Estude no Exterior

A mobilidade acadêmica é uma realidade crescente na UFPel, que se preocupa em ampliar o rol de instituições conveniadas e em  estabelecer parcerias de modo a não desamparar o discente. Normalmente a mobilidade acadêmica não excede um ano letivo (dois semestres).

PARA PARTICIPAR DE MOBILIDADE ACADÊMICA O ALUNO DEVE:

  • Pesquisar alguma instituição de ensino superior (IES) ou país de interesse (ver a aba Convênios Internacionais) e identificar os cursos oferecidos e os documentos pedidos por cada instituição. É importante informar-se sobre o calendário acadêmico da UFPel e da IES e verificar sua compatibilidade;
  • Solicitar, à Coordenação de Relações Internacionais (CRINter) que entre em contato com a IES e apresente a candidatura do aluno;
  • Elaborar um plano de estudos com as disciplinas que deseja cursar na IES. O plano de estudos deverá ser compatível com a grade curricular do curso, uma vez que o posterior aproveitamento de disciplinas dependerá dessa compatibilidade;
  • Entregar na CRInter os seguintes documentos (após a confirmação da aceite da candidatura por alguma IES): atestado de matrícula, histórico acadêmico, plano de estudos , ficha de inscrição e demais documentos exigidos pela IES.

Requisitos e Normas

De modo geral, são requisitos básicos ao estudante, além de outros que podem ser exigidos pela instituição de destino, de acordo com cada peculiaridade:

  • Conhecimento, ao menos intermediário, no idioma em que serão ministradas as aulas (algumas instituições poderão exigir teste de proficiência);
  • Ter atingido a maioridade, de acordo com as leis do país de destino;
  • Não estar cursando nem o primeiro ano e nem o último semestre do curso de graduação.

Destaque-se que a CRInter fará seleções, em determinadas situações, em que as regras previstas no Edital poderão ser distintas das listadas acima, pois observará o acordado entre as instituições.

A CRInter se encarregará de efetuar os procedimentos administrativos para que, enquanto o aluno estiver no exterior, sua matrícula fique em “situação de mobilidade”, de modo a garantir a permanência de vínculo institucional. As disciplinas cursadas no exterior serão incorporadas ao histórico acadêmico do discente de acordo com determinações do Colegiado do respectivo curso.

Documentação

A documentação básica que o aluno deve ter para estudar no exterior consiste em:

  • Passaporte:

Informe-se no site da Polícia federal.

Link: http://www.dpf.gov.br/servicos/passaporte/passaporte

  • Visto:

Informações sobre visto devem ser solicitadas diretamente ao Consulado do país de destino.

  • Seguro Saúde:

O Ministério das Relações Exteriores disponibiliza em seu site uma lista de  estabelecimentos públicos hospitalares e de profissionais de saúde que tratam estrangeiros sem custos ou com custos reduzidos.

Link: http://www.brasileirosnomundo.itamaraty.gov.br/servicos/servico-de-saude-no-exterior

A Previdência Social, por meio de convênios internacionais, garante assistência médica na rede pública de saúde dos países conveniados. Mais informações sobre o Certificado de Direito à Assistência Médica (DCAM) disponíveis no link: http://sna.saude.gov.br/cdam/.