Curso de Licenciatura em Educação do Campo promove Feira de Ciências e Tecnologias

Feira de Ciência e Tecnologias em Santana do Livramento (Foto: Alexandra Carambula)

As atividades curriculares do curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), na modalidade a distância, mobilizaram a comunidade escolar de quatro municípios para a realização da Feira de Ciências e Tecnologias, de 29 de junho a 1º de julho. Os polos de São José do Norte (28/06), Sobradinho (29/06), Santana do Livramento (30/06) e Hulha Negra (01/07) receberam cerca de 250 estudantes do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) para conhecer os trabalhos desenvolvidos no curso e integrarem-se à proposta. A Feira é o resultado da parceria com outros grupos da Instituição: o Laboratório Multilinguagens e o Programa de Educação Tutorial (PET) ­­– Grupo de Ação e Pesquisa em Educação Popular (Gape).

Na oportunidade, cada estudante apresentou dois experimentos de Ciências e Tecnologias, os quais versaram, principalmente, sobre Meio Ambiente e Agroecologia. Como um dos eixos pedagógicos do curso, a Feira de Ciências e Tecnologias, na forma de projeto de extensão, buscou envolver os 71 estudantes do curso e as escolas que atuam nos municípios. Alguns destaques são os projetos produzidos, respectivamente, em São José do Norte e Santana do Livramento: a demonstração de como a energia eólica é transformada em eletricidade, o que retrata a realidade local; e a montagem de um microscópio.

Experimento sobre energia eólica na Feira de São José do Norte (Foto: Rose de Miranda)

Para a professora da UFPel Rose Adriana de Miranda, a Feira proporcionou um espaço de redescoberta do Ensino de Ciências no Ensino Fundamental e o desenvolvimento da autoestima dos acadêmicos. “O impacto maior é a empolgação de trabalhar com Ensino de Ciências. Os estudantes não achavam que seriam capazes de produzir esse tipo de conteúdo dentro da escola. Eles se encantaram”, avalia.

O Curso

Como parte de políticas públicas voltadas às comunidades tradicionais e à democratização do acesso ao Ensino Superior, a UFPel oferece desde 2009 o curso de Licenciatura em Educação do Campo na modalidade EAD. Desde então, mais de 430 professores, com formação voltada para as características culturais de suas comunidades, já se formaram no curso, distribuídos em 25 municípios no Rio Grande do Sul. A cada oferta, os eixos de ensino-aprendizagem são pensados de acordo com as características locais. “Cada região tem a sua peculiaridade. Em cada uma, o Ensino é trabalhado de forma diferenciada”, explica a coordenadora, Vânia Thies, o que demanda o planejamento curricular e pedagógico direcionado para contextos específicos.

Conforme a coordenadora, por meio da Licenciatura em Educação do Campo EAD da UFPel, muitas comunidades do estado experienciaram o primeiro contato com o Ensino Superior. “O curso ajuda a potencializar a voz do município, olhar para si mesmo, para uma região que é tipicamente rural. A Educação do Campo vem dar voz, visibilidade e fazer vir à tona o que é ser um município rural e as suas potencialidades”, analisa. O curso conta, atualmente, com cinco tutores, presenciais e a distância; oito professores e supervisores de estágio. Para março de 2017, a expectativa é de que 71 estudantes concluam a formação específica para trabalharem em escolas do campo.

Novos projetos

O curso de Licenciatura em Educação do Campo da UFPel está em fase de encerramento de suas atividades. No entanto, tendo em vista a importância da temática para as comunidades tradicionais, estão em desenvolvimento, em outras instâncias, projetos que darão continuidade à proposta, como cursos de pós-graduação lato e stricto sensu.

Publicado em 11/07/2016, em Sem categoria.