Início do conteúdo
BACIA HIDROGRÁFICA DA LAGOA MIRIM

A Lagoa Mirim está localizada na porção meridional do estado do Rio Grande do Sul e na parte leste do Uruguai. Esta se assenta, sobre a planície costeira, e possui uma largura média de 20 km, e 3.750 Km² de área superfície, sendo 2.750 Km² em território brasileiro e 1.000 Km² em território uruguaio. O lago e os complexos de áreas úmidas que o contornam, estabelecem uma das principais bacias hidrográficas do Rio Grande do Sul, compreendendo uma grande diversidade de flora e fauna. (ALM, 2008)

Trata-se de uma importante bacia transfronteiriça onde prevalece o regime de águas compartilhadas, delimitando a fronteira desse espaço geográfico binacional limitando-se a leste com o Oceano Atlântico, a noroeste com a República Argentina, e a sudoeste com a República Oriental do Uruguai.

Esta é conhecida como a Bacia Hidrográfica da Lagoa Mirim e situa-se entre os paralelos 31°30’ e 34°30’S e os meridianos 52° e 56°W, correspondendo a uma superfície de aproximadamente 62.250 km² de área, dos quais 29.250 km² (47%) em território brasileiro e 33.000 km² (53%) em território uruguaio (ALM, 2008)

Figura 01: Mapa de localização da Bacia Hidrográfica da Lagoa Mirim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Lagoa Mirim está dividida em oito bacias hidrográficas menores que são: no território brasileiro, a bacia do São Gonçalo (9.147 km2) – cujo principal afluente é o Rio Piratini -, a bacia do Arroio Grande (4.080 km2) – que incorpora, dentre outros, o próprio Arroio Grande e o Arroio Chasqueiro – e a bacia do Litoral (6.416 km2), onde estão localizados o Banhado do Taim e a Lagoa Mangueira, entre outras menores; no território uruguaio, a bacia do Tacuari (5.143 km2), a bacia do Cebollati (17.328 km2), a bacia do Sarandi (1.266 km2) e a bacia do São Miguel (6933 km2) – integrada pelo São Miguel e por outros arroios de menor expressão; na divisa entre o Brasil e o Uruguai, está a bacia do Rio Jaguarão, com 8.188 km2.

Figura 02: Mapa de Batimetria e Altimetria da Lagoa Mirim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A região pertence às províncias geomorfológicas da Planície Costeira e Escudo Uruguaio-Sul-Rio-Grandense, e abrange os municípios de Aceguá, Arroio do Padre, Arroio Grande, Candiota, Canguçu, Capão do Leão, Cerrito, Chuí, Herval, Hulha Negra, Jaguarão, Morro Redondo, Pedras Altas, Pedro Osório, Pelotas, Pinheiro Machado, Piratini, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar, Turuçu.

Os principais usos da água se destinam a irrigação e abastecimento humano. Nas margens da bacia hidrográfica situam-se duas importantes reservas ambientais, a Reserva do Taim, no Brasil, e a de Humedales del Este, no Uruguai.

A Estação Ecológica do Taim é uma unidade de conservação federal de proteção integral e tem por finalidade a preservação ambiental. Reconhecida mundialmente como uma das mais importantes áreas de conservação, preserva banhados, lagoas, campos, dunas e matas e abriga uma grande diversidade de espécies de vegetais e animais.

Já a Humedales Del Este são terras húmidas orientais no Uruguai, inscrita na Lista da Convenção Sobre Terras Úmidas de Importância Internacional – Convenção Ramsar, formada por um ecossistema de, aproximadamente, 560000 ha, incluindo cerca de 10 áreas protegidas para Reserva da Biosfera dentre eles Parques Nacionais (Bañados de San Miguel – Laguna Negra, Laguna de Castillo, Lagunas de Rocha, Garzón y José Ignacio – Isla de Lobos, Cerro Largo); Paisagens Protegidas (Cerro Catedral – Sierra de Sosa, Asperezas de Polanco, Sierra Del Tigre, Quebrada de los Cuervos); Áreas Protegidas com Recursos Manejados (Laguna Merín e India Muerta).