Materialidades Discursivas (ou Significantes)

3.3 Materialidades Discursivas (ou Significantes): Desde a sua fundação, a Análise do Discurso visa apreender o objeto discurso através da constituição de um quadro epistemológico em que figura, além do materialismo histórico e da teoria do discurso, a linguística, áreas perpassadas pela psicanálise. A linguística saussuriana, tomada por Pêcheux, fornece-lhe o suporte necessário para a inauguração de uma problemática singular mantida até os dias de hoje, que é a do discurso, ao mesmo tempo em que define a materialidade significante, a partir da qual são analisados os processos discursivos: a língua.

Dessa forma, a materialidade eleita configurou-se como palavra, forma linguístico-histórica produtora de sentidos, assim como, por ser a AD em seu primórdio um projeto de intervenção política, elegeu-se o discurso político como o seu objeto teórico por excelência. No entanto, a evolução da sociedade e a consequente evolução dos estudos discursivos para dar conta tanto dos avanços da teoria quanto da complexificação dos fenómenos estudados fizeram-se emergir, visando outros discursos e outras materialidades. Malgrado seja relativamente comum o concerto entre a AD e alguma outra teoria para análise da componente visual – no caso dos trabalhos que se debruçam sobre materialidades híbridas –, entendemos aqui que isso não se dá senão sob a efígie de uma concessão teórica, visto a condição sui generis de conceitos como sujeito, sentido, discurso, na perspectiva da AD de filiação pêcheuxtiana.

Isso posto, nossa proposta baseia-se na premissa de que é possível (e mais fiel à teoria) estender os princípios e procedimentos da AD a outros regimes de materialidade, que não o verbal. Alguns trabalhos orientados pela coordenadora são ensaios nessa direção. É exatamente nesse ponto que o LEAD e este projeto de pesquisa (ponto de concerto de todos os demais projetos desenvolvidos pelo laboratório) apresentam, em um mesmo compasso, a relevância social da sua proposta e o seu diferencial: a investigação do que é ler (para além do ato mecânico e miticamente consensual) e do que é ler outras materialidades para além da palavra – precipuamente, a imagem, cujo efeito de ubiquidade enseja a produção de uma resposta teórico-analítica à altura.

Para dar conta de tal tarefa, o Laboratório propõe-se a olhar o discurso (seu objeto teórico) em suas diferentes formas significantes (na diversidade dos seus objetos analíticos), considerando suas especificidades simbólico-históricas em sua relação com o Imaginário e o Real do sentido, mas também considerando as especificidades do local institucional – ou, em termos mais próprios à AD, as condições de produção de seu fazer científico. No âmbito do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPel, sede deste projeto, vários trabalhos de tese e dissertação já visaram e vêm visando à análise dessas outras materialidades. O LEAD, longe de propor temáticas exógenas ao que consuetudinariamente já se fazia no Programa, alinha-se a essa peculiaridade, visando a dar peso institucional e a mobilizar e produzir de forma mais sistemática (outros) suportes teórico-analíticos para tal interesse de pesquisa.

Acesse o referencial teórico navegando pelos links a seguir:

Clique nos links a seguir e navegue pelo nosso projeto integrador: