Pesquisadores suecos verificam níveis da poluição do ar na cidade

Pesquisadores suecos verificam níveis da poluição do ar na cidade

 

Um estudo de emissões de poluentes em Curitiba e Região Metropolitana teve a primeira fase concluída nesta sexta-feira (9/6). O projeto, chamado ParCur, é fruto de uma parceria entre instituições brasileiras e suecas e vai apresentar em breve um relatório com os resultados.

O prefeito em exercício e secretário municipal de Obras Públicas e Infraestrutura, Eduardo Pimentel, conheceu o ParCur e afirmou que parcerias internacionais são importantes para o trabalho da Prefeitura. “Este é um programa que temos interesse de manter funcionando”, disse.

O coordenador da pesquisa, o sueco Lars Gidhagen, explicou que o foco do trabalho é verificar em pontos específicos da cidade os níveis de poluição, em diferentes horários e datas. “Existe uma relação direta da qualidade do ar com a saúde das pessoas”, relatou.

Gidhagens é coordenador do departamento de pesquisa em Qualidade do Ar do Instituto Hidrológico e Meteorológico da Suécia e considera a qualidade do ar uma questão importante de planejamento urbano. “Curitiba é uma cidade muito interessante nesse aspecto, mas acreditamos que há potencial para muito mais”, concluiu.

O pró-reitor de pesquisa da Universidade Federal do Paraná, Francisco Mendonça, ressaltou a importância da expertise sueca no projeto. “Aferições da qualidade do ar já foram feitas no passado, em Curitiba, mas agora teremos novos métodos de medição.” Mendonça agradeceu a parceria da Prefeitura de Curitiba pela integração com a academia.

O projeto surgiu pelo intercâmbio das universidades dos dois países. Para o assessor de Relações Internacionais, Rodolpho Zannin Feijó, a articulação da Prefeitura é fundamental no processo. “Curitiba está aumentando seu engajamento com o desenvolvimento sustentável”, disse Feijó. O projeto, afirma, pode servir de base para decisões futuras da administração municipal. “Este  estudo cria uma base de dados para a implementação de políticas públicas inteligentes.”

Integram o projeto os parceiros suecos como o Instituto Hidrológico e Meteorológico da Suécia, a Agência de Proteção Ambiental da Suécia e o Instituto Real de Tecnologia de Estocolmo. Do lado brasileiro estão a Prefeitura Municipal de Curitiba, a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), o Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec), o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) e o Detran.

principal