Início do conteúdo
Coortes de nascimentos de Ribeirão Preto (SP), Pelotas (RS) e São Luís (MA): determinantes precoces do processo saúde doença no ciclo vital – Uma contribuição das coortes de nascimento brasileiras para o SUS

Coortes de nascimentos de Ribeirão Preto (SP), Pelotas (RS) e São Luís (MA): determinantes precoces do processo saúde doença no ciclo vital – Uma contribuição das coortes de nascimento brasileiras para o SUS

Situação: Em execução

Resumo: Acompanhar o desenvolvimento humano é fundamental para a compreensão de fatores extrínsecos e intrínsecos que levam a determinado comportamento ou estado ao longo da vida. A epidemiologia do ciclo vital enfatiza que exposições a determinados fatores na vida fetal ou nas fases iniciais da vida extrauterina podem influenciar tanto o desenvolvimento de doenças e agravos não transmissíveis como sobre o capital humano. Estudos de coortes de nascimentos tem tido alta prioridade na agenda de pesquisa em diferentes países. Estes estudos envolvem a definição de um grupo de nascidos vivos em determinado período de tempo e incluem o monitoramento de saúde dos indivíduos ao longo do tempo. A importância dessas coortes vem do reconhecimento de que muitos dos problemas que afetam a vida adulta têm sua origem no início da vida, incluindo a gestação. Estudos que consigam coletar dados ao longo da vida terão informação em qualidade e quantidade suficiente para explorar questões como: obesidade, precursores de outras doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), capital humano e saúde mental. O Consórcio de Coortes de Nascimento RPS (Ribeirão Preto, Pelotas e São Luís) é uma rede de pesquisa que envolve os três grupos que desenvolvem as coortes de nascimento com maior duração de acompanhamento no Brasil – Pelotas, Ribeirão Preto e São Luís – sendo referência nacional e internacional em estudos de Epidemiologia do Ciclo Vital. O presente projeto tem como principais eixos temáticos a avaliação da saúde mental e capital social, os precursores genéticos, biológicos e comportamentais das doenças crônicas, assim como aspectos nutricionais, de composição corporal e obesidade em diferentes estágios da vida, a nível individual e familiar. Durante o período de vigência deste projeto, pretende-se realizar avaliações de cinco das nove coortes de nascimento em andamento nos centros de pesquisa mencionados. No ano de 2018 está previsto os acompanhamentos das coortes de 2010 de Ribeirão Preto e São Luís, já em 2019 o acompanhamento da coorte de 2004 de Pelotas, em 2020 o acompanhamento da coorte de 1982 de Pelotas, em 2021 o acompanhamento da coorte de 2015 de Pelotas e em 2022 o acompanhamento da coorte de 2004 de Pelotas. Este projeto fornecerá dados sobre aspectos da saúde infantil ainda pouco disponíveis no âmbito nacional, com destaque para a avaliação detalhada da organização familiar, avaliação socioeconômica e histórico de morbidades, violência interpessoal, saúde mental, alimentação, antropometria, composição corporal, densidade mineral óssea, atividade física, função pulmonar, pressão sanguínea, disfunção endotelial, asma e alergia, mecanismos genéticos associados a DCNT, cefaleia e dor, saúde do sono e saúde bucal. As inovações que esta proposta de estudo trará ao Brasil são relacionadas à possibilidade de estudar determinantes de saúde precoces somente obtidos nos estudos longitudinais, assim como aprofundar o conhecimento sobre as consequências de exposições precoces e contemporâneas sobre a saúde em diferentes aspectos ao longo da vida.

ver no Portal Institucional

Instrumento Realizado: Convênio

Dados Técnicos:

Número COBALTO: 948

Número SICONV: 864113

Número do Instrumento: 14/2017

Número do Processo: 23110.101598/2017-68

Vigência do Instrumento: 29/03/2018 – 29/03/2023

Vigência do Projeto: 01/12/2017 – 01/12/2021

Coordenador: Bernardo Lessa Horta

Fiscal Titular: Helen Denise Gonçalves

Fiscal Suplente: Fernando César Wehrmeister

Dados Financeiros:

Fundação responsável: Fundação Delfim Mendes Silveira

Valor nominal do Instrumento: R$ 8.887.450,00