CsF

Programa Ciências sem Fronteiras

O Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Mais informações sobre o programa no site: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/home

DÚVIDAS FREQUENTES (FAQs)

Quais são as coordenadas que eu poderia seguir para aumentar minhas chances de ser selecionado pela UFPel e, posteriormente, pela Capes/CNPq?

Apesar de alguns requisitos alterarem conforme o edital, os órgãos listados acima selecionam somente alunos com perfil de excelência. De fato, um histórico escolar que apresente boas notas é essencial, no entanto, o diferencial se dá por um(a) aluno(a) com pró-atividade acadêmica, isto é, que possui um currículo que vá além do ensino tradicional, abarcando projetos de pesquisa, iniciação científica, iniciação à docência e projetos de extensão com viés tecnológico. Além disso, ainda que o edital possa oferecer algum teste de proficiência gratuito, um(a) aluno(a) que já o possua de antemão, uma vez selecionado(a), costuma ocupar as vagas nas melhores universidades.

Como devo me inscrever?

Primeiramente, é necessário manter-se informado acerca das publicações dos editais no site do Ciência sem Fronteiras e lá mesmo realizar a inscrição. No entanto, é imprescindível inscrever-se também pessoalmente na CRInter, mediante os procedimentos descritos no edital complementar que a Coordenação divulga. Reiteramos que o(a) aluno(a) só está efetivamente inscrito(a) no programa quando cadastrado(a) nestes dois órgãos.

Quais são os documentos a serem entregues no ato de inscrição?

O(A) aluno(a) deve ater-se ao edital em vigência, mas em regra, pede-se sempre – e é importante providenciar com antecedência – histórico atualizado, Currículo Lattes, comprovantes que evidenciem pró-atividade acadêmica, atestado de porcentagem integralizada do curso e certificado do teste de proficiência da língua do país de destino, ou ainda, um documento que ateste a data que este será realizado.

Fui selecionado, e agora?

Imediatamente após a seleção, os alunos da UFPel receberão um email com orientações da CRInter sobre qual a documentação será necessária a partir daquele momento. Após assinatura do termo de compromisso e, assim que o aluno receber a confirmação da concessão da bolsa, será montado o processo que começará a tramitar tão logo seja possível. No entanto, cabe ressaltar que a aprovação no programa também está condicionada ao seu desempenho acadêmico no período entre a inscrição na CRInter e o início das atividades no exterior. Caso o(a) aluno(a) não mantiver a excelência acadêmica esperada, o colegiado informará a CRInter, que possui discricionariedade de desrecomendar o(a) estudante à Capes/CNPq.

Quais são os documentos necessários para viagem?

O bolsista é responsável pela obtenção do passaporte junto à Polícia Federal, bem como do visto junto ao consulado do país de destino. Aconselha-se que tudo seja feito o mais breve possível, pois nem sempre há garantia de rapidez no processo. Além disso, lembramos que Jaguarão e Porto Alegre são cidades que costumam ser mais eficientes na emissão de passaportes.  É importante, também, procurar a Embaixada ou Consulado do país onde realizará as suas atividades, pois a elaboração do visto para alguns países pode ser demorado.

Como fica o status da minha matrícula na UFPel durante o intercâmbio?

Os alunos intercambistas mantém o vínculo com a UFPel, no entanto, a matrícula se encontra em trancamento para mobilidade. O processo de trancamento é realizado inteiramente através da CRInter, tendo o estudante apenas a responsabilidade de trazer a CRInter os documentos requeridos.

O colegiado do curso assina um documento autorizando a mobilidade estudantil e o despacha para a CRInter que, por sua vez, o envia ao COCEPE. O COCEPE retorna o documento à Coordenação e, tendo sido deferido, este é enviado ao DRA, que é responsável pelo trancamento da matrícula.

Quais providências devo tomar para ter uma estadia satisfatória?

Sugere-se que o aluno contate a instituição que o acolherá no exterior, solicitando informações úteis para sua chegada, tais como: para onde deve se dirigir ao chegar, meios de transporte e etc. Indica-se ainda verificar se a instituição de destino possui algum programa análogo ao “amigo universitário” da UFPel, isto é, um programa direcionado ao recebimento de intercambistas. Deste modo, seria proveitoso obter nome, número de telefone e email de alguma pessoa disposta a ajudar na integração do aluno na universidade.

O aluno deve informar-se também sobre o Consulado ou setor consular da Embaixada brasileira localizado na jurisdição da universidade que o acolherá no exterior. Para mais informações acesse www.portalconsular.mre.gov.br, onde há informações a respeito dos Consulados brasileiros nos mais diversos países.

O que é o Seguro Saúde?

O Seguro Saúde custeará as despesas referentes à aquisição de plano de saúde durante todo o período da bolsa. É imprescindível fazer uma pesquisa minuciosa acerca das despesas atendidas pelo seu seguro, pois o CNPq/Capes se exime da obrigação de qualquer apoio adicional para o custeio de despesas relacionadas à saúde que não estiverem previamente estabelecidas. Algumas universidades estrangeiras exigem planos especiais, e por isso recomenda-se que o aluno verifique junto à Universidade de destino sobre as recomendações para o Seguro Saúde.

Qual é a duração da bolsa?

A Graduação Sanduíche no Exterior tem duração de no máximo de 12 meses, sendo 09 meses dedicados aos estudos em tempo integral e até 03 meses para estágio.

Como posso conseguir uma oportunidade de estágio?

As oportunidades para estágio serão oferecidas pela universidade no exterior e/ou instituição parceira diretamente ao estudante.

É possível prorrogar a bolsa?

É permitida a prorrogação para, no máximo, até 18 meses no caso de necessidade do bolsista realizar curso de língua estrangeira, quando disponível, e antes do início do período acadêmico; ou seja, antes do início das atividades acadêmicas de disciplinas e estágio, as quais terão a duração máxima de 12 meses.

Há chances de a minha bolsa ser suspensa ou cancelada?

A condição para que a bolsa não seja suspensa ou cancelada é o bom desempenho acadêmico. Caso o CNPq/Capes constate qualquer situação desabonadora, o auxílio pode ser suspenso ou cancelado sob pena de devolução total ou parcial do investimento realizado em favor do aluno.

Vale lembrar que o desempenho do bolsista será acompanhado pelas instituições mediante análise de relatórios parciais ou final.

Quais são os procedimentos a seguir quando terminar o período da bolsa?

O intercambista deverá encaminhar os bilhetes de passagem utilizados, além dos documentos específicos da modalidade exigidos para o encerramento do processo. Deve-se obter o relatório técnico-científico final e não possuir quaisquer pendências financeiras com o órgão.

Ademais, há o prazo de até 90 dias, contados a partir do término da bolsa, para retornar ao Brasil, tendo que residir no país por um período igual ou superior do período vigente da bolsa.

O que é o Plano de Estudos?

O Plano de Estudos é um importante norteador de vida acadêmica do aluno no exterior e que garante o máximo de aproveitamento na nova universidade.

Como faço para organizar um Plano de Estudos?

Nesta etapa é indispensável a orientação de um professor para que ambos possam estudar as ementas das disciplinas na universidade de destino e, juntos, montem o Plano de Estudos no qual lista-se as disciplinas que, potencialmente, poderão vir a ser cursadas durante o semestre no exterior.

Há algum problema em alterar o Plano de Estudos após ele já ter sido enviado ao CRInter?

Não, esta prática é, inclusive, comum, mas é necessário que quaisquer mudanças sejam documentadas, assinadas, e enviadas a CRInter.

Minha mobilidade foi deferida, devo continuar cursando o semestre na UFPel?

O aluno deverá solicitar regime concentrado para terminar as atividades antes de embarcar.

Recebo auxílio benefício da UFPel, quais procedimentos devo tomar em relação a isso?

O aluno que recebe auxílio deve ir à Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) e solicitar o trancamento de seus benefícios. Caso contrário, seu cadastro na coordenadoria constará como infrequente e, deste modo, perderá o auxílio quando retornar seus estudos na UFPel.