Início do conteúdo
Desenvolvimento Territorial e Microcervejarias

ARTIGO: O CIRCUITO ESPACIAL DE PRODUÇÃO E O CÍRCULO DE COOPERAÇÃO NO ESPAÇO: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA PARA ANALISAR A PRODUÇÃO CERVEJEIRA.

AUTORES: WILLIAM MARTINS LOURENÇO; TIARAJU SALINI DUARTE.

O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma proposta metodológica para analisar a produção cervejeira no estado do Rio Grande do Sul, proposta essa derivada de um projeto de pesquisa científica registrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Utilizamos como base teórica para elaboração dessa metodologia dois conceitos: os Circuitos Espaciais de Produção (CEP)e os Círculos de Cooperação no Espaço (CCE).

RESUMO EXPANDIDO: A PRODUÇÃO DE CERVEJA NO MUNICÍPIO DE PELOTAS: DA DECADÊNCIA A RESSIGNIFICAÇÃO.

AUTORES: WILLIAM MARTINS LOURENÇO; TIARAJU SALINI DUARTE.

ARTIGO: ORIGEM, ASCENSÃO E DECADÊNCIA DAS CERVEJARIAS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL: UM RECORTE ESPAÇO-TEMPORAL DO SÉCULO XIX E XX.

Autores: Tiaraju Salini Duarte; William Martins Lourenço; Guilherme Fontana]

A produção de cerveja no Brasil apresenta-se como uma importante base econômica relacionada a diversos setores. Neste contexto nacional, destacam-se como centros produtores de cerveja a região Sudeste e Sul do território brasileiro. No que tange a região Sul, o estado do Rio Grande do Sul possui o maior número de empresas deste setor. Diante  contexto, o presente artigo objetiva analisar a produção cervejeira neste estado, desde sua origem no século XIX até sua decadência ao longo da segunda metade do século XX. Pode-se constatar que a produção de cerveja transpassa três períodos: (1) a gênese, relacionada a imigração alemã no inicio do século XIX; (2) a expansão da produção e a passagem de um sistema artesanal/familiar para uma logística industrial no final do século XIX; e, por fim, (3) a decadência da produção com a entrada do capital oriundo da região Sudeste. Após análise dos dados, conclui-se que a produção de cerveja no Rio Grande do Sul passou por diversas fases e, mesmo representando um dos principais pólos produtivos, possui desafios relativos a pensar este setor nos próximos anos.

RESUMO EXPANDIDO: VELHAS FORMAS, NOVAS FUNÇÕES: POLÍTICA PÚBLICA, REUNI E A EXPANSÃO DA UFPEL NO BAIRRO PORTO.

AUTORES: EDUARDO SCHUMANN; TIARAJU SALINI DUARTE.

Logo, este resumo busca compreender a territorialização da Universidade Federal de Pelotas UFPel no bairro porto a partir do uso das edificações industriais abandonadas. Para entender este movimento, faz-se necessário identificar e compreender as dinâmicas industriais que anteriormente sucederam-se. Desta maneira, a pesquisa divide-se em dois momentos: no primeiro, buscamos construir uma discussão que vise demonstrar os processos de implementação de políticas públicas por meio do Reuni. Nesse sentido, adotou-se a análise considerando o ciclo de políticas públicas educacionais, desenvolvido por BALL (1992). O ciclo de políticas públicas passa pelo contexto da formulação (criação de discursos), o contexto da produção textual (articulação da linguagem) e finalmente o contexto da prática (política sujeita a interpretação e recriação).

ARTIGO: A origem e decadência do pólo produtivo de cerveja no município de Pelotas: um recorte espaço-temporal do século XIX e XX. AUTORES: William Martins Lourenço; Eduardo Schumann; Tiaraju Salini Duarte.