Início do conteúdo
    Notícias
  • ALM e Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS realizam reunião técnica sobre Modelagem Hidrológica para a Bacia Hidrográfica Mirim

    Foto: Reprodução

    Na última quinta-feira (14), se reuniram na Agência da Lagoa Mirim, o diretor, Gilberto Loguercio Collares e sua comissão de apoio técnico com a equipe de pesquisadores do IPH. O encontro tratou do acordo de cooperação que compreenderá a consolidação de resultados de modelagem hidrológica para a bacia hidrográfica da Lagoa Mirim e a realização de esforços conjuntos de estudos e análises hidrológicas na abrangência da bacia que sejam capazes de expressar a dinâmica desse sistema transfronteiriço e que suporta múltiplos usos da água.

    Pela ALM, além do diretor, estavam os pesquisadores Felipe Lobo, Angélica Cirolin, Viviane Terra, o Eng. Paulo Duarte (FEPAM) e o doutorando Guilherme Bartels, IPH. Pela equipe do IPH, estavam os pesquisadores Walter Collichonn, Fernando Mainardi Fan, Juan Martin Bravo e Davis Manuel Lelinho da Motta Marques, todos do Grupo de Pesquisa de Hidrologia de Grande Escala, com destaque na Modelagem Hidrológica de Grandes Bacias, já que o Modelo de Grande Bacias-MGB foi desenvolvido no IPH e será aplicado para expressar o comportamento hidrológico da Mirim frente aos usos da água, efeitos das variações e modificações climáticas, para os usos com a navegação e demais usos.

    Essa cooperação técnica também avançará junto ao corpo técnico da Direção Nacional de Águas – DINAGUA, Uruguai, e os pesquisadores da Universidade da República do Uruguai – UDELAR, consolidando as intenções estabelecidas na 119Reunião da Comissão Mista Brasileiro-Uruguaia para o Desenvolvimento da Bacia da Lagoa Mirim, a CLM, realizada julho passado em Montevideu, que criou um Grupo de Trabalho Técnico para tratar dos assuntos de qualidade e quantidade de água na abrangência da Bacia da Lagoa Mirim, onde a ALM tem o compromisso e protagonismo na organização e planejamento dessas ações.

  • Curso de Qualificação em Modelagem Hidrológica, empregando o MGB-IPH, é ministrado na ALM

    Atividade foi realizada em parceria da ALM com o Núcleo de Hidrometria e Sedimentologia para Manejo de Bacias Hidrográficas – HidroSedi da UFPel e o Grupo de Pesquisa de Hidrologia de Grande Escala do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Foto: Rafael Marques / AI ALM

    Na última quinta-feira (14), a sede da Agência da Lagoa Mirim foi palco de um curso de capacitação para uso do Modelo Hidrológico de Grandes Bacia-MGB. Diversos estudantes, em sua maioria do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, marcaram presença nos turnos da manhã e tarde.

    Foram ministrantes do curso, os engenheiros ambientais Julio Neto, Pedro Jardim, Thais Possa e Sofia Moraes, todos do Programa de Pós-Graduação em Recursos Hídricos do IPH numa iniciativa dos grupos HidroSedi e Hidrologia em Grande Escala (HGE), difundindo essa ferramenta para aplicar em grandes bacias hidrográficas, caso da Mirim – São Gonçalo.

    O MGB, desenvolvido no Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFGRS (IPH), emprega dados de precipitação, temperatura do ar, umidade relativa, velocidade do vento, insolação e pressão atmosférica para calcular as vazões dos rios de uma bacia hidrográfica.

    Na atual versão, a bacia hidrográfica é dividida em mini-bacias, utilizando as técnicas do conjunto de ferramentas do ArcHydro acoplando interfaces para o programa nos softwares MapWindow GIS  e Quantum GIS, de distribuição livre. A interface facilita a geração dos dados e de pós-processamento e permite uma integração do modelo com o potencial do SIG.

  • Representante da FAO no Brasil visita a ALM

    Encontro marcou o início de diálogos para implementação de um projeto de cooperação técnica na área de águas internacionais

    Foto: Rafael Marques / AI ALM

    Na última terça-feira (12), a Agência da Lagoa Mirim recebeu a visita do Dr. Rafael Zavala, representante da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) no Brasil. O tema central de sua passagem por Pelotas foi a proposta de um projeto de cooperação técnica entre os governos de Brasil e Uruguai, financiado pelo The Global Environment Facility (GEF), na área de governança e águas internacionais, em virtude da Bacia Hidrográfica Transfronteiriça da Lagoa Mirim. Tais iniciativas se fundamentam no Tratado da Lagoa Mirim, marco na cooperação bilateral entre Brasil e Uruguai no território da Bacia.

    Pela manhã, uma vídeoconferência foi realizada entre o coordenador da ALM, prof. Gilberto Collares e os integrantes da Comissão Especial, juntamente com Vincente Plata, representante adjunto da FAO no Uruguai, Daniel Greiff, diretor nacional de Águas do Ministério de Moradia, Ordenamento Territorial e Meio Ambiente do Uruguai (MVOTMA) e Jorge Meza, representante da FAO no Paraguai. As tratativas foram mediadas pelo assistente da FAO no Brasil, Gustavo Chianca.

    Foto: Reprodução

    Na parte da tarde, uma visita técnica também foi feita na Barragem Eclusa do Canal São Gonçalo, no Distrito de Irrigação do Chasqueiro e na localidade de Santa Isabel. Foi acordado que as partes avançarão na formalização da proposta de cooperação junto aos seus respectivos governos.

  • ALM vai promover curso de capacitação para uso de modelo hidrológico

    Na próxima quinta-feira (14), a Agência da Lagoa Mirim, juntamente com o Grupo Hidrometria e Sedimentologia para Manejo de Bacias Hidrográficas, vai ministrar um curso de capacitação para uso do modelo hidrológico MGB (acoplado ao software QGIS).

    O MGB é um modelo hidrológico do tipo chuva-vazão, desenvolvido para aplicações em grandes bacias. Suas aplicações envolvem aquisição de vazões em locais não monitorados, simulação de reservatórios, previsão de cheias e previsão hidrológica em geral. O modelo vem sendo desenvolvido e aprimorado no Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) ao longo dos últimos 18 anos e está sendo empregado pelo Grupo HidroSedi para a Bacia da Lagoa Mirim.

    O evento acontece na sede da ALM, Rua Lôbo da Costa, 447, das 8h às 12h e das 14h às 18h. As inscrições devem ser feitas por meio de um formulário (https://forms.gle/JxTZJkxt95WvdZ1DA). O curso é gratuito e oferta 25 vagas. Até o dia 10 de novembro, um e-mail será enviado com a confirmação de sua participação. 

    Para mais informações, entre em contato: thaispossa03@gmail.com ou vssterra10@gmail.com. 

  • Monitoramento da Bacia da Lagoa Mirim é discutido em reunião de Grupo Técnico da Comissão Mista Brasileiro-Uruguaia para o Desenvolvimento da Bacia da Lagoa Mirim

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    No dia 19 de setembro de 2019, ocorreu na Sociedad Rural de Rio Branco, na cidade uruguaia de Rio Branco, a primeira reunião técnica do GT de Qualidade e Quantidade de Água da Comissão Mista Brasileiro-Uruguaia para o Desenvolvimento da Bacia da Lagoa Mirim.

    As atividades tiveram início às 10h da manhã, estendendo-se ao longo do dia com diversos assuntos relacionados ao monitoramento da qualidade e da quantidade de água na bacia da Lagoa Mirim, em especial no corpo da Lagoa.

    O encontro teve como objetivo principal nivelar o conhecimento e opiniões de todos os atores envolvidos com o tema para o estabelecimento de um Plano de Monitoramento, com a intenção de que os protocolos, amostragens, procedimentos e análises dos resultados obtidos sejam harmonizados.

    Contando com a participação de mais de 60 técnicos dos dois países, questões específicas como a caracterização da Bacia, a situação da qualidade da água, hidrologia do sistema, os fluxos ambientais e análise de cenários, foram amplamente discutidos e apontados caminhos para ações conjuntas e comuns.

    Dentre os participantes, estavam representantes da Dirección Nacional de Aguas-DINAMA e Dirección Nacional de Medio Ambiente-DINAMA, ambos do Ministerio de Vivienda, Ordenamiento Territorial y Medio Ambiente-MVOTMA do Uruguay e representantes e Coordenador da Comisión de la Laguna Merín-CLM. Pelo lado brasileiro, esteve presente o coordenador da Agência de Desenvolvimento da Lagoa Mirim, secretário executivo Seção Brasileira na CLM, juntamente com o corpo técnico de apoio da ALM, professores e técnicos da Universidade Federal de Pelotas, além da responsável pelo Laboratório de Águas e Efluentes da ALM.

  • ALM formaliza o convite para a participação da Azonasul no Conselho Consultivo

    Evento realizado no município de Piratini desenvolveu o protocolo da solenidade com a assinatura do convênio entre a Associação e a UFPel

    Após 55 anos desde a data de sua fundação, a Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) retornou na quarta-feira (18) ao município de Piratini para celebrar mais um ano de funcionamento. O evento aconteceu na sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), com reunião ordinária dos prefeitos seguida de assinaturas de convênios e lançamento de novas atividades e homenagens.

    O protocolo da solenidade de aniversário foi desenvolvido com a assinatura do convênio entre Azonasul e Universidade Federal de Pelotas (UFPel), prevendo ações nas áreas de pesquisa e extensão.

    Com esse processo, a Agência da Lagoa Mirim (ALM) formalizou o convite para a participação da Azonasul em seu Conselho Consultivo, composto de 14 membros, representantes de entidades e órgãos que tem relação direta com o foco no desenvolvimento e na integração regional.

    Hoje, com 23 municípios associados, a Azonasul desenvolve intensa atividade institucional, política e técnica, objetivando o fortalecimento do municipalismo, que busca a descentralização da administração pública em favor dos municípios e das suas comunidades.

    A diretoria da Associação, eleita anualmente pelo voto direto, é composta por prefeitos de todos os partidos, reunindo desta forma, as forças políticas da região na busca de um bom relacionamento com os governos federal e estadual, em importantes parcerias, sem abrir mão do direito de divergir e de pressionar governos e parlamentos para a garantia de recursos aos municípios e a implementação de políticas públicas do interesse das administrações municipais.

  • ALM participará de seminário sobre Desenvolvimento da Região Fronteiriça do MERCOSUL

     

    No dia 1° de outubro de 2019 será realizado em Brasília o seminário “Desenvolvimento da Região Fronteiriça do MERCOSUL”. O evento acontecerá no auditório Paulo Nogueira Batista, no Palácio Itamaraty, promovido pela Secretaria de Negociações Bilaterais e Regionais nas Américas, do Ministério das Relações Exteriores, em parceria com a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG). O objetivo é promover o diálogo entre os representantes dos governos e da sociedade civil do Brasil, da Argentina, do Paraguai e do Uruguai sobre o desenvolvimento de sua região fronteiriça.

    O evento será dividido em dois painéis e ocorre das 14h30 às 18h. O coordenador da Agência de Desenvolvimento da Lagoa Mirim (ALM), professor Gilberto Loguercio Collares fará uma palestra sobre “A água como elemento de integração regional: o caso do Tratado da Bacia da Lagoa Mirim e a ALM”.

    Para a visualização da programação completa do evento, clique aqui.

  • UFPel retoma monitoramento no porto de Santa Vitória do Palmar

     


    O grupo HidroSedi da UFPel e a Agência da Lagoa Mirim (ALM), no dia 7 de agosto, realizaram a instalação de uma estação hidrometeorológica automática às margens da Lagoa Mirim, no Porto de Santa Vitória do Palmar.

    Essa estação possibilitará o monitoramento contínuo de variáveis hidrológicas como precipitação, velocidade e direção do vento, temperatura e umidade do ar, e variação do nível d’água da Lagoa Mirim.

    Anexa à estação automática, também foi instalada uma seção de réguas linimétricas, referenciada ao RN da Agência da Lagoa Mirim, capaz de consistir com os dados existentes.

    Interrompido em 2013, o monitoramento do nível da água da Lagoa Mirim era realizado pela ALM desde 1978. Com a instalação dessas estruturas, será possível retomar o monitoramento, de tal forma a possibilitar estudos futuros para o desenvolvimento regional e da bacia da Lagoa Mirim além de propiciar informações necessárias a Hidrovia Uruguai-Brasil, em vias de operação, afirmou o diretor da Agência, Gilberto Collares. “Para permanecia dessa atividade, a Universidade conta com o apoio da população local, que auxiliará na preservação dos equipamentos instalados”, observou.