUBERMAN) e mestiçagem (CATTANI), propõe-se o entrelaçamento,a indeterminação e a indiscernibilidade dos elementos enquanto conceitos operacionais na composição da trama pictural.

E-mail: clovismartinscosta@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Proposições vagantes – mulheres artistas suleando contextos tendo como ponto de partida o sul do Brasil

Coordenador(a): Eduarda Azevedo Gonçalves
Grupo de Pesquisa vinculado: DESLOCC – Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas
Ano de criação do projeto: 2020

Sobre
A presente pesquisa resgata um modo de prospectar o mundo e representá-lo/apresentá-lo por meio de deslocamentos físicos, viagens e excursões aos moldes dos artistas-viajantes do passado. Nessa busca, novos trânsitos são propostos, sendo conduzidos por artistas mulheres residentes no sul do Brasil. Tais proposições vagantes são estabelecidas por contextos distintos e em rotas flúvio-marítimas, terrestres e aéreas, envolvidas com o aspecto social, geográfico, cultural, científico e natural do lugar visitado – fato que amplia o processo de instauração e partilha da arte contemporânea. A observação destes contextos implica, sobretudo, em transformar e reinventar os modos de existir e potencializar as representações simbólicas do espaço e de quem ou o que o habita. Nesse aspecto, surge a pergunta: como podemos trazer as ideias, sensações e sentimentos de novos contextos como obra de arte? Assim, as motivações para as viagens aqui propostas são de ordem artística, científica e geográfica, dando-se através de percursos locais e regionais. Como ponto de partida, iremos percorrer a Rota do Charque, conhecida como tasajo trail do atlântico, uma rota mercantil do charque que ligava o rio da prata ao caribe a fim de investigar a existência de representações artísticas, como também revisitá-la e reapresentá-la por meio de dispositivos poéticos-artísticos contemporâneos. Igualmente, investigar algumas rotas traçadas pelo comércio mundo afora: a Rota da Seda, as Estradas Real-Persas, a Rota das Especiarias, a Rota Transpeninsular, a Estrada do Incenso, etc. Atentando, aos impactos desses trânsitos nos locais visitados; as mudanças do tempo, do comércio, da indústri e da população trouxeram nessas rotas e lugares na atualidade e Como se encontravam os artistas diante delas, partindo disso interessa-nos saber quais as atualizações dessas rotas podemos fazer na arte contemporânea.
_
Coordenação do Projeto dividida com a Profa. Dra. Claudia Zimmer (IFC) e a Profa. Dra. Raquel Ferreira (IFR)

E-mail: dudaeduarda.ufpel@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Rádioperformance – Sobre a possibilidade da crítica da arte enquanto prática curatorial experimental

Coordenador(a):Gabriela Kremer da Motta
Grupo de Pesquisa vinculado:
Ano de criação do projeto: 2017

Sobre
Rádioperformance é a nominação de algo que, há muito tempo, venho buscando formular. Um projeto no qual sobrepõem-se três premissas: a noção de curadoria enquanto proposição crítica e investigação teórica pública, o debate entre agentes do sistema da arte enquanto construção crítica, e o meio radiofônico enquanto espaço experimental e de acesso ilimitado.

E-mail: gabitabu@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Revisitando o Instituto de Letras e Artes (1969-1989)

Coordenador(a): Ursula Rosa da Silva
Grupo de Pesquisa vinculado: Caixa de Pandora: Estudos em Arte, Gênero e Memória
Ano de criação do projeto: 2013

Sobre
O objetivo deste projeto é registrar a história do Centro de Artes (CEARTE) a partir de levantamento documental (de textos, atas, fotografias) pertencente ao arquivo do atual Centro de Artes para elaboração de texto histórico; dando ênfase para a atuação pedagógica e administrativa dos professores das áreas de Artes Visuais e Música, em especial, e de Arquitetura e Letras, complementarmente neste contexto, dos que fizeram e dos que fazem ainda parte da estrutura do CEARTE no período de 1969 a 1989.

E-mail: ursularsilva@gmail.com

/ Projeto de Pesquisa
Sobras do cotidiano e contextos dx artista em deslocamento

Coordenador(a): Alice Jean Monsell
Grupo de Pesquisa vinculado: DESLOCC – Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas
Ano de criação do projeto: 2018

Sobre
Esta pesquisa em poéticas visuais pretende abordar modos de trabalhar com a produção artística que abordam questões ligadas com o meio ambiente, a subjetividade humana e seus contextos sociais, geográficos e políticos nos parâmetros locais, da região de Pelotas, e também considerando o contexto local/global. O projeto é uma ampliação do projeto anterior que focava nos processos de deslocamento do lixo e agora procura uma ampliação do conceito sobras do cotidiano e busca refletir criticamente sobre os contextos de atuação do artista na contemporaneidade. Entretanto, com a necessidade real de orientar alunos da Graduação e Pós-graduação em Artes Visuais (Mestrado), se tornou claro que era o momento para ampliar os limites do meu projeto de pesquisa, permitindo abordar questões que tocam em assuntos variadas, tais como a produção artística no contexto das redes sociais, questões de violência e insegurança social, bem como trabalhos que versam sobre a inclusão social e gênero e, ao mesmo tempo, abordar questões ligadas ao meio ambiente. Minha própria produção artística e bibliográfica dos últimos anos também revela que o conceito desenvolvido “sobras do cotidiano” está se ampliando. Originalmente, o conceito de sobras foi visto como relacionado aos materiais que podem ser reaproveitados na arte, e isto era um dos objetivos centrais da minha pesquisa entre 2012 e 2015. As “sobras do cotidiano” foram relacionados à materialidade da obra, e à matéria que poderia ser transformada e reaproveitada. A pergunta que origina a pesquisa continua a mesma: o que sobra de nosso cotidiano? Os parâmetros da pesquisa e seu tema ficaram mais amplos. Busco pensar hoje em processos sociais, políticos, subjetivos, assim como processos ambientais os quais são interligados. A realidade contemporânea tem problemas urgentes que precisam ser abordadas pela reflexão crítica da pesquisa em várias áreas de conhecimento. A arte é um modo para abordar estas questões sociais, políticos e ambientais em relação à percepção humana, ao criar propostas artísticas que ajudam perceber estes processos de forma sensível. O enfoque nas “sobras do cotidiano”, nesta pesquisa, se torna um meio para pensar o que precisamos transformar, não somente em termos de reaproveitar materiais, mas também considerando o consumismo, a fragilidade das relações de afeto, questões de gênero ligadas com o espaço doméstico, a violência e a insegurança do espaço público e/ou privado e os vários contextos que se associam a um modo sustentável de viver.

E-mail: alicemondomestico@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/fd1e2/
Redes Sociais: Blog / Facebook

Outras informações:
LINK – Portofólio de produções artísticas de Alice Monsell vinculados a este projeto de pesquisa e projetos anteriores
LINK – Catalogo de exposição coletiva 2019 dos colaboradores de pesquisa

/ Projeto de Pesquisa
SOBRAS DO COTIDIANO E DA ARTE: Contextos, reaproveitamento, diálogos e documentação do lixo em deslocamento entre o espaço privado e público

Coordenador(a): Alice Jean Monsell
Grupo de Pesquisa vinculado: DESLOCC – Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas
Ano de criação do projeto: 2012

Sobre
Este projeto de pesquisa na área de artes visuais, realizado no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas, visa a questionar e visualizar as práticas do cotidiano relacionadas à produção, transformação e deslocamento do lixo no contexto privado (a casa) e no espaço público e desenvolver procedimentos poéticos que reaproveitam o lixo como material da obra, tais como: materiais usados achados em casa, detritos urbanos e resíduos industriais. Inicialmente, uma pesquisa de campo busca dialogar com residentes e documentar (fotografar) as práticas domésticas relacionadas à produção e seleção do lixo em casas e no espaço público: visitar aterros sanitários, SANEP, Cooperativas de reciclagem para documentar processos de deslocamento, depósito, seleção e transformação do lixo. O projeto durará três anos, agregando alunos da UFPEL, bolsistas e voluntários da área de artes visuais e, também, da sociologia, antropologia, engenharia e da história em torno de um grupo de estudos. A partir de procedimentos de deslocamento na cidade e observação do lixo em casas e no espaço urbano, colaboradores desta pesquisa desenvolverão propostas coletivas e individuais relacionados ao deslocamento do lixo entre o espaço privado e público com o objetivo de conscientizar e sensibilizar o público em geral sobre este problema social. O grupo desenvolverá atividades variadas, tais como: elaborar táticas e procedimentos para reaproveitar materiais usados e achados na rua (detritos urbanos) ou em casa (sobras domésticas). O grupo também realizará leituras sobre a sustentabilidade e o lixo na área de ecologia e sobre artistas que trabalham com a questão do lixo e seu reaproveitamento com o objetivo de desenvolver obras que documentam e problematizam o tema (fotografia, desenho, vídeo, intenção urbana, performance); e também, promover e participar em debates públicos e seminários multidisciplinares, exposições e publicações que potencializam uma reflexão crítica e ética sobre as práticas cotidianas relacionadas ao lixo e às consequências para o meio ambiente, a degradação da habitabilidade urbana, buscando soluções sustentáveis. O projeto começou em 2012 e foi prorrogado duas vezes, terminando em agosto de 2018.

E-mail: alicemondomestico@gmail.com
Website: http://alicemonsellgaragem.blogspot.com/
Redes Sociais: Blog / Facebook

Outras informações:
LINK – Catálogo de exposição coletiva Sobras do Cotidiano e da Arte ocorrida em 2018 incluindo professores do Mestrado em Artes Visuais, alunos de graduação e do Mestrado em Artes Visuais e bolsistas IC

/ Projeto de Pesquisa
Som, racialidade e território: perspectivas afrodiaspóricas (ARD – FAPERGS)

Coordenador(a): Felipe Merker Castellani
Grupo de Pesquisa vinculado: Corpo-imagem-som: pesquisa artística e práticas experimentais
Ano de criação do projeto: 2021

Sobre
O presente projeto de pesquisa parte de perspectivas afrodiaspóricas para investigar os campos problemáticos da arte sonora, da música e dos estudos do som. Tem como centro as relações raciais e seus desdobramentos políticos, artísticos e sociais. Para tanto, partiremos do estudo do som enquanto um elemento constituinte das relações raciais, por meio do entendimento da escuta como um processo perceptivo diretamente conectado a noções socialmente compartilhadas: informações sobre fontes sonoras, reconhecimento de timbres específicos, sistemas linguísticos e musicais, dentre outras. Ao se conectar diretamente às estruturas sociais, o som pode atuar como substituto dos marcadores raciais, reforçando binarismos conceituais e criando hierarquizações epistemológicas. Se, por um lado, o som pode atuar em sistemas ideológicos discriminatórios, por outro lado, este tem importância fundamental em espaços de reorganização política e cultural de grupos historicamente silenciados. Neste sentido, também nos dedicaremos a uma análise das relações entre a produção de conhecimentos musicais e a formação de tais territórios, especificamente aqueles formados na diáspora africana no Brasil, durante o século XX e até os dias atuais. O vetor de ligação entre os diferentes eixos temáticos apresentados neste trabalho é a busca das populações negras em diáspora pela constituição de territórios de reorganização social, que tomam múltiplas formas (terreiros, quilombos, escolas de samba, coletivos artísticos etc.). Territórios que não são apenas espaços mensuráveis e delimitados geograficamente, mas lugares de relações ambientais e intersubjetivas, as quais constituem os grupos sociais e suas produções culturais. Veremos que o som e a música atuam como catalisadores nesses territórios, tencionando as relações raciais e estabelecendo formas de oposição ao racismo vigente.

E-mail: felipe.castellani@ufpel.edu.br

/ Projeto de Pesquisa
Tendências epistemo-metodológicas da produção de
conhecimento em Artes Cênicas

Coordenador(a): Eleonora Campos da Motta Santos
Grupo de Pesquisa vinculado: OMEGA – Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte
Ano de criação do projeto: 2010 (renovado como unificado – ênfase em pesquisa – em 2020)

Sobre
Projeto desenvolvido desde 2010, visa catalogar, descrever e analisar orientações teóricas, metodológicas e temáticas presentes em produções do campo acadêmico das Artes, mais especificamente das Artes Cênicas. As ações são desenvolvidas na direção de analisar produções de anais de eventos científicos e periódicos do campo, bem como TCCs, Monografias e Dissertações do Centro de Artes, com igual interesse discutir sobre métodos e metodologias de pesquisa para as Artes. As referências do projeto envolvem, principalmente, os autores Gaston Bachelard, Paul Feyrabend, Pierre Bourdieu, Naomar Almeida-Filho, John Dewey, Charles Snow e Loïc Wacquant.
_
Atualmente reúne integrantes com diferentes trajetórias acadêmicas: graduandos, mestre, doutorando, doutoras e pós-doutor, oriundos da UFPel e da UFRGS

E-mail: eleonoracamposdamottasantos2@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/omega/projetos_do_grupo/

/ Projeto de Pesquisa
Viagens e lugares: mapas, topologias e linhas de fuga, configurações antropológico-poético-visuais

Coordenador(a): Renata Azevedo Requião
Grupo de Pesquisa vinculado: Artefatos poéticos para leitura e construção do “pequeno território”
Ano de criação do projeto: 2006

Sobre
A compreensão do conceito de viagem como forma de representação da realidade (presente em campos sócio-culturais diversos) circunscreve o lugar a partir do qual propomos nossa análise: quais percursos a própria viagem, como categoria do pensamento, pode realizar? Mapear a produção verbal nas quais a categoria da viagem, particularmente potencializada pelas relações de identidade e diferença, esteja presente; e, construir um quadro comum de análise que permita, num momento posterior, particularizar os objetos de investigação (em suas formas de representação discursivas, conceituais e imagéticas), sem perder de vista as prováveis regularidades que possam existir entre eles.

E-mail

/ Projeto de Pesquisa
Visualidades tecidas em corpos poéticos na contemporaneidade

Coordenador(a): Carmen Anita Hoffmann
Grupo de Pesquisa vinculado: OMEGA – Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte
Ano de criação do projeto: 2019

Sobre
Este projeto de pesquisa aborda a interdisciplinaridade entre artes visuais, dança, música, teatro, audiovisual e performance em relação à produção de conhecimento e o processo de ensino e aprendizagem da arte na contemporaneidade. A pesquisa designa um corpo poético em um diálogo em torno dos eixos temáticos: corpo, espaço e visualidades. Para isso, exige que o pesquisador e o campo de pesquisa encontrem-se, dissolvam-se, produzindo o material de pesquisa e não coletando, apenas. Não se pretende validar ou reprovar determinada situação e sim atentar para o que se sucede, tirando partido de tudo aquilo que causa experiência ao pesquisador de arte.

E-mail: carminhalese@yahoo.com.br / omegaufpel@gmail.com
Website: https://wp.ufpel.edu.br/omega/