Programação dos eventos em Homenagem aos 98 anos do Conservatório de Música da UFPel

SALÃO1Dando inicio a programação em comemoração aos 98 anos do Conservatório de Música (Rua Félix da Cunha, 651, tel. (53) 3222-2562), no dia 21 de setembro de 2016, próxima quarta-feira será realizado o recital de piano e canto às 19h 30minutos, com professores e alunos do Conservatório de Música, o evento será na Bibliotheca Pública Pelotense (Pça. Cel Pedro Osório), instituição que tem acolhido e apoiado em toda a sua plenitude os eventos que estão sendo promovidos pelo Conservatório, devido à interdição do Salão Milton de Lemos.

O evento do dia 21 será coordenado pelo professor Marcelo Macedo Cazarré; o dia 21 está consagrado a um recital de canto e piano com a participação de praticamente toda a classe de canto do Curso de Bacharelado em Música da UFPel e dois flautista convidados do curso de flauta transversal, os discentes executarão árias antigas do repertório Barroco e árias de óperas do período Clássico, este tipo de programa é uma inovação na construção de espetáculos eruditos musicais, porque apresentará obras de compositores há muito esquecidos do grande público. Estarão se apresentando neste dia os cantores Yara Borges, Renata Gonçalves, Daniela Lourenço, Everton Terciocce, Natália Gonçalves, Marcelo Schuch, Pâmela Paiva, Marília Trenti, Jaqueline Bartez, Pedro Moro, Caroline Peres, Fernando Zambone, Mabel Oliveira, Paulo Sevidanis e Fernanda Miki e ao piano os professores Menan Duwe, e Marcelo Cazarré.

Na ocasião os cantores interpretarão obras de Pergolesi, Francesco Durant, Haendel, Bach, Andrea Falconieri, Antonio Caldara, Mozart, dentre outros.

O aniversário propriamente ocorreu dia 18 de setembro, mas devido ao feriado prolongado a programação de comemoração começa dia 21 e vai até o dia 23 de setembro.

Homenagem aos 98 anos do Conservatório de Música da UFPel

10626617_772472609458884_9126877413232587253_nNos dias 21, 22 e 23 de setembro de 2016 serão realizados recitais em comemoração aos 98 anos do Conservatório de Música (Rua Félix da Cunha, 651, tel. (53) 3222-2562). Os eventos serão às 19h 30minutos, na Bibliotheca Pública Pelotense (Pça. Cel Pedro Osório), instituição que tem acolhido e apoiado em toda a sua plenitude os eventos que estão sendo promovidos pelo Conservatório, devido à interdição do Salão Milton de Lemos.
Os eventos dos dias 21 e 22 quarta e quinta-feira respectivamente serão coordenados pelo professor Marcelo Macedo Cazarré; o dia 21 está consagrado a um recital de canto e piano com a participação de praticamente toda a classe de canto do Curso de Bacharelado em Música da UFPel e dois flautista convidados do curso de flauta transversal, os discentes executarão árias antigas do repertório Barroco e árias de óperas do período Clássico, este tipo de programa é uma inovação na construção de espetáculos eruditos musicais, porque apresentará obras de compositores há muito esquecidos do grande público.
Já na quinta-feira dia 22 de setembro, o Conservatório de Música oferecerá à sociedade pelotense um recital com a participação de convidados, alunos de piano e canto e professores de piano, canto, flauta, violino e violão nas formações camerísticas mais diversas possíveis. O repertório da noite vindoura será constituído de obras eruditas principalmente do período Romântico, obras de música popular e música brasileira. A programação do dia 23 está a cargo da professora Leonora Oxley Rodrigues Diretora do Conservatório de Música da UFPel, será posteriormente divulgada.

Conservatório de Música a “soma de todas as vontades pelotenses”. Uma trajetória de intensa luta e persistência diante de todas as dificuldades encontradas, e o desejo de continuar a contribuir com a cultura do Rio Grande do Sul.
Reconhecido com Patrimônio Cultural do Estado, em junho de 2004, vem reforçar sua importância na história e identidade do nosso Estado.
O prédio do Conservatório de Música quanto tudo o que se encontra dentro dele, como por exemplo, os instrumentos musicais, seu mobiliários, são símbolos da memória cultural de nossa cidade.
Esta instituição educativa quase centenária possui sua existência própria, recorrente de sua história, existência esta que de certa forma incide sobre a sociedade e se apresenta como construtora de símbolos. Todas essas ações ocorridas nesse espaço não seriam possíveis sem os objetos lá existentes: não haveria aulas, concertos, palestras, recitais, máster classes, oficinas, projetos de extensão e pesquisa; e também de nada adiantaria todos os objetos encontrados no prédio o Conservatório, inclusive ele mesmo, caso não houvesse ações nesse sentido.

“RUMO AOS 100 ANOS DO CONSERVATÓRIO DE MÚSICA”

Conservatório de Música

Em 04 de junho de 1918, um grupo de cidadãos pelotenses amigos da arte e da música, fundaram a instituição que teve, em 18 de setembro do mesmo ano, o início de suas atividades com o ensino do piano, violino, canto, teoria e solfejo, ficando desta forma, esta data como o marco da fundação do Conservatório de Música de Pelotas, sendo a primeira instituição oficial fundada especialmente para o ensino da música na cidade; a segunda entidade no gênero a ser fundada no Rio Grande do Sul, e a quinta no Brasil.

O compromisso do Conservatório de Música com a promoção da cultura e a construção da cidadania permeia suas atividades desde a fundação. Como tomou para si a tarefa de promoção e organização dos concertos que se realizavam na cidade, tanto dos alunos da escola como de artistas convidados, a trajetória do Conservatório de Música é parte indissociável da própria história da música na cidade.

Desde sua criação, o Conservatório de Pelotas foi a única instituição para o ensino musical com atividade ininterrupta na cidade, e seu salão de concertos é um dos mais antigos no Brasil em atividade , que hoje encontra-se interditado .

A situação econômica e a tradição cultural e musical da cidade de Pelotas entram em consonância com o projeto de “interiorização da cultura artística”, idealizado por José Corsi e pelo professor Guilherme Fontainha (1887-1970), então diretor do Conservatório de Música de Porto Alegre, instituição fundada em 22 de abril de 1908.

Desde então, o trabalho de diretores, professores, funcionários e comunidade em geral, tem sido no sentido de manter esta honrada instituição em pleno funcionamento, prestando serviços e oferecendo sempre o que há de melhor em termos de música à comunidade.

Ao longo de sua história, foram várias as diretorias que conduziram as atividades desenvolvidas no Conservatório. Dentre elas, foi notável o trabalho realizado pelo ex-diretor Milton de Lemos. No período de 1923 a 1954, o grande mestre reuniu seus esforços através da Sociedade de Cultura Artística (órgão do qual foi fundador) trazendo a Pelotas artistas consagrados no Brasil e no mundo. Grandes nomes como Arthur Rubinstein, Magdalena Tagliaferro, Guiomar Novaes, Andrés Segóvia, Francisco Mignone, entre outros, aqui se apresentaram e contribuíram para firmar e levar a imagem cultural de Pelotas para fora do Estado.

O Conservatório de Música completa este ano 98 anos de atividades ininterruptas no ensino, na pesquisa e extensão.

A importância do Conservatório de Música de Pelotas já foi atestada quando, em 26 de julho de 2004, foi promulgada a Lei nº 12.133 que o declarou integrante do Patrimônio Cultural do Estado do Rio Grande do Sul.

Também relevante observar que o Conservatório de Música de Pelotas foi uma das unidades que contribuíram para a existência da Universidade Federal de Pelotas, em 1969.